Vale por mil palavras

22 de Abril – Hoje é o dia da (verdadeira) Mãe

vitormadeira.com - 2015-04-22 dia Terra mae de todos nos GaiaPor muito que alguém tente inventar mães do céu, da terra, do mar, do ar, do espaço, ou seja lá de onde for, a verdadeira Mãe de todos aqueles que conheço ou alguma vez hei de vir a conhecer, chama-se Terra.

Todas as pessoas que conheço ou alguma vez penso vir a conhecer são feitas da mesma matéria que eu. Todas sem exceção têm a água como constituinte principal nos seus corpos. Todas sem exceção respiram o mesmo tipo de gás, todas necessitam de ir buscar ao mesmo lugar o alimento e sustento, e curiosamente, todas nasceram no mesmo lugar que eu: a Mãe!

Sim, todos acabamos por ser na verdade, irmãos, ou, se preferirem, primos uns dos outros. Não há como fugir. Ninguém caiu aqui vindo do espaço. Ninguém apareceu aqui através do mover de uma “varinha de condão”. Ninguém teve outra origem que não o ‘ventre da nossa Mãe’.

Por vezes faz-me bem colocar as coisas nesta perspetiva. E acredito que para muitos dos que ainda não fazem, seria também bastante terapêutico.

Assim, aqui fica o meu sincero desejo de um feliz dia da Mãe!

(e por favor, tratem-na bem, ela merece.)

vitormadeira.com - 2015-04-22 dia Terra mae de todos nos maos

Anúncios
Categories: Boas vindas, Coisas Divinas, Curiosidades, Momento de Basbaque, Pensamentos e Filosofias, Vale por mil palavras | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Feliz consumismo e próspera dívida nova

Feliz consumismo e próspera dívida nova

Feliz consumismo e próspera dívida nova

Aos leitores do meu blog, acredito que, à primeira vista, poderia parecer que a mensagem de desejo de boas festas contém algum tipo de erro, mas quero mesmo deixar claro para todos (que são obviamente sempre bem-vindos por aqui) que acredito que a festividade desta época carece um pouco mais de alerta do que aquilo a que estamos habituados.

Sinceramente desejo que o sentimento de união e reencontro para com as pessoas que vos são mais queridas possa ser uma realidade palpável, e que, a corrente desenfreada de consumismo em que (todos) temos deixado cair esta época possa começar a ser quebrada.

Que os sentimentos de fraternidade, amizade, companheirismo, amor, solidariedade, empatia e sobretudo, liberdade, possam ser realidade nas vidas de quem por aqui passa, sem necessidade de uma expressividade material exacerbada e vazia de valores.

Categories: Alma do tempo, Bizarro mas verídico!, Curiosidades, Demasiado tempo livre a mais, Humor, Pensamentos e Filosofias, Vale por mil palavras | Etiquetas: , , , | 2 comentários

Viva o meu atrevimento! O Cante Alentejano está de parabéns

Não poderia deixar passar ao lado, a grande honra que é ter o cante alentejano como património imaterial da humanidade. Todos os moços e moças marafadas deste Algarve sabem que um alentejano é um algarvio que nasceu um pouco mais a norte, certo?

Pois bem, estão de parabéns, e por isso também aqui deixo uma singela homenagem com um dos temas mais originais de cante alentejano que conheço, pois a gaita convidada para a parte final do tema, fica-lhe “a matar”.

Vale a pena recordar os Gaiteiros de Lisboa:

(e quem não quiser ouvir, bote os ouvidos ao vento! :p )

Categories: Alma do tempo, Boas vindas, Música, Musicos com GARRA!, Vale por mil palavras | Etiquetas: | Deixe um comentário

Vale por mil palavras – Praça Manuel Teixeira Gomes em Portimão nos anos 1950s

Praça Manuel Teixeira Gomes - anos 1950s

Praça Manuel Teixeira Gomes – anos 1950s

Hoje proponho uma breve visita ao passado. Trata-se de uma foto com a praça Manuel Teixeira Gomes de antigamente (neste caso, dos anos 1950) com o antigo coreto em destaque.

Este é um dos locais preferidos pelos portimonenses para confraternizar nas quentes noites de verão, saboreando um sorvete (provavelmente comprado no ‘Pavilhão nº 1’ – o mais famosa ‘barraquinha’ de gelados da cidade.)

Até finais do século 19 as águas do rio arade conseguiam cobrir parte desta zona, sendo por isso relativamente difícil imaginar como seriam esses tempos.

Para conseguir esta foto, o ágil fotógrafo teve que subir à grua que até aos meados dos anos 1980s ali existia (recordar que nesta época, o porto de pesca de Portimão era na margem direita do rio), e até é possível ver a sua silhueta na sombra da estrutura projectada na base da foto.

À esquerda, entre o café/pastelaria “Casa Inglesa” (que não aparece na foto) é possível verificar alguns dos táxis estacionados na artéria que então estava aberta e que permitia uma fluidez de trânsito que desde finais dos anos 1970s não se conhece. Embora as realidades fossem bem diferentes, a verdade é que eu próprio sou defensor da ideia de voltar a reabrir esta artéria novamente ao trânsito. Creio que a parte histórica da cidade iria ganhar imenso, mas isso já serão outras histórias…

O edifício dos Correios será certamente fácil de identificar até pelas gerações mais novas, pois permanece praticamente idêntico às suas origens. O mesmo não se pode dizer do edifício da Caixa  Geral de Depósitos (parcialmente visível à esquerda do edifício dos Correios) que foi inteiramente demolido para dar lugar ao que hoje se conhece.

A possibilidade de se conseguir ver, quer a igreja Matriz, quer a paisagem marcante da serra de Monchique ao fundo mostra-nos como era a cidade por alturas do seu primeiro jubileu, basicamente, uma pequena cidade ainda com muitos contornos de uma ex-vila algarvia.

Ainda por falar na Igreja Matriz, esta foto ajuda-nos a imaginar um pouco do que terá sido o horror ocorrido durante o terremoto de 1 de Novembro de 1755 (o mesmo que destruiu grande parte de Lisboa), quando o nível do mar chegou bem perto da igreja através da onda do tsunami produzido pelo sismo com epicentro no mar.

Por último, a presença do (agora) já centenário Quiosque Jardim, marca definitivamente um dos pontos mais históricos da cidade de Portimão.

Que memórias, emoções ou lembranças vos traz esta foto?

Categories: Algarve, Alma do tempo, Curiosidades, Momento de Basbaque, Portimão, Vale por mil palavras | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , | 2 comentários

Bizarro mas verídico – Cidade espanhola envia dejetos de cães para casa dos donos

vitormadeira.com - 2013-06-06 EMARP dispensado sacos dejetos caninos

Uma das coisas que mais me custa na cidade de Portimão, é saber que alguns dos munícipes que são donos de animais de estimação, nomeadamente cães, não dão uso aos equipamentos com sacos para recolha de cocós que a EMARP coloca à sua disposição para que a cidade possa manter-se limpa… Não há desculpas! Todos os dias os dispensadores são revistos e, só em último caso de rotura de stocks (ou por manifesta maldade) é que alguém poderá dizer que não tem sacos disponíveis para recolher a trampa dos seus cachorros…

Então e uma ideia destas por cá…? (numa altura em que muita gente procura ocupação, poder-se-ia pensar num part-time para jovens – ou simples voluntários com vontade de ajudar.) Torna-se sonante:queda de 70% na quantidade de dejetos encontrados nas ruas“.

vitormadeira.com - 2013-06-06 entrega de encomenda pacote correios fragil

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Cidade espanhola envia dejetos de cães para casa dos donos

Uma cidade espanhola encontrou uma forma invulgar de manter as ruas limpas dos dejetos dos cães. Os donos dos animais receberam nas suas casas uma caixa com os dejetos, marcados como “objeto perdido”.

O concelho de Brunete, uma pequena cidade perto de Madrid, lançou, recentemente, uma campanha para dar uma lição a alguns donos irresponsáveis.

Durante uma semana, foram reunidos cerca de 20 voluntários que patrulharam a cidade à procura de donos que não recolhiam os dejetos dos seus animais.

Ao tentar conversar com as pessoas, os voluntários descobriam o nome e a raça dos animais para aceder à base de dados de animais de estimação registados na Câmara Municipal.

Os dejetos foram colocados numa caixa onde se podia ler”objeto perdido” e eram enviados para as residências dos donos.

No total, foram enviadas 147 caixas e registou-se uma queda de 70% na quantidade de dejetos encontrados nas ruas.

Vi aqui

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

vitormadeira.com - 2013-06-06 caca cão dejetos caninos calçada via publica dona porca cidadania

Categories: Bizarro mas verídico!, Curiosidades, Momento de Basbaque, Vale por mil palavras | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Bizarro mas verídico: O Pingo Doce do meu…

vitormadeira.com - 2013-03-22 Saco reutilizável no Pingo Doce 01(Esta vai para os fervorosos contestatários do acordo ortográfico de 1992…)

“Sois alma e vida minha
Pingo Doce do Continuar a ler

Categories: Algarve, Alma do tempo, Bizarro mas verídico!, Curiosidades, Demasiado tempo livre a mais, Entre o teclado e a cadeira, Humor, Momento de Basbaque, Portimão, Publicidade traiçoeira, Vale por mil palavras | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , | 6 comentários

Dia do pai 2013 – Ou como tenho uma ‘personal trainer’ em casa e nem sabia…!

Dia do pai 2013

Pronto, aqui está o mais surpreendente relatório que recebi para me inteirar acerca da minha forma física

Então diz este relatório que o Pai é bom, e…? Querem ler o relatório, é? Continuar a ler

Categories: Boas vindas, Coisas Divinas, Curiosidades, Humor, Momento de Basbaque, Pensamentos e Filosofias, Vale por mil palavras | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 comentários

Vale por mil palavras – Google Streetview chega a Portimão

vitormadeira.com - 2013-03-07 Google Streetview chega a Portimão
Notícia acabadinha de sair!

Para quem não sabe, o ‘Streetview‘ (que, traduzindo para português significa literalmente “vista de rua”) é uma das funcionalidades dos mapas na internet da Google (Google Maps) e que nos permite visualizar as ruas das cidades como se estivéssemos a conduzir um veículo pelas suas ruas.

Para conseguir este feito, a Google coloca centenas de automóveis (em Portugal, com o apoio da Opel/General Motors) a fotografar cada uma das ruas das nossas cidades, numa tarefa hercúlea, possibilitando-nos, por exemplo, preparar uma viagem a um local distante sem que tenhamos que sair do conforto da nossa secretária, em frente ao computador.

Ora, há cerca de 2 anos que já tínhamos Lisboa, Porto e mais algumas cidades, mas o resto do país, embora já tivesse sido fotografado, estava ainda pendente da resolução do problema da privacidade, uma vez que diversas pessoas apresentaram queixa à Comissão Nacional de Protecção de Dados, mostrando o seu descontentamento perante as suas fotografias que passavam a estar disponíveis de forma pública na internet sem a sua autorização.

Agora, o Streetview chega a quase todo o país (incluindo o nosso Algarve e Portimão em particular) e, para que isto fosse possível, a Google teve que criar uma forma de desfocar todas as faces das pessoas fotografadas (o que, para muitos ainda não é ainda uma garantia de solucionar o problema)  mas aparentemente, terá sido suficiente para a Comissão Nacional de Protecção de Dados autorizar a publicação.

Assim, e por exemplo, para Portimão, temos agora a possibilidade de fazer uma breve viagem no tempo e voltar atrás para verificar como andavam as coisas por cá há cerca de 2 anos atrás (será fácil detectarem a idade das fotos ao passarem, por exemplo, na zona do Centro Comercial Aqua – vejam aqui).

Os mais cuscos, poderão também dedicar-se a procurar cenas insólitas como a que alguém já encontrou no distrito de Viseu, perto de Castro D’Aire, onde… (enfim, deixo para quem for mais curioso a decisão de seguir para aqui)

E vocês, já passaram pelo Google Streetview para tentar encontrar alguma situação mais caricata?

Ou já conseguiram encontrar os vossos amigos ou familiares (ou quem sabe, vós próprios) nas fotografias de rua tiradas pelos carros da Google?)

Categories: Algarve, Boas vindas, Curiosidades, Demasiado tempo livre a mais, Portimão, Tecnologia, Vale por mil palavras, Viagens e Paisagens | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

1461 dias…

1461 dias completados hoje

…completados hoje pelas 9h55.

É a melhor coisa desta vida!

Categories: Coisas Divinas, Pensamentos e Filosofias, Vale por mil palavras | Deixe um comentário

Vale por mil palavras – O Algarve com a amendoeira em flor

vitormadeira.com - 2013-02-04 Um Algarve em vias de extinção (casa algarvia com amendoeira em flor)

Um Algarve em vias de extinção (casa algarvia com amendoeira em flor)

A foto que hoje proponho certamente que diz muito a muitos algarvios, acredito que sim.

Infelizmente, é uma imagem dificilmente reproduzível nos dias de hoje de forma mais ‘natural’ (atualmente quase ninguém usa cal para caiar as suas paredes, por exemplo), mas, para quem uma vez ou outra decida dar um passeio por esse Barrocal fora, ainda é possível encontrar algo semelhante entre finais de dezembro e meados de fevereiro.

Como portimonense com raízes profundamente marcadas pela vida rural da zona de Alcalar e arredores, esta é uma imagem (ainda) bem presente na minha memória, que me traz a recordação dos invernos soalheiros com as amendoeiras em flor nos campos circundantes a fazer lembrar a lenda das amendoeiras em flor.

A título de sugestão, gostaria de deixar um sincero pedido a todas as pessoas com responsabilidades em decidir o ajardinamento das vias públicas (principalmente na minha Portimão, mas também nas outras cidades e vilas algarvias) o porquê de não dar um pouco mais de primazia a árvores como a amendoeira, a alfarrobeira, a palmeira anã, a oliveira, a figueira, etc. como árvores tipicamente relacionadas com o Algarve para efeitos de embelezamento urbano?

Tome-se como exemplo todas as palmeiras que dominam toda a extensão da avenida V3, bem como toda a zona ribeirinha na margem direita do rio Arade em Portimão: o que nos diferencia de tantas outras urbes que se pretendem ‘turísticas’ e que seguiram o mesmo exemplo? Ao colocar-me no lugar de um qualquer estrangeiro que visite a minha terra, rapidamente concluo que, de fora, qualquer um pensará rapidamente que o Algarve copiou uma qualquer urbe ribeirinha tropical, seja ela africana, sul-americana ou até asiática… (o que nos diferencia então?)

Seria ou não muito mais interessante ter um postal algarvio a correr mundo com uma imagem dominada por amendoeiras, alfarrobeiras, figueiras, etc. a dominar a paisagem urbana? Acredito que isso seria uma mais valia para ajudar a combater de certa forma a sazonabilidade que caracteriza o negócio turístico do Algarve. Acredito que quem vem de fora levaria essa imagem na sua memória, criando um genuíno desejo por parte de outros em visitar e conhecer um verdadeiro Algarve mais ligado às suas raízes e tradições…

O que acham?

Categories: Alma do tempo, Curiosidades, Momento de Basbaque, Vale por mil palavras | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 5 comentários

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: