História e Acontecimentos

O drone voa em Portimão – Centro comercial Aqua

1990s - Portimão Boavista atual local Centro Comercial Aqua ainda sem construções

Tenho a certeza que os leitores deste blogue irão perdoar o título desta publicação, e aceitarei que me digam que “é para inglês ver” (vulgo “clickbait“, como dizem os entendidos das tecnologias e das especulações sociais…)

Na verdade, na época em que esta foto foi captada, presumo que nem sequer existiriam ainda essas fantásticas máquinas voadoras, ou se existiam nada se pareceriam com o que hoje conhecemos como drones.

No centro da fotografia é possível verificar todo o espaço que o atual centro comercial Aqua ocupa, bem como as ruínas da antiga fábrica de conservas no extremo poente do terreno, da qual, apenas resiste a típica chaminé.

No canto inferior direito, é possível identificar parte do local onde mais tarde surgiu o “Retail Renter”, local onde atualmente se situa a grande loja de eletrodomésticos Worten, a loja de roupa C&A, o supermercado Iceland / Overseas, ou o restaurante Burger King.

Com especial destaque, no canto inferior esquerdo, o edifício da CRACEP, essa instituição portimonense que muito tem feito por tantos cidadãos locais (e não só) com necessidades especiais.

Fica a memória de outros tempos…

Categories: Boas vindas, Curiosidades, História e Acontecimentos, Portimão | Etiquetas: , , , , , , , , | Deixe um comentário

Ficámos sem David Bowie…

 

David Bowie

Hoje o dia iniciou especialmente atribulado lá por casa. Quem tem filhos pequenitos sabe que o inicio das segundas feiras é sempre uma tremenda aventura.

A mais crescida já vai com os seus 6 anitos, prestes a fazer os 7, e desta vez estava um pouco ensonada de mais, pelo que decidi procurar qual dos canais habituais (RTP2 e Panda) teria uns desenhos animados mais propícios para lhe trazer um pouco mais de alento para melhor despertar. A escolha recaiu sobre a RTP2, mas como habitualmente, antes de passar pelos canais da animação infantil, passo os olhos pelo canal 1 da RTP, de forma a obter um breve olhar sobre o rodapé rotativo anunciando a notícia principal do dia.

“Morreu David Bowie aos 69 anos rodeado pela família.”

Doeu! Mesmo muito.

Há que anos que he habituei a viver com a música do “camaleão”, e volta e meia, o meu álbum favorito (Earthling) passava pela minha lista mensal de música obrigatória a ouvir para desenjoar da rádio (já leram a minha crítica à M80, certo?).

Estes últimos dias não eram grande exceção, e a par com algumas das muitas passagens pelo Earthling, andei a revisitar outros dos temas de álbuns anteriores que foram, também eles, parte da minha juventude nos anos 80 e 90, como o épico Heroes, o apaixonante Absolute Beginners, entre tantos outros êxitos daquele que provavelmente terá sido um dos maiores artistas pop britânicos a conseguir influenciar maior número de músicos de diversas gerações ao longo de quase cinco décadas de carreira sempre com a inovação e a auto-reinvenção na ordem do dia.

Ainda há três dias atrás, David Bowie havia completado 69 anos de idade, e, curiosamente, após alguns anos “desaparecido”, havia escolhido precisamente o dia 8 de janeiro de 2016 para lançar o seu mais recente álbum de originais (Blackstar).

Claro que, vistas bem as coisas, e porque se sabe agora que faleceu devido à batalha de 18 meses perdida contra uma doença oncológica, tudo terá sido preparado com a mestria que seria de esperar vindo de quem veio. Quase que se poderia dizer que Bowie terá tentando sincronizar o dia do lançamento da sua derradeira obra, com o dia da sua própria morte, mas isso já é muita especulação.

Porque Earthling é provavelmente um dos álbuns menos conhecidos de David Bowie (vá, também porque é o meu favorito dele) proponho ouvi-lo todo de uma ponta à outra, pois mesmo sabendo que conta quase com 20 anos desde que foi editado, atrevo-me a dizer que, caso tivesse sido lançado hoje, estaria tão atual como qualquer obra de originais com que o ‘mainstream‘ nos presenteia diariamente:

Categories: História e Acontecimentos, Música, Musicos com GARRA! | Etiquetas: , , , , , , , , | 2 comentários

A democracia não é perfeita, e é o melhor que temos, mas há que cuidar dela!

vitormadeira.com - 2015-10-08 California1980-22_prisoes-1_universidade

“Desde 1980, O Estado da Califórinia construíu 22 prisões e 1 universidade.”

“SINCE 1980 CALIFORNIA BUILT 22 PRISIONS 1 UNIVERSITY”

Os tempos que vivemos aqui em Portugal são de incerteza. Muitos ficaram tristes com o resultado das recentes eleições legislativas, e muitos mais ainda ficarão tristes com as (mais que certas) “novidades” que teremos que enfrentar quando as primeiras medidas do novo governo se começarem a fazer sentir.

Mas tudo isto faz parte do “jogo” que a democracia nos obriga a jogar. É que, embora seja um jogo que exige tremendos golpes de cintura, ainda é o melhor tipo de jogo que se conhece para dirigir Estados e Nações.

E foi no seguimento de uma reflexão de como se devem gerir Estados e Nações que esta imagem surgiu algures numa partilha das redes sociais.

Achei esta comparação demolidora: DESDE 1980, SÓ NO ESTADO DA CALIFÓRNIA, FORAM CONSTRUÍDAS 22 PRISÕES E APENAS 1 (UMA) UNIVERSIDADE.

A disparidade de valores entre o que um dos Estados mais sonantes de uma das maiores democracias do planeta, investe na edificação de suportes à educação e em suportes ao encarceramento da população, levam-nos a ter que refletir o que nós (eleitores) andamos a exigir das nossas democracias.

Ou será que iremos colocar eternamente as culpas nos políticos que elegemos em vez de começarmos a tomar consciência de que as políticas que os governos dos Estados desenvolvem, são as políticas pelas quais, os eleitores, votam?

Tenho plena consciência de que a condição geral norte americana é bem diferente da condição geral europeia, mas com as recentes crises migratórias, como estaremos nós, europeus, dentro de uma ou duas gerações?

Qual o caminho que os eleitores europeus irão decidir seguir? A educação ou o encarceramento?

Categories: Alma do tempo, Bizarro mas verídico!, Curiosidades, História e Acontecimentos, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , , , , , | Deixe um comentário

RUBY BRIDGES faz HOJE 61 anos. Parabéns, a uma mulher que é exemplo de CORAGEM!

Ruby Bridges com 6 anos a descer a escadaria da escola primária em 14 de novembro de 1960

Ruby Bridges com 6 anos a descer a escadaria da escola primária em 14 de novembro de 1960

Quando tinha 6 anos, Ruby Bridges tornou-se famosa por se ser a primeira criança com pele de cor negra a entrar numa escola primária do Sul dos Estados Unidos onde a segregação da cor da pele levou a que, até aí, apenas crianças com pele de cor branca fossem autorizadas a estudar.

Ao entrar pela primeira vez na Escola Primária Wiliam Frantz de Nova Orleães, no dia 14 de novembro de 1960, a então caloira seguia rodeada por uma equipa de polícias federais U.S. Marshals, enfrentando uma multidão carregada de ódio que gritava e atirava objetos demonstrando o seu repúdio por considerarem que nesta escola as crianças com pele de cor negra não tinham lugar.

Um dos agentes da polícia federal, Charles Burks, que serviu de segurança na equipa que escoltou Ruby, recorda a coragem demonstrada face a semelhante ódio: “Para uma menina de seis anos de idade que entra numa escola estranha com quatro polícias que lhe eram completamente estranhos, em direção a um lugar onde nunca antes tinha estado, ela mostrou muita coragem. Nunca chorou nem choramingou. Parecia um pequeno soldado a marchar. Estávamos todos muito orgulhosos dela.”

No entanto, depois de entrar Ruby descobriu que a escola estava vazia de colegas de turma, uma vez que os pais das crianças com pele de cor branca tinham retirado todas os seus filhos devido à sua presença. A única professora disposta a ter Ruby como estudante foi Barbara Henry, que tinha recentemente mudado de residência, vinda de Boston. Foi a professora da Ruby durante todo o primeiro ano na escola devido à recusa dos pais das crianças com cor de pele branca em ter os seus filhos na mesma sala de aula de criança negra.

Apesar do assédio diário, que exigia que os polícias federais continuassem a acompanhar Ruby durante meses a fio; a par das ameaças contra sua família; a par com a perda de emprego do seu pai, devido ao papel desempenhado pela sua família na integração escolar, Ruby persistiu em frequentar a escola.

No ano seguinte, quando voltou para o segundo ano, desapareceram as manifestações de raiva e mais crianças com cor de pele negra juntaram-se a Ruby na mesma escola. O esforço pioneiro de integração escolar foi um sucesso devido a uma menina de seis anos chamada Ruby Bridges, fonte de inspiração de coragem, perseverança e resiliência.

Com 6 anos apenas, uma pequena criança da idade da minha filhota Rute (que este ano se estreia também na escola primária, embora com problemas consideravelmente menores pela sua frente) ajudou a mudar o mundo, o que, provavelmente devido à ‘redondeza’ dos números coincidentes com o caso da minha filhota, me levam a não deixar de prestar a minha sentida homenagem a esta data. Parabéns Ruby Bridges.

vitormadeira.com - 2015-03-13  Ruby Bridges 21 Set 2010

Ruby Bridges em 2010.

Categories: Alma do tempo, Boas vindas, História e Acontecimentos | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , | 2 comentários

Um adeus… e até já…

2015-01-25_Avozinha_Rosa_tender_pao

A partida de um ente querido é e sempre será um dos momentos mais marcantes da vida de qualquer ser humano.

Ontem, de madrugada, partiu uma das minhas mães. Pode parecer pretensioso da minha parte dizer que tinha duas mães, mas muitos sabem bem o quanto a “Ti” Rosa era verdadeiramente a minha segunda mãe. A minha “avozinha”, como me habituei carinhosamente a chamá-la, seguiu para a sua última viagem.

A Senhora que ajudou a fazer deste feliz algarvio ser quem é deixará certamente muitas saudades a tantos outros algarvios quer da sua zona, quer um pouco por todo o Algarve que se habituou a deliciar com as suas famosas tibornas, o seu jeitinho especial de fazer o ponto cruz e a sua infindável paciência para o ensinar às suas alunas mais seniores, ou simplesmente a sua amizade tão querida.

Obviamente que uma parte de mim partiu também ontem com ela, pois uma mãe saberá sempre algo mais sobre nós do que nós próprios alguma vez sonharemos saber. A saudade já é mais do que muita.
Em memória de Rosa da Conceição Furtado
(para muitos “Ti” Rosa, para tantos Rosa “Branca”)
1929 – 2015

Categories: Alma do tempo, Boas vindas, História e Acontecimentos | Etiquetas: , , , , , , , | 2 comentários

Mexilhoeira em Alcalar – os saberes e as tradições do barrocal algarvio

vitormadeira.com - 2013-09-20 Alcalar Antonio Rosa Branco jornadas patrimonio museu municipal Portimão

Amanhã (sábado 21 de Setembro de 2013) no Centro Interpretativo de Alcalar, a partir das 16h00 será possível fazer uma viagem aos saberes e tradições da comunidade da Mexilhoeira Grande. O Museu Municipal de Portimão, a propósito das Jornadas Europeias do Património, apresenta este ano junto aos monumentos megalíticos de Alcalar um palco cheio de atividades tradicionais da região ao vivo.

Tudo leva a crer que será um dia em cheio, com histórias contadas pelos mais velhos, onde será possível participar em atividades como a moagem, a cestaria, a empreita, o fabrico do pão, e ainda brincar como antigamente com o pião, os berlindes, a malha, as caricas e por ai fora…

Por exemplo, sabiam que o pão caseiro é feito com fermento feito no dia anterior (e com base em massa da anteior cozedura), e que, se levar fermento inglês já não é caseiro? E até parece que, de noite haverá desfolhada companhada com música de concertinas e biscoitos fritos para degustar! Saberes e sabores que as gerações de outrora agora partilham connosco.

O António Branco e a Rosa “Branca” (meus avós maternos) foram convidados pelo museu para participarem neste evento que, a par com a história milenar dos monumentos megalíticos de Alcalar, promete alargar bastante os horizontes de todos os que por ali passarem amanhã.

Certamente a não perder!

Categories: Algarve, Alma do tempo, Curiosidades, Fim de semana em Portimão, História e Acontecimentos, Portimão | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 comentários

Por favor poupem-me à TRETA do “pai natal”!

 

Poupem-me à TRETA do ''pai natal''!

Poupem-me à TRETA do ”pai natal”!

Uma mentira não pode ser considerada mais ou menos mentira (ou maior ou menor mentira). Ou é uma mentira, ou é uma verdade. Neste aspecto não existem tons cinza entre o preto e o branco… Podem-me dizer que existem mentiras que têm maiores ou menores repercussões, o que até posso aceitar, mas são mentiras e ponto final.

Custa-me observar uma sociedade que se diz “evoluída”, “tolerante”, “moderna”, etc. mas que, quando chega à altura do Natal embarca no engano contra as crianças que são os adultos em potencial, os dirigentes das nações, os cidadãos que virão a ter as respetivas responsabilidades para decidir o seguimento de muitas das nossas vidas no futuro.

Depois, vimos queixar-nos dizendo que os nossos líderes não servem para tomar decisões ‘capazes’… Pudera, desde tenra idade começam logo por ser (literalmente) enganados por aqueles que teoricamente deveriam ser quem mais lhes deveria amar… (os seus pais, certo?)

NENHUM pai deveria sentir prazer ao mentir a um filho!

(e se tu que estás a ler este texto és daqueles que acham que contar a treta da história do ”pai natal” que desce pelas chaminés das casas e deixa presentes na noite de Natal dentro dos sapatinhos das criancinhas que se portaram bem durante o ano, então volta a ler o que escrevi no primeiro parágrafo deste artigo.)

Nestas alturas seria melhor olhar um pouco mais para oriente e tentar procurar um pouco mais do que inegavelmente são as bases da nossa sociedade…

Tenho uma filha com quase três anos, e fiquei muito triste ao saber que o infantário onde ela frequenta iria organizar a “ida à estação de correios local para entregar as cartas com os pedidos de prendas das meninas e dos meninos ao ”pai natal“… E o mais curioso, é que a instituição diz-se de inspiração católica (sendo que pertence à casa da misericórdia local, ainda por cima…)

O que se passa connosco? Porque descemos assim tanto?

Mas existe alguma forma de aceitar o que andamos a fazer com os nossos filhos, que são as pessoas de quem mais gostamos e que, teoricamente, deveriam ser os seres que mais verdade deveriam receber da nossa parte?

Ao falar com a educadora da sala da minha filhota, ainda fiquei mais perplexo, pois vejo que infelizmente, a história do ”pai natal” é transmitida como um dado adquirido de que há um “senhor velhinho muito gordinho que distribui presentes às criancinhas carenciadas” (provavelmente uma adaptação do venerado são Nocolau venerado em tempos idos pelos católicos) – mas parece que alguém se esquece de explicar onde encaixa a treta das renas voadoras…?

E para me tentarem fazer ver que é bom criar ilusões descabidas no imaginário das crianças, fazendo-lhes crer que essas mentiras são verdades, ainda tentam vir com histórias de que alguns dos modernos estudiosos da psicologia defendem este tipo de mentira para criar um imaginário saudável às crianças…. A esses supostos psicólogos, eu gostaria de os mandar ir a um certo sítio…

Então mas eu por acaso iria alguma vez aceitar que a minha filha embarcasse nessa tremenda mentira que é utilizar o edifício e as pessoas da estação de correios local (portanto uma coisa VERDADEIRA) para incutir uma MENTIRA no seu imaginário só porque os educadores da actualidade são incapazes de pensar um pouco pelas suas cabeças e usar a palavra “LENDA” para colocar a história do ”pai natal’ no lugar onde definitivamente deveria estar?

E sabem do mais curioso? Na época do Natal, bem ou mal, celebra-se o nascimento de Cristo (a meu ver, na data e com o propósito errados – mas infelizmente, é o que conseguimos obter desta sociedade) mas se eu tentar chegar perto das pessoas responsáveis nos infantários e lhes pedir para explicarem a história do nascimento de Cristo, ou para que passem um filme alusivo ao tema, então, aí, as conversas começam a ser mais breves, o assunto torna-se mais ‘pesado’, os semblantes fecham-se e a história começa a ser outra…

Pois, a conclusão a que chego é que os adultos que (infelizmente) se vêm obrigados a embarcar nestas tristes histórias, eles próprios são na verdade os que necessitam de um pouco de imaginário nas suas vidas, de forma a tentarem compensar as suas rotinas mais ou menos insatisfatórias…

Combater a verdade com a mentira nunca pode dar bom resultado. Esta pode ser uma batalha mais ou menos solitária, mas para mim, prefiro munir-me da verdade para com os que amo (ou melhor, para TODOS independentemente de gostar ou não deles) do que andar atrás de “filmes”…

.

No dia em que todo o mundo anda às aranhas com outra treta, convencidos de que o calendário que o imperador Júlio César mandou criar em 48 a.C., que foi depois alterado pelo papa Gregório em 1582, poderia prever o fim do mundo, eu digo: Tudo tem um limite e para a mentira o limite tem que ter rédea ainda mais curta!

.

Obrigado.

Categories: Alma do tempo, Bizarro mas verídico!, Boas vindas, Coisas Divinas, Curiosidades, Demasiado tempo livre a mais, História e Acontecimentos, Momento de Basbaque, Pensamento para a semana, Pensamentos e Filosofias, Publicidade traiçoeira, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Bizarro mas verídico: Deputado comunista português cita a Bíblia para confrontar governo

Há coisas que não se vêm (ou se ouvem) todos os dias… (puxem para os 1m50s para abreviar)

.

.
O deputado comunista (Partido Comunista Português) Bernardino Soares cita o Levítico, um dos livros do Antigo Testamento da Bíblia para confrontar o ministro dos negócios estrangeiros Paulo Portas (pertencente ao Partido do Centro Democrático Social de cariz “democrata Cristão”) para demonstrar que a actual situação vivida em Portugal (empréstimo de auxílio ao pagamento da dívida externa do país condicionado ao pagamento de juros elevadíssimos sobre o mesmo – considerado por isso usura sobre o povo) que é possível renegociar com os credores uma situação mais sustentável.

Haja FÉ! Com sinais destes, quem duvida que muito mais ainda está para vir? 😉

Categories: Alma do tempo, Bizarro mas verídico!, Boas vindas, Coisas Divinas, Curiosidades, História e Acontecimentos, Pensamentos e Filosofias, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Bizarro mas verídico – Um facto curioso sobre a antiga ditadura portuguesa de Salazar

O ditador António de Oliveira Salazar comparável a uma maçã podre na capa da revista TIME (22 Jul 1946 - EUA)

O ditador Salazar comparável a uma maçã podre – Revista Time de Julho de 1946 (EUA)

Neste blog não pretendo manifestar intenções políticas (até porque não tenho qualquer tipo de vínculo com qualquer partido político seja ele qual for) mas como cidadão de uma república democrática que sou, exerço o meu direito de livre expressão das minhas opiniões pessoais neste meu pequeno cantinho da internet.

O que hoje pretendo compartilhar é algo que creio que todos os cidadãos deste país deveriam tomar conhecimento. É um pouco de história de Portugal, embora seja uma das partes da história do nosso país menos conhecida (e de certa forma menos apetecível de conhecer…)

Durante mais de 40 anos Portugal viveu debaixo de uma ditadura dirigida por António de Oliveira Salazar. Muitas ainda hoje são as vozes dos que sentiram na pele horrores das imposições que o regime político de então exercia sobre o povo, e creio que a memória do país nunca poderá esquecer este aspecto.

Contudo, e não pretendendo minimamente ser o defensor do demónio, creio ser importante olhar de forma diferente para alguns aspectos que o regime considerava importantes para a difícil tarefa que é dirigir um país pequeno e pobre como era então (e por incrível que possa parecer – ainda o é hoje!) Portugal:

.
– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
(parte da) Constituição do Estado Novo (11 de Abril de 1933*)

Artigo 114

“São crimes de responsabilidade os actos dos ministros e sub-secretários de Estado e dos agentes do Governo que atentarem:

  1. Contra a existência política da Nação;
  2. Contra a Constituição e o regime político estabelecido;
  3. Contra o livre exercício dos direitos políticos e individuais;
  4. Contra a segurança interna do País;
  5. Contra a probidade da administração;
  6. Contra a guarda e emprego constitucional dos dinheiros públicos;
  7. Contra as leis da contabilidade pública.

Ponto Único: A condenação por qualquer destes crimes envolve a perda do cargo e a incapacidade para exercer funções públicas.”

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Após o golpe de estado de 25 de Abril de 1974, o artigo seria apagado da nova Constituição (em 1976) surgindo apenas – 11 anos depois – a lei n.º 37 de 1987, designada como Lei de “Crimes de Responsabilidade dos Titulares de Cargos Políticos“. Contudo, esta mesma lei não permite a punição da gestão danosa, da infidelidade na condução dos negócios públicos nem os gastos que podem conduzir à insolvência negligente do Estado. A única punição realmente “visível” que se conhece para os titulares (e ex-titulares) de cargos políticos, no que respeita aos crimes acima citados é… A perca de eleições!

Seria por isso, impossível, acontecer em Portugal o que actualmente se passa na Islândia. (julgar um ex-primeiro-ministro por ter arruinado o país, por exemplo) Mas deveríamos nós (povo de um país democrático) exigir semelhante artigo de volta na actual constituição em vigor?

Que se desenganem os ávidos leitores deste blog que eventualmente possam confundir este pequeno artigo com uma hipotética defesa (fosse de que forma fosse) da antiga ditadura de Salazar! Não o estou a fazer! Ainda creio que a Democracia, embora ela própria também cheia de defeitos e vicissitudes, ainda é o melhor regime político de que se tem conhecimento que nos permita exercer a o direito à livre expressão – de forma realmente livre. O que pretendo é recordar um pouco da história de algo que se julgava 100% mau, mas que, na verdade, pode ter reais lições para a actualidade (e um pouco mais além!)

E para ti que és pai ou que és responsável pela educação de menores, usa este pequeno ensaio para conseguires revelar de forma mais vincada a verdadeira razão do imperativo de que é ter de se estudar história. A memória popular é muito volátil, e é sabido que, a muitos sabe-lhes bem essa volatilidade, conforme os seus interesses, pelo que não será difícil concluir que os erros do passado cujos factos estão esquecidos, poderão ser actualmente repetidos com grande dano para todos nós…

Não deixemos que interesses escalavrosos alheios atentem contra direitos que nos assistem a nós e aos nossos.

.

Notas:

  • A constituição do Estado Novo (Constituição Política da República Portuguesa) entrou em vigor a 11 de Abril de 1933 tendo sido publicada no Diário do Governo a 22 de Fevereiro do mesmo ano (consultar online). Foi substituída pela actual Constituição da República Portuguesa que entrou em vigor a 25 de Abril de 1976.
  • A fotografia de Salazar na revista TIME é verídica e foi publicada 22 de Julho de 1946, tendo sido proibida a sua distribuição em Portugal pelos serviços de censura do regime de então.
Categories: Alma do tempo, Bizarro mas verídico!, Curiosidades, História e Acontecimentos, Momento de Basbaque, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Uma notícia triste – faleceu o professor José Hermano Saraiva

Para mim é uma notícia deveras triste (embora de certa forma já expectável, pois creio que era mais ou menos do conhecimento geral que o seu estado de saúde estava bastante debilitado)…

Com 92 anos partiu José Hermano Saraiva, um dos sábios que mais nos ajudaram a compreender um pouco mais de história de Portugal (e não só), ao que eu próprio aqui deixo esta pequena homenagem pelo seu desaparecimento…

Foi ministro da Educação entre 1968 e 1970, período durante o qual enfrentou a crise académica de 1969, tendo sido por vários apontado como um dos ministros-chave do regime de Olivera Salazar. Foi depois embaixador de Portugal no Brasil, entre 1972 e 1974.

Nas últimas décadas distinguiu-se pela sua colaboração televisiva com a RTP em programas sobre a história de Portugal, apresentados de uma forma muito própria e expondo teorias por vezes contestadas no meio académico.  Pessoalmente recordo ainda os programas “Horizontes da Memória”, “O Tempo e a Alma”, “Histórias que o Tempo Apagou” e “A Alma e a Gente”.

.

Há uma frase que diz: “Por cada velhinho que morre, há uma biblioteca que arde.” – Neste caso, não poderia estar mais de acordo.

.

Espero sinceramente que as lições que ministrou a todos nós, a par com a obra que fez por cá em vida lhe possam valer para agora a conseguir o lugar eterno que (creio) merecer…

Categories: Alma do tempo, Curiosidades, História e Acontecimentos, Pensamentos e Filosofias, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Estrada Nacional 125 – Todo o cuidado será pouco!

Esta foto está hoje a ser partilhada através das redes sociais e demonstra os momentos após um brutal acidente ocorrido ontem (9 Jul 2012) no troço da Estrada Nacional 125 entre Portimão e Lagoa (foto tirada nesse sentido de direcção do trânsito), junto a Estombar.

Segundo testemunhos de quem lá passou, estiveram envolvidos no acidente três viaturas (uma carrinha Toyota Hiace, um Volkswagen Passat, e um Renault Clio – sendo esta última a viatura capotada à esquerda na imagem), tendo estado este troço cortado nos 2 sentidos toda a manha de ontem.

Ora, neste blog de impressões pessoais não será minha intenção dar notícia dos vários acidentes que (muito infelizmente) vão ocorrendo um pouco por todo percurso da Estrada Nacional 125, mas quer como natural do Algarve, quer como morador (também no Algarve) ou como condutor (pois, também aqui no Algarve) será de todo impossível não falar pelo menos uma vez que seja acerca deste assunto por aqui…

Sobre este acidente em particular, e porque passo por ali consideráveis vezes, sinto-me no direito de opinar dizendo que este troço já nasceu “coxo”, uma vez que considero que deveria ter sido construído de raiz com 2 faixas de rodagem em cada sentido, sendo que a ponte “nova” sobre o rio Arade (gémea da ponte internacional sobre o rio Guadiana) também deveria ter sido logo preparada para tal.

Haverá algum condutor barlaventino que que não saiba que ali é um dos poucos pontos da EN125 entre Lagoa e Portimão onde por vezes se pode fugir aos 40/50 Km/h com que habitualmente se circula em toda a EN125, aproveitando por isso para efectuar uma ou outra ultrapassagem? (e não, não estou a falar de ‘loucuras ao volante’, pois segundo o código da estrada, ultrapassar não é proibido!)

E será que alguém no seu perfeito juízo poderá aceitar que em quase todo o percurso da EN125 se conduza a médias que oscilam entre os 20 e os 50Km/h? (a EN125 tem cerca de 160 quilómetros de extensão!) Já imaginaram bem o que é fazer pelo menos 40 ou 50 quilómetros a 20 ou a 40 Km/h? Qual o estado de exaustão em que um condutor que diariamente faça estes percursos se encontrará no seu dia a dia?

.

Não sei como foi este acidente em particular, mas pela foto só pode ter havido um choque frontal, logo, depreendo que tenha ocorrido após uma ultrapassagem mal pensada / demasiado arriscada (fruto de paciência “torrada” após muito tempo a conduzir a 30/40 Km/h, após quilómetros e quilómetros a fio com o Sol a queimar e a tolerância a estas situações esgotantes completamente esgotada…)

Infelizmente, ainda temos Julho e Agosto pela frente, pelo que, todo o cuidado será mesmo muito pouco…

(mesmo sabendo que, provavelmente muitos outros acidentes mais irão também ocorrer, caso as portagens não sejam suspensas para podermos ter alternativa real a este tão grande flagelo…)

Propostas construtivas:

  • De um ponto de vista RADICAL: Suspender definitivamente as portagens na Via do Infante (“A22”)
  • De um ponto de vista mais racional (tendo em vista a situação de crise que se vive): Considerando que o turismo representa perto de 10% do Produto Interno Bruto do país, seria urgente suspender as portagens na Via do Infante no período compreendido entre a segunda quinzena de Junho e a primeira quinzena de Setembro, pois é o período mais crítico de recepção de veraneantes no Algarve.
  • De um ponto de vista estatístico: Propor às comissões de utentes de estradas do Algarve para que, juntamente do INEM, das várias Associações de Bombeiros do Algarve, bem como da GNR e PSP, compilarem detalhadamente os acidentes que todos os dias vão ocorrendo na EN125. (pode ser que ajude a quem de direito a compreender melhor o que realmente se vive aqui no Algarve com as portagens na Via do Infante activas)
  • De um ponto de vista prático: Sugerir que o troço da EN125 entre Portimão e Lagoa possa ser alargado para 2 faixas de rodagem em cada sentido de forma a poder realmente funcionar como alternativa viável perante o fluxo de trânsito que por ali se verifica.

.

Que postal de férias desejamos deixar para os que nos visitam no verão?

.

Para ajudar a reflectir, fica um tema invariavelmente ligado à nossa Estrada Nacional 125:

Categories: Algarve, Alma do tempo, Bizarro mas verídico!, História e Acontecimentos, Pensamentos e Filosofias, Portimão, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Uma prendinha de Natal muito especial… Nasceu a Beatriz! ;)

Hoje, 23 de Dezembro de 2011, pelas 13h10, nasceu a Beatriz!

Assim, passo a ser titio pela segunda vez, pois desde o verão passado, que o Tó (irmão da minha esposa) e a Goreti trouxeram um lindo Gustavo que nasceu bem pequenininho, e que agora, ainda com poucos meses já está feito num matulão!

Sei que a Lili foi à pressa para a clínica (geralmente é assim, não é?) e que o Paulo ficou numa pilha de stress (e isto, é novidade nestas coisas…?) mas agora já está tudo calmo! eheheh…

Pois, como se eu não tivesse passado pelo mesmo em 2009…!

Agora, tenho a certeza de que estão todos FELIZES! É o primeiro bebé deles!

PARABÉNS PAULO e LILI!

E BEM VINDA BEATRIZ! A Rute vai adorar conhecer-te!

Categories: Boas vindas, Coisas Divinas, História e Acontecimentos | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 5 comentários

Portugal na falência: 24 de Novembro de 2011 – Hoje é dia de greve (geral)

Temo que, no estado em que este país se encontra, e se a greve estiver a correr como anunciado, eis como será o futuro da nossa Assembleia da República em Portugal:

(os interesses comerciais e económicos a tomarem conta da política em Portugal…)

Categories: Bizarro mas verídico!, Curiosidades, História e Acontecimentos, Humor, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Outubro de 2011 – Portugal vive num conto de fadas…

…ou num conto da Bela Adormecida? (vai dar tudo ao mesmo!)

Desde Junho de 2011, o actual governo já se viu obrigado a dar um valente choque na economia, tentando assim acordá-la… Ora recordemos:

1. Aumento das taxas de IRS;

2. Aumento de IRS por diminuição de abatimentos á colecta;

3. Criação de taxa especial de IRS para certos escalões;

4. Imposto especial sobre subsídio de Natal;

5. Aumento de Imposto sobre o Tabaco,

6. Aumento da taxa de IVA para vários produtos;

7. Aumento das taxas de IMI e diminuição de prazos de isenção;

8. Aumento do IRC sobre empresas;

9. Criação de taxa especial sobre IRC para empresas com lucros acima de certo valor;

10. Aumento da Contribuição de Serviço Rodoviário;

11. Aumento da taxa de IRS aplicável aos rendimentos prediais auferidos em território português por sujeitos passivos não residentes;

12. Aumento da taxa de derrama em sede de IRC para certos escalões de rendimento;

13. Alargamento à electricidade do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos e Energéticos;

14. Aumento das taxas do Imposto Sobre os Veículos;

15. Aumento das taxas do Imposto Único de Circulação;

16. Aumento do Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis

 

Será que é a solução…?

Categories: Alma do tempo, Banda desenhada, Curiosidades, História e Acontecimentos, Humor, Sociedade e Política | Deixe um comentário

Aniversário: Hoje a república portuguesa faz 101 anos – Rica república, ou pobre república?

O pensamento desta semana (publicado na segunda-feira) versava sobre a eterna questão das monarquias ou das repúblicas como formas eficientes ou não de dirigir os estados.

Por diversos anos me questionei porque é que ainda existiam homens e mulheres que, aparentemente se debatiam (bem depois do 25 de Abril) pela causa monárquica. Pois julgo que os tempos de crise e austeridade em que vivemos facilmente nos demonstram que a necessidade incessante de procurar alternativas (e o direito de o poder fazer!) é um bem precioso que, pese embora o facto de não nos alterar de forma significativa a forma como vivemos, pelo menos obriga-nos a ponderar a forma como pensamos.

Lê-se nas enciclopédias que a implantação da república portuguesa foi o resultado de um golpe de estado organizado pelo Partido Republicano Português que, no dia 5 de Outubro de 1910, destituiu a monarquia constitucional e implantou um regime republicano no nosso país.

Aparentemente, a subjugação do país aos interesses coloniais britânicos, os gastos da família real, o excessivo poder da igreja católica, a instabilidade política e social, o sistema de alternância de dois partidos no poder (os progressistas e os regeneradores), a ditadura de João Franco, a manifesta incapacidade de acompanhar a evolução dos tempos e se adaptar à modernidade, terá levado a um tremendo processo de erosão da monarquia portuguesa do qual os defensores da república, particularmente o Partido Republicano, souberam tirar o melhor proveito, aproveitando o partido republicano para se apresentar como o único partido capaz de devolver ao país o prestígio perdido e colocar Portugal na senda do progresso.

Após a relutância do exército em combater os cerca de dois mil soldados e marinheiros revoltosos entre 3 e 4 de Outubro de 1910, a República foi proclamada às 9 horas da manhã do dia seguinte da varanda dos Paços do Concelho de Lisboa.

E já depois da revolução, um governo provisório chefiado por Teófilo Braga dirigiu os destinos do país até à aprovação da Constituição de 1911 que deu início à Primeira República. (primeira, porque actualmente vamos na terceira!)

De destacar que, entre outras mudanças, a implantação da república, obrigou à substituição dos principais símbolos nacionais, tais como o hino nacional e a bandeira.

Ao fim de 101 anos, permitam-me perguntar: terá valido a pena…?

Após a passagem por um breve trecho de 16 anos em que tivemos mais de 40 governos (sim, mais de quarenta governos em apenas dezasseis anos) precedidos por uma ditadura que perdurou mais de 40 anos (Salazar e Marcelo Caetano), e finalmente “libertados” por uma revolução que aparentemente devolveu a democracia ao povo, mas que, em menos de 30 anos, se viu forçada a pedir ajuda financeira externa já por duas vezes, munindo-se de “especialistas” das “troikas” do FMI (também eles estrangeiros) que impuseram regras básicas para o suporte vital da economia, da sociedade e da unidade nacional (perante o abismo que foi a ameaça da bancarrota), literalmente mostrando ao mundo que, em forma de república (até mais ver), nós portugueses, seremos ingorvernáveis por… portugueses?

Categories: Bizarro mas verídico!, Curiosidades, História e Acontecimentos, Pensamentos e Filosofias, Sociedade e Política | Etiquetas: , , , , , | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: