Dicionário algarvio de termos e dizeres do Algarve (já com o novo acordo ortográfico)

Eis o esboço para a grande obra a inaugurar em breve, o grande “Dicionário algarvio de termos e dizeres do Algarve (já com o nove acorde ortugráfique)

Quem tiver sugestões para adicionar, é bem-vindo a contribuir! É só colocar uma resposta no fim desta página.

Espero que seja do vosso agrado.

A

Abuscar – Buscar, procurar (Ex: ‘Us cãs abuscarem os coelhes no mê do mate’)

Acarditar – Acreditar. (ex: ‘Moce, até parace que n’acarditas em mim.’)

Acêfa – Ceifa (Ex: ‘Temes c’acêfar o milhe’)

Açotêa – Terraço usado para secar frutos secos e peixe.

Ademorar – demorar (Ex: ‘Ó Chique, pra quê tamanh’ademora?’)

Adés – Adeus (Ex: ‘Adés óme, pr’ónd’é que vás?’)

Ah mon – Ai mano, ai moço. (Ex: ‘Ah mon, tá tude bem?’)

Alagar tramôçes – Preparar tremoços (que consiste em mergulhar os tremoços durante alguns dias em água corrente da ribeira após a cozedura inicial)

Alcagoita – Aperitivo para descascar e acompanhar uma cerveja bem geladinha na taberna. O mesmo que minduim. (Ex: ‘Ti Tonho, traga umas alcagoitas prá gente quemer de companha c’as sarvejas’)

Aldêa – Aldeia (ex: ‘Adés óme, a modes que vens d’aldêa?’)

Alevantar – O acto de levantar com convicção. (Ex: ‘Alevantê-me e fui-me embora!’ ou ‘Alevanta-te Zé Manel!’)

Alimpar – Limpar (ex: ‘Ó Jaquim, atão na vás alimpar u carre?‘)

Almariade – mal disposto, tonto, enjoado, conforme o contexto. (Ex: ‘Ah. mon, moce, até parece que tou almariade’)

Alpendrada – o mesmo que alpendre.

Alumiar – Apontar uma luz em direção a algo. (Ex: ‘Ó Luís, alumeia-me aqui o caminhe’)

Alvariade – Alguém que anda com a “cabeça no ar” por causa de namoro. (Ex: ‘Maldeçoada da minha filha, c’anda alvariada per’cása daquele maldeçoade’)

Amandar – O acto de atirar com força: (‘O guarda-redes amandou a bola pra lá de Cacilhas’)

Amantizade – Alguém que vive maritalmente com outra pessoa sem contudo ter casado para o efeito. União de facto. (Ex: ‘A Maria e o Manel vivem amantizades’)

Amarinhar – Ir para o mar tripular navios (Ex: ‘U mé filhe anda amarinhade’)

Amigáde – Semelhante a Amantizade.

Amódes – De maneira que… (Ex: ‘Amódes q’iste é assim’ – Ver também ‘De modes’)

Andande – Andando. (Ex: ‘Cagande e andande’)

Andémes – Andámos (Ex: ‘- Ondé c’anderem moces? – Andémes na debulha.’)

Andérem – Andaram (Ex: ‘-Ondé c’andeste? -Andi pur aí.’)

Andarem – O mesmo que Andérem.

Apertelência – Ousadia (Ex: ‘Tem munta apertetência, aquele Tonhe Jaquim.’)

Arrear – Deixar caír, desistir, bater, embater, esmurrar. (Ex: ‘Vou-t’arrear umas purradas!’)

Arrelampag – Efeito luminoso que ocrre normalmente durante as tempestades. (Ex: ‘Moce, tira-te daí c’ainda levas com um arrelampag!’)

Arram – Rã (Ex: ‘Fui à rebêra e vi uma arram’)

Arreata – Lábia, ousadia (Ex: ‘Tem uma arreata, aquele Ventura…’)

Arrenca-pinhêres – Homem muito baixo e muito magro.

Arrencar – Arrancar (Ex: ‘Brune, já arrencast’us pregues?’)

Arrioça – Baloiço (Ex: ‘Jorge toma cuidade pra na caíres d’arrioça.’)

Aspergic – Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.

Assebiar – Assobiar (ex: ‘U Nune assebia munte bem’)

Assebida – Parte de uma estrada ou caminho com uma inclinação ascendente acentuada (Ex: ‘Danada daquela assebida, aquile é que custa a assebir!’)

Assentar – O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento. (Ex: ‘Atã na ‘tassentas Jaquim?’)

Atão – Então (Ex: ‘Atão Mari-Tereza, na t’espachas?’)

Auga – Água (Ex: ‘Na bebas áuga antes de dermir Zé Manel, que mijas na cama’)

Avó – Avô (no masculino) (Ex: ‘O mê avó tem muntas farrobas’)

Avó – Avó (no feminino) (Ex: ‘A minha avó tá’amassar o pão’)

B

Baldear – Enlouquecer (Ex: ‘Agora é que cumadre Silvina baldeou de vez…’)

Bassôra – Também com a vertente ‘vassoira’. Utensílio doméstico para recolha de lixo, habitualmente com a ajuda da ‘apá’.

Belancia – Melancia (Ex: ‘Agora come-se a belancia’);

Barimbar – Indiferença, não querer saber (ex. ‘Tou-m’a barimbar pra isse’)

Barreca – Barraca (Ex.: ‘Prontes, já tá a barreca armada’.)

Batenêra – Máquina que serve pra fazer betão, cimento armado. (Ex: ‘Moss, liga a batenêra’)

Bele – Belo (Ex: ‘Cumadre, que beles trabalhes de renda’)

Benite – Bonito

Berculose – Tuberculose (Ex: ‘O pobre do Asdrubal tá com berculose’)

Berracha – Bebedeira (Ex: ‘À maldeçuade! Na’m’apareças aqui cuma berracha comá d’ótra vez’)

Béqme – Bem que me… (Ex: ‘Béqme parecia crer… É sabia!’)

Besaranha – Vento desagradável (Ex: ‘Andava cavande mas o raie da besaranha na me largava da mão’)

Bicha – Cobra, víbora

Borra-botas – Profissional de fraca qualidade cujo trabalho é deficiente

Bradár – Gritar (Ex: ‘Ó Flipe, tu na m’ouves é bradar per ti?’);

Bucha – Almoço, merenda ou lanche (Ex: ‘Iste já tá na hora da bucha’)

Buftada – Chapada (Ex: ‘Ah maldeçoade dum ladrão… Tás aqui, tás a levar uma buftada.’)

C

Cabele – Cabelo

C’anda – Que anda (Ex: ‘O Tonhe é c’anda com a enxada’)

Calêra – Camalhão usado para abrir regos (rede de canais na terra) usados da rega artesanal introduzida pelos árabes a península ibérica.

Cagade - sujo com qualquer substância; falhado; sortudo – conforme o contexto (Ex: ‘Tonhe, tás tode cagade’)

Cagalôse/a – Pessoa sensível, medrosa. (Ex: ‘Ó Chique, hoje tás tode cagalôse!’)

Cagorre – Susto (ex: ‘Aquele maldeçoade do Zé da Silva, amandou-me um cagorre c’até vi luzes’)

Caguifa – Medo. (Ex: ‘De nôte tenh’uma cacuifa, mas de dia na tenhe’)

Caminéte – Autocarro (Ex: ‘Ontre-dias atrazê-me e perdi a caminéte’)

Caminhe – Caminho, caminhar. (Ex: ‘É caminhe no caminhe’)

Campe – Campo

Cantarinha – O mesmo que cântaro. (Ex: Fui ó pôce e dexê caír a cantarinha’)

Capacha – Tapete. (ex: ‘Tenhe as capachas du carre todas nejentas’)

Capache – O mesmo que capacha, abanico para avivar o lume. (ex: ‘Carles, da dêxes o fogue s’apagar! Abana isse c’u capache’)

Capom – Porta que tapa o motor do automóvel que quando se fecha faz POM!

Catatumbas – Sitio para onde se vai depois de morto. (Ex: ‘É cá nã quer’ir pr’uma catatumba, quer’ir pró chão’)

Cáxa – Caixa (Ex: ‘Moce, na dás uma prá cáxa…’)

Cemente – Tradução algarvia para cimento;

Cesterna – Cisterna (depósito subterrâneo para recolha de águas pluviais e posterior consumo humano)

Cirque – Circo (Ex: ‘Vames andande pra mod’ir pó cirque.’)

Capetania – Capitania

Córas-som? – Perguntar as horas (Que horas são? – Ex: ‘Ah mon, córas-som iste?’)

Comá-gente – Como nós (ex: ‘Fomes ó Alenteje e vimes unz’omes a beber sarveja lá comá-gente’)

Comé-quié? – Como é que é? (Ex: ‘Ó Chique, comé-quié?’)

Companha – Companhia (Ex: ‘Cumadre, faça-me companha aqui na renda’)

Cromade – Opção que se exerce em vida pra quando se morre. (Ex: ‘É’cande morrer, quêre ser cromade’)

Cucharro – Colher grande feita a partir de cortiça para beber água. (Ex: ‘Fui à fonte e bebi água com o cucharro’)

Debulha – Separar a palha dos grãos de cereal (ex: ‘Moces, andem todes daí e vames debulhar o trigue’)

D

Demódes – De maneira que… (Ex: ‘Demódes qu’iste é assim’ – Ver também ‘Amodes’)

Desbrugar - Descascar favas ou ervilhas. (Ex: ‘Ó filha, desbruga-me aí umas ervilhinhas’)

Desbugalhades – Usado para referir uma pessoa com os olhos bem abertos. (Ex: ‘A Silvina apareceu aqui ontre-dias com us olhes desbugalhades’)

Descabide -  Iname, sem jeito. (Ex: ‘Aquele Tonhe anda même descabide’)

Desfolhada – Tirar as folhas à maçaroca de milho.

Desgroviade – O mesmo que desnorteado. Homem desorientado. (ex: ‘Aquele Marceline é même desgroveade.’)

Deslargar – Ato de lagar o que tinha sido largado. (Ex: ‘Ah mon… Moce! Deslarga-me da mão!’)

Desmazia – O dinheiro remanescente que se recebe depois de se pagar uma compra. (Ex: ‘Aqui tem a sua desmazia Ti Maria.’)

Despôs – Depois (ex: ‘É fui ó mar, despôs vim’embora.’)

Destrocar – Trocar uma nota de dinheiro de alto valor para ficarmos com notas mais pequenas. (Ex: ‘Ó ti-Tonho, destroque aqui esta nota, faz-afor.’)

Dexê – Deixei (Ex: ‘Na sê ond’é que dexê u raie das chaves’)

Diéb – Diabo. Muito usado para monstrar indignação perante alguém. (Ex: ‘Té dieb, nam’apoquentes, maldeçoade!’)

Disvorciada – Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.

E

É – Eu (Ex: ‘É na sê quem foi, más iste chêra-ma’esturre’.)

Empachade – Pessoal que leva muito tempo para se despachar. Pode referir-se também a alguém que sofre de obstrução intestinal. (Ex: ‘Ó Albertine, até parece que tás empachade, moce…’)

Empanzinar – Comer em demasia até abarrotar. (Ex: ‘Na te digue nada Zé, hoje quemi em desmazia. Tou même empazinade…’)

Empulheta – Pequena caixa à saida de um tanque por onde sai a água. (Ex: ‘Tenhe que destapar a empulheta pra mod’ir regar a horta.’)

Encalipe – Eucalipto (ex: ‘-Ondé que forem o João e a Maria? -É cude que forem pós encalipes’)

Enfusa – Bilha (ex: ‘Miga, dá-m’aí a enfusa da água.’)

Entropeçar – Tropeçar duas vezes seguidas. (ou só uma mesmo! Ex: ‘Cuidade Zé, que já entropeçastes’)

Êrade da cesterna – Zona delimitada à volta da cisterna, com inclinação constante, para recolher a água da chuva.

Êres – Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses, nomeadamente a sul do rio Sado.

Escampar – Parar de chover. (Ex: ‘Vezinha, na s’importa qu’é fique aqui pa m’abrigar da chuva até escampar?’)

Esgarrões – Chuvas muito intensas e fortes.

Estrafega - Tarefa intensa e contínua para tentar acabar um qualquer trabalho com uma data limite apertada. (ex: ‘Fui cavar batatas e aquile é que foi uma estrafega…’)

Esturre – Estado do que fica muito seco e quase queimado. (Ex: ‘Iste chêra-ma’esturre.’)

F

Falastes (dissestes…) – Articulação na 4ª pessoa do singular. (Ex.: ‘é falê, tu falaste, ele falou, TU FALASTES…’)

Farroba – Alfarroba (Ex: ‘Maldeçoades dos pórques que já me forem às farrobas’)

Faz-avôr – Se faz favôr, por favôr. (Ex: ‘Cumadre, dêm’aí o guidal, faz’avôr’)

Fêjão carite – Feijão frade (Ex: ‘Goste munte duma saladinha com fêjão carite’)

Feniscadinho – Homem muito magro (ex: ‘Pálino, andas même feniscadinhe’)

Franquelim – Homem fraco (ex: ‘Esse dieb é um franquelim qualquer c’anda pr’aí’)

Fezes – Canseiras, preocupações. (Ex: ‘Ah mon, tenhe andade c’umas fezes pur cása do vizinhe…’)

Fraturação – O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial. (ex: ‘Cása que n’a fratura, na predura.’)

Frent – Frente (Ex: ‘Maldeçoade, tira-te já da minha frent, qu’é na te posse ver!’)

G

Galegue – Pessoa do norte. (ex: ‘Aquel’óme c’apareceu pr’aqui ontem deve ser galegue.’)

Griséu – Ervilha.

Guidal – Alguidar (Ex: ‘Cumadre, dêm’aí o guidal, faz-avôr’)

Gurnir – Grunhir (Ex: ‘Us pórques levem a nôte toda a gurnir’)

H

Há-des – Verbo ‘haver’ na 2ª pessoa do singular: (e: ‘É hei-de cá vir um dia; tu há-des cá vir um dia…’)

I

I-di – E daí (Ex: ‘O Carles assebiu, i-di caiu.’)

Impertante – Importante. (Ex: ‘Iste é um assunte munt’impertante’)

Inclusiver – Forma de expressar que percebemos de um assunto, ou não percebemos de todo! (Também existe a variante ‘Inclusivel’ – Ex: ‘E digue ainda más: É inclusivel ache este assunte munte empertante.’)

J

Jsbugalhar – Abrir bastante os olhos (Ex: ‘U qué que foi Zablinha? Tás tã jbugalhada!’)

Jête (ou apenas ‘jêt’) – Jeito (Ex: ‘Ah mon, moce, atã má que jête?’)

L

Lambarêre – Pessoa que não consegue guardar um segredo. (Ex: ‘A Améla é uma lambarêra’)

Ladêra – Descida acentuada (Ex: ‘Filha, tem cuidade a descer a ladêra pra na caíres’)

Lagues – Lagos

Lariar a pevide – Passear sem permissão para tal, vadiar (Êx: ‘O Manel anda a lariar a pevide’)

Larada – Algo provável de se encontrar nas fraldas dos bebés. (ex: ‘Ah mon, a Beatriz chêra tã mal c’até parece que tem uma larada nas fraldas’)

Laruêre – Pessoa que anda sempre a laruar, ou seja, na boa vida, sem prestar contas a ninguém. Semelhante a lariar. (Ex: ‘Aquele Tonhe Jaquim e´um laruêre’)

Legues – Lagos

Lêra – forma de talhar a terra para o cultivo. (Ex: ‘Chique, vai cavar a lêra das couves.’)

Liquidazinha – O mes moque “nitidazinha”. Diz-se que a ‘omaja tá munte liquidazinha’ quando pretendemos indicar que a televisão tem uma imagem muito bem definida. (Ex: ‘Ó vezinha, a sua tlevezão tem uma omaja munte liquidazinha’)

Lógues – Lagos

Luzescús – Pirilampos (Ex: ‘Esta nôte tá tude chê de luzescús’)

M

Macheia – Uma mão cheia. (Atualmente usa-se muito o termo “bué” Ex: ‘Jaquim, hoje vi uma macheia de combois a passar.’)

Madronhe – Aguardente de medronho (Ex: ‘Este madronhe é même du bom’)

Magane – Vendedor ambulante comparável a um cigano (Ex: ‘Aquele magane das camisas é um maldeçoade!’)

Magala – Idêntico a magano.

Maline – Maligno, mau, teimoso (Ex: ‘U Humberte é même maline’)

Má que jête? – Mas que de jeito? Expressão muito popular utilizada para mostrar indignação num diálogo perante um tema ou assunto relativamente insólito. (ex: ‘Manel, atã tu na vás danças com a Jaquelina? -Eu? Má que jête?’)

Maldeçoade – Almaldiçoado (Ex: ‘Ah moce maldeçoade, tira-te já daqui, pra qu’é na te veja na minha frente!’)

Marafade – Irritado, zangado, teimoso ou com garra. No Sotavento algarvio diz-se marfadu (Ex: ‘Ha moce marafade!’)

Marcade – Mercado (Ex: ‘Ontem foi o marcade d’Odeáxere’)

Marcar – Comprar, vender, negociar, conforme o contexto.

Más – Mais (Ex: ‘É na sê quem foi, más iste chêra-ma’esturre’.)

Mate – Mato (Ex: ‘Us cãs abuscarem os coelhes no mê do mate’.)

Matrafona – Mulher feia e gorda. Boneca de trapos. (Ex: ‘A filha do Alberte tá fêta matrafona’)

Mázi – Mas e (ex: ‘Ó ti Manel, mázi comé c’avera de ser isse?’)

– Meu (Ex: ‘Que jête u mé cão ter pulgas?’)

Meceia – Vossemecê (Ex: ‘Cumadre, agora na posse falar co’meceia, porque tenhe que tender o pão’)

Mechas – Expressão usada para demonstrar aborrecimento (eufemismo de ‘merda’) (Ex: ‘Mechas que já dexê cair os oves’)

Melanças – Melancias (geralmente usado apenas no plural. Ex: ‘Cumprade, na tem aí adube prás melanças?’)

Miga – Amigo ou amiga em ato muito familiar (ex: ‘Miga, passa-mu pão.’)

Minduim – Aperitivo para descascar e acompanhar uma cerveja bem geladinha na taberna. O mesmo que alcagoita.

Moss – Moço (Ex.: ‘Moss, deslarga-me da mão’)

N

Na dou fête – Não consigo fazer. Diz-se quando não se consegue fazer algo ou desempenhar determinada tarefa. (Ex: ‘Moce, é na dou fête isse!’)

Nha – Assim como Mon, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? (Ex: ‘A ‘nha mãe é que sabe, n’é a tua!’)

Númaro (Também com a vertente ‘númbaro’) – Número. (Ex: ‘Ah mon, qual é o númaro do té tlefone?’)

O

Omaja – Tradução algarvia para Imagem. (Ex: ‘Ó Chique, percebes de tlevesons? A minha na dá omaja…’)

Óme – Homem (Ex: ‘Adés óme, pr’ónd’é que vás?’)

Ontre-dias – Há pouco tempo (Ex: ‘Ontre-dias, passou por aqui o Zeferine’)

Óves – Ovos (Ex: ‘Carles, tã na foste bescar us óves u galenhêre?’)

P

Pciclete – Veículo de duas rodas sem motor (Pode também referir-se aos com motor. Ex: ‘Maldeçoades, ondé que meterem a minha pciclete?’)

Pêche – Peixe (Ex: ‘Hoje fui à praça, ma ná’via pêche’)

Parteleira – Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.

Patiar – Pisar, patinhar, geralmente onde não se deve. (Ex: ‘Sai daí Jaquim, tu na vêz que tás-ma patiar u chã tode?’)

Patochadas – Tolices (ex: ‘Aqueles plitiques só dizem patochadas’)

Perssunal – O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol. (Ex.: ‘Sou perssunal de futebol’ – Dica: deve ser articulada de forma rápida.)

Pial – Banco de taipa (construção de barro e pedras) encostado à parede da entrada das casas onde as pessoas se sentavam a conversar ao fim da tarde. (Ex: ‘Compadre assente-se aí no pial’)

Pitaxio – Aperitivo da classe do ‘mindoím’.

Pitróle – Petróleo (ex: ‘Hoje na tenhe dinhêre nem pó pitróle’)

Pliça – Polícia (ex: ‘Per cása daquele maldeçoade, tive que chamar a pliça’)

Plitique – Político (ex: ‘Aqueles plitiques só dizem patochadas’)

Pôce – Poço (Ex: ‘Brune, tira-te daí c’ainda cais no pôce!’)

Pôrre – Uma queda (Ou caír um…) Caír uma queda. (Ex: ‘Caí um pôrre no chão e fiz sãingue’)

Precura – Ato de perguntar (Ex: ‘Deixa-me fazer-te uma precura…’)

Pregue – Prego (Ex: ‘Vítor, dá-m’aí u pregue’)

Prenha – Mulher grávida (Ex: ‘A maria anda prenha’)

Prontes – Pronto (Ex.: ‘Prontes, já tá a barreca armada’.)

Percása – Por causa (Ex: ‘Ah, mon, atã na vês quiste caiu percása daquile?’)

Q

Quáje – Semelhante à palavra muito apreciada pelos nossos pseudo-intelectuais “quaise”. (Ex: ‘Ontem, fui atravessar a estrada, e quáje qu’era atropelade pr’um carre’.)

Quebra-jum – Pequeno almoço (Ex: ‘Filhe, antes de t’ires embora, na te esqueças do quebra-jum’)

Que jête? – De que jeito? O mesmo que ‘Má que jête?’

Quemer – Comer (Ex: ‘É vou quemer, laranjas e bananas’)

R

Renda – O mesmo que crochê (ex: ‘Cumadre, que beles trabalhes de renda’)

Rengalhes – Pequenos pedaços das bifanas que se separam da parte principal das mesmas ainda dentro da frigideira, ganhando sabor extra após as consecutivas frituras. (ex: ‘Tonhe, nas queres quemer umas bifanas de rengalhes em companha dumas mines pretas ali na praça?’)

S

Sarveja – Cerveja (Ex: ‘Já tá o Tonhe Jaquim enfrascade na sarveja’)

Sãingue – Sangue (Ex: ‘Caí um pôrre no chão e fiz sãingue’)

Sequinhe/a – Pessoa magra de fraca aparência, lingrinhas. (Ex: ‘O Manel anda même sequinhe’)

Stander – Local de venda com especial destaque para o ’stander de carres’. (Ex: ‘Quere comprar um carre nove, mas ainda na fui ó stander’.)

T

Tãinque – Tanque (Ex: ‘Us moces maldeçoades forem ôtra véz tomar banhe pó tãinque’)

Talego – Saco de tecido de fecho com cordão de correr pela boca que se usava para transportar o farnel ou para guardar o pão na cozinha. Também pode designar as mangas de tecido que são enchidas para produzir farinheiras algarvias (de Monchique). Por vezes as próprias farinheiras são chamadas de talegos.

– Teu (Ex: ‘U té pai teve aqui ontre-dias’)

Té-diéb – Muito semelhante a Diébe. Muito usado para monstrar indignação perante alguém. (Ex: ‘Té dieb, nam’apoquentes, moce!’)

Tem avonde – Já chega. Diz-se que ‘tem avonde’ quando se quer dizer que uma medida qualquer já é suficiente. (Ex: ‘Jaquim, já tem avonde de sarveja!’)

Teste – tampa de panela.

Tendal – Lençol onde se coloca o pão a descansar antes de ir para o forno.

Tender – Estender a massa do pão andes da cozedura no forno. (Ex: ‘Cumadre, agora na posse falar co’meceia, porque tenhe que tender o pão’)

Tiosque – Quiosque. Hoje em vias de extinção, era outrora o local onde se podiam comprar jornais, revistas, pitaxios, etc.

Tipe – Juntamente com o ‘É assim’, faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. (Ex: ‘É assim… Tipe, táza ver?’)

Tlevezão – Tradução algarvia para televisão (Ex: ‘Caluda, c’u primêre menistre vai falar na tlevezão’)

Tonhe – António (ex: ‘U Tonhe já anda metide no madronhe outra vez’)

Tosquia – Ato de cortar o cabelo. Ex: ‘O chique foi à tosquia’)

Tôca do forne – Esfregona feita com trapos velhos com que se limpam os fornos de lenha antes cozer o pão.

Tramôces – Tremoços (Ex: ‘Ti-Tonhe, dê-m’aí uns tramôces pra companha da sarveja’)

Trinca-espinhas – Pessoa magra de fraca aparência, lingrinhas. Pior que ‘Sequinhe’. (Ex: ‘O Afonse foi sempre um trinca-espinhas’)

Treuze – Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.

Tu-nouves? – Tu não ouves? (Ex: ‘Ó Meguel, atã tu-nouves é’chamar per ti?’)

U

U – O (Ex: ‘U presidente vem cá despôs d’amanhã’)

V

Vossemeceia – O mesmo que Meceia, vossemecê (Ex: ‘Compadre, vocemesseia na tem adube pás melanças?’)

Z

Zorra – Raposa ou mulher elegante mas matreira. (Ex: ‘A Mari-Luísa é cum’uma zorra’)

 

Categories: Algarve, Alma do tempo, Boas vindas, Curiosidades, Demasiado tempo livre a mais, Humor, Momento de Basbaque, Pensamentos e Filosofias, Sociedade e Política | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 781 Comentários

Post navigation

781 thoughts on “Dicionário algarvio de termos e dizeres do Algarve (já com o novo acordo ortográfico)

  1. Paulo Madeira

    Linde! Caguê-me a rir com iste! Na sabia que Lagues tinha tantas variantes :D

    Aqui vai u mé contrebute per’ú dicionáire:

    Aldêa – aldeia.
    Alimpar – limpar.
    Andande – andando.
    Andarem – andaram.
    Ande – ando.
    Anderem – o mesmo que ‘andarem’.

    Borracha – (subst.) bebedeira.
    Bnite – bonito.

    Cabele – cabelo.
    Cagade – sujo com qualquer substância; falhado; sortudo (conforme o contexto).
    Cagar – (fig.) não ligar, borrifar, perder o interesse (Ex: ‘Andande e cagande, andade e cagande…’).
    Caguê-me a rir – (fig.) fartei-me de rir; na gíria da internet, ‘LOL’.
    Calcaire – calcário.
    Canite – cão pequeno.
    Chê – cheio.
    Chêo – cheio, dialecto em desuso no fim das frases.
    Contrebute – contributo.
    Cornes – cornos, testa, cabeça. (Ex: ‘U cagade du Ronalde tem a mania de marcar gôles c’us cornes.’).
    Cuprativa – cooperativa.
    C’us – com os.

    Dicionáire – dicionário.
    Disc – diz que (Ex: ‘Atão diéb, disc na vinhas e aqui tás! Ora ora…’).

    Espetácl – espetáculo.

    Farrajão de pão – uma fatia longitudinal de pão, inteira, não cortada ao meio; na gíria, uma fatia de pão ‘de canto a canto’.
    Frigorif – frigorífico.
    Forem – foram.
    Fu diéb – o mesmo que Pu diéb.
    Funcemina – funciona (Ex: ‘U mé frigorif já na funceminava. Forem-me lá a casa, tiverem de roda dele. Anderem, anderem, más per fim levarem-no. Disc a culpa é du calcaire, mas é cá na sê…’).

    Gôle – golo.

    Iste – isto.

    Lade – lado.
    Levarem – levaram.
    Linde – lindo.

    Má que jête? – (adicionando à definição original) quando a expressão surge sozinha, significa ‘não’, e é habitual haver dupla negação (Ex: ‘Vames à aldêa beber umas sarvejas? – Má que jête não?’).
    Mamar – levar porrada.
    Mazé – mas é.
    Mé – meu.
    Mê – meio.
    Moce – o mesmo que ‘moss’.
    Munte – muito.

    Na – abreviatura de não.
    Nama – o mesmo que numa; dialecto em desuso.
    Numa – não me… (Ex: ‘Ti Tonhe, vossemeceia num’arranja aí um farrajão de pão com banha per empurrar com este porrete?’).

    Ó – ao; plural: ós.
    Ora ora – expressão de perplexidade, indignação ou decepção, também usado no início das frases (Ex: ‘Ora ora atão agora a mê do dia é que um cagade destes vem trabalhar? Ora ora…’).

    Panite – um pão pequeno. Não confundir com um pano pequeno. (Ex: ‘Panite torrade.’).
    Panite – um pano pequeno. Não confundir com um pão pequeno. (Ex: ‘Alimpa-te aqui neste panite.’).
    Pense – penso (subst. e verb.) (Ex: ‘Numa lembra bem, mas pense que dê um pôrre no mê das silvas, cortê-me tode, ande pr’aqui chê de penses por tode lade’).
    Per – para; por.
    Pèra – espera, em que o ‘é’ se lê como na palavra ‘céu’.
    Pès – pés, em que o ‘é’ se lê como na palavra ‘céu’.
    Pequen – pequeno.
    Porrete – um copo de vinho, seguido de outro.
    Pu diéb – expressão de que cheira mal, normalmente devido a descuidos de pessoas, cheiro corporal, chulé, mofo, fezes (de animais ou não), etc. (Ex: ‘Pu diéb, quem foi o maldeçoade? Pèra aí que há-des mamá-las nessas ventas…’).
    Pugrama – programa (Ex: ‘Ah mon, atão na quer ver? Disc há um artista nu pugrama du espetácl da cuprativa que leva muntes êres per hora.’).

    Rache – racho (verb. rachar) (Ex: ‘Té diéb, sai-me da frente senão é rache-te mazé us cornes ó mê!’).

    Sê – sei. (Ex: ‘Más quem diéb é u pai du moce pequen? É sê lá!’).
    Seca-adegas – bêbado, borrachão, que por definição se encharca com enormes quantidades de vinho.
    Service – serviço.
    Sopape – sopapo, tabefe, chapada bem forte por vezes dada com a parte de trás da mão.

    Torrade – torrado.

    Vames – vamos.
    Vejem – vejam (Ex: ‘Ora ora vejem bem este linde service! Vejem só, u mé moce chega-m’a casa de pciclete tode cagade dus cabeles ós pès!’).
    Virem – viram (Ex: ‘Na virem aí u mé canite? Ai maldeçoade, se u encontre, leva-me uns sopapes nas fuças q’até anda de lade!’).

    • Uooo!!! Ena, ena, Paulo! Que excelente material que tens aí! Vou concatenar assim que tiver um tempinho livre, podes crer!

      (e SIM, ao editar isto até eu me ia desmanchando a rir de uma ponta à outra… Mas é TUDO verídico, ou não é?)

      OBRIGADO! e um GRANDE abraço!

      • mARGARIDA

        Eu n me lembrava de metade

      • Sara

        Ferrar – Morder (ex: o cão ferra?)

      • Amelia Guerreiro

        Escades – escadas
        Engatinhar – gatinhar( Ex: o Bébé já gatinha)

      • Maria bento

        Sou Algarvia, mesmo assim fartei-me de rir.. Falta esta..Ó mãe já bi o lete. E mais uma, já comeste panite? o pão claro.

      • José Xavier

        Eu acrescentaria:

        Aguidas (agúdeas, formigas de asa)

        Com brutes n’a lutes (com ignorantes não lutes

        José Xavier

      • Anunciata das Neves Dutra

        Vitor.
        Bom dia.
        Cada palavra que não podia deixar de rir, mas veja bem….sou Mineira e no meu estado, bem lá no interior do Sertão das Minas Gerais, também se fala assim e o engraçado é que a gastronomia que foi deixada é do Alentejo e o falar mole e matreiro, indicar um lugar, meu Deus…até que, já anoiteceu,amanheceu e você esta esperando.
        Acho meu estado abençoado, lá D.Pedro teve um Palácio que hoje é Museu em Juiz de Fora, tudo como foi deixado por ele lá esta, é só entrar e morar, as pessoas que levei daqui de Portugal até minha cidade ficaram com olhos cheios de lágrimas de ver a conservação que damos aos bens que nos deixaram. Também a 1ª Uzina Hidroelétrica da América do Sul, fica em Juiz de Fora, funciona…mas o governo fez uma nova ao lado e transformou a antiga em Museu, entrei para falar nos termos Algarvio e acabei falando em história que e bem o que amo.
        Mas é assim, aprendeu um pouco de um lugar que não conhece.
        Bom domingo feliz!

      • Bom dia Anunciata! Que curioso! Eu próprio (muito provavelmente devido às telenovelas brasileiras – que, desde que me recordo de existir – sempre foram uma constante na televisão portuguesa) me tornei um apaixonado pela cultura brasileira, e tenho para comigo que um dia irei visitar o teu país, e muito provavelmente será mesmo uma visita muito diferente da habitual “rota” de visitas ao Brasil (que habitualmente segue pelo Rio de Janeiro, Bahia, etc.), pois o que quero conhecer é esse Brasil do interior em cujas raízes ainda se encontrem muitas das origens portuguesas de que falaste.

        Cumprimentos algarvios,

      • Cesaltina

        Belo depoimento sobre a nossa participação na História do Brasil. Os algarvios sempre andaram pelo Mundo e não fizeram só asneiras. Somos almas boas.

      • Pedro Mascarenhas

        Sames umas alminhas boas sim senhor, mas sempre há prái uns trambelhes duma figa que dgenerarim…

      • nuno damas

        não concordo com algumas que você ai pos ex:belencia.
        eu conheço todas as pronuncias do Algarve e acredite que algumas são mais a norte que propriamente do sul… obrigado

      • Maria Dias

        Termos e pronuncia são coisas diferentes! Para o mesmo termo ou palavra há pronuncias diferentes de Barlavento a Sotavento.Como por ex as palavras terminadas em –Em. Tambem, convem, bem etc. Nomes para as mesmas coisas também diferem e muito. Por influência Espanhola por ex: No Sotavento as escadas são escaleiras. A zona lombar são as cadeiras. Ai que dores nas minhas cadeiras! Assim como , um pouco acima zona lombo – sagrada se chamam as cruzes! Ou ainda a palavra almancem Influência espanhola para a nossa armanzem e tantas outras… tantas mesmo!

    • celia

      Percondia- aborrecimento, tristeza, sem saber o que fazer(termo de alvor)

    • Joana Fernandes

      “Moce tá qiete uma migalha” – rapaz está sossegado um pouco

      • Alex

        Eu lembro-me de “Moce tá qiete uma migalha, senã ainda levas uma cajapôrrada.

        Rapaz está sossegado um pouco senão ainda levas uma porrada com o cajado

      • João Coelho

        Lol

    • adriano pereira

      É pá !! Que grande varêje !! – É pá! Que grande alcamce que tens !!

      • Tony do Coito

        Espero que o Adriano Pereira nao me interprete mal, a intencao e a melhor. Sou imigrante ha mais de 30 anos, mas continuo a adorar a nossa lingua e preocupo-me em dar o menos erros possivel consultando o Dicionario de lingua portuguesa “FLIP”, quando estou na net.
        Isto vem a proposito de um erro que “penso eu” tem no seu comentario; “alcamce” escreve-se (alcance).
        Tenho filhos ai, em Portugal e no Algarve e desde os primeiros dias que trocamos informacao por net, que os corrijo, ao principio nao gostavam, mas acabaram por compreender que e o gosto pela nossa lingua que me leva a chamar a atencao.
        Um muito obrigado por aceitar a correccao, espero eu, acredite que e com a melhor das intencoes e so o faco aqui porque, penso eu, sera lido por varias pessoas nessa obra tao boa, que e o “Dicionario algarvio”.
        Eu estou consciente que tambem dou e bastantes erros, mas dou-me ao trabalho de ter sempre a pagina do dicionario de portugues aberto e consulto-o varias vezes.
        Um abraco com amizade
        Tony

    • Espectacular!
      Parabens pelo blog.

    • Carina

      ”Arrear” tb pode ser estar mal das costas, do genero ”tou todo arreado”, e falta ainda ”assumar” :P

    • Carina

      Lamparina, galheta – o mesmo que buftada :P

    • noémia vitorino

      Já chorei de rir a ler estas palavras, algumas delas já nem me lembrava.Parabéns
      cagaiçe- Susto
      Avond- chega, tem avond- já chega
      penic-bacio
      avarejar-atirar com força

    • Célia Horta

      Avonde-chega,basta,é suficiente (ex: “não ponhas mais já tem avonde!”

    • Tóino me-quilo...

      Para acrescentar á liste, eis mais umas pérolas:

      - Arriar o calhau : Acto de defecar!
      - Escalmerrar : Cansar; perseguir… ” Ex. óh… flip, na andes a escalmerrar os bchinhes (Galinhas)!”

      • Paulo Borges

        rico portugal do meu coração, tantos linguajares! procurai também pelo caseguês e sobralês, linguas de povos escondidos lá para a Panasqueira. e Loriga (Seia), com um riquíssimo vocabulário, muito próximo do Açoreano. Parabéns pela iniciativa, Vitor.

    • Ana G.

      escalêras – escadas
      escaidote – escadote
      idi – e daí?
      Permonde – por causa
      ome – ser humano do sexo masculino

      • Disseram algures que algumas palavras são iguais às dos Açores. Muitas também são iguais às do Alentejo. Mas também encontro semelhanças com algumas coisas do crioulo cabo-verdiano, nomeadamente das ilhas de barlavento. Por exemplo esta palavra “permonde” (que não tem nada a ver com o português-padrão) faz-me lembrar o “pamode” em Cabo Verde, com o mesmo significado.
        Outra semelhança que o crioulo cabo-verdiano de barlavento tem é a terminação em “e”, nas palavras que em português-padrão é “a” ou “o”.

    • A. Lopes

      Então e a xôxa?
      Ah môces enverguenhades.

    • joao

      ta ai mts palavras ke sao dos açores ñ sao do algarve

      • José Monteiro

        as ilhas dos açores eram desertas e foram povoadas por algarvios e alentejanos por isso é natural que os açoreanos tenham palavras identicas às dos algarvios ,tenho dito!…

      • Fernando de Oliveira Palma

        O meu amigo desculpe, deve estar um pouco esquecido da nossa História… então os Açoreanos são descendentes de quêm? A maioria era do Algarve!

      • Lena Mourinho

        Quem foi Diogo de Silves?

      • Isso não é verdade…o que tu querias dizer é que há muitas expressões semelhantes entre “algaravios” e açoreanos. E isto eu sei porque tenho amigos açoreanos…

    • Fernando de Oliveira Palma

      Nós algarvios, muitas vezes só nos apercebemos da forma como falamos, se lermos coisas do género deste dicionário! Parabêns pelo belo trabalho ! Não há que ter vergonha da nossa língua, ela só nos enriquece. Vergonha é “tentar” falar uma pronúncia que não sendo a nossa, depois dá em asneirada… Todas as pronúncias devem ser respeitadas, embora nem toda a gente o faça…

      • Natasha Cerejeira

        “Punhefra ke” quer dizer Bolas Pah!!!!!!!

      • Está uma maravilha adorei este dicionário, não sou do Algarve mas confesso que tenho orgulho deste povo e da sua riqueza linguística.

    • Iolanda Santos

      Algarete – Andar no “algarete” (não parar em casa/andar sempre na rua…)

    • denise

      ventas- face, cara
      cagáde- cagado, tartaruga

    • rosa

      capacha-tapete
      dá avonde-chega, é suficiente

    • cristiano conceição

      “tá ali uma remessa de pessoas” – concentração de pessoas no mesmo sitio

      • Pedro Mascarenhas

        tá ali uma porrada de cambada!…

    • Ana

      Cá vai mais outra…minha conhecida de sempre…

      Estile-estilo

      Ex: “Mô,olha lá o estile!!”

    • jose santos

      AVONDE—-Tem avonde! Expressão que significa : CHEGA! BASTA!

    • Esmeralda

      Ramolga
      Alguém sabe o que quer dizer????? ( um desafio)
      Embosiada (outro desafio)

    • Eunice Marreiros

      Estamoirar – quando uma pessoa se deita um bocadinho para uma mini folga (Ex: depois do almoço apetece-me sempre a estamoirar um bocadinho)

    • L. F. de Oliveira

      E “talefe”, sabeis o que é?

  2. Patrícia Rodrigues

    Ainda faltam muitas e muitas palavras ou termos utilizados pelos algarvios e que ainda não constam em qualquer das duas listas aqui apresentadas, lembro-me agora de duas ou três que poderão ser acrescentadas…

    greséos = ervilhas
    escaleras ou escaidas = escadas
    ortelhos = tornozelos
    cadeiras ou cruzes = quadril
    troves-te = trouxes-te

    e muitas outras que oportunamente terei o prazer de partilhar

    • Viva Patrícia! Excelente contributo! E isso faz-me lembrar também as famosas “jcaides” (escrevo assim, por é mesmo assim que se diz nas zonas mais rurais…) para designar escadas.

      Essas (e as futuras, quando chegarem) contribuições são mesmo muito BEM-VINDAS!

      Obrigado e até breve!

      • Ana Luz

        gadamôlho- relevo debaixo da roupa;
        altarum – lomba na estrada ou um pequeno monte;
        fresneco – mesmo que avelas -petisco ou comida muito boa
        catraplasma – penso caseiro
        estaferme – parvo
        contonete- cotonete
        engive -genvivas
        dentadine -betadine
        slifof – cu
        fófó – peidos

        quando me lembrar de mais digo!

    • Fernanda

      trouveste = trouxeste …

  3. Atão e o “cétimos”? (centimos) e o “avoar”(voar) xD
    também dizemos “é o quem?”(é o quê?)
    e o “mágiro” (mais giro) ou “málinde”(mais lindo)

    A propósito, bom post :D

  4. Joana

    O mê avó qué algarvie diz “assantes” (Assentos) para designar as nádegas :D

  5. adriana santos

    Como se diz em bom algarvio, mijei-me a rir com isto xD

    alembrar – acto de lembrar das coisas
    assentar – acto de sentar
    incetar – acto de cortar a primeira fatia do pão (exemplo: Oh tonhe inceta-me aí o pão)

    • Marisa

      Cara Adriana “incetar” é o modo dos algarvios pronunciarem o verbo “encetar” que se aplica a muitas coisa, não só ao pão. Vejamos o que consta na Infopédia sobre o seu significado:

      encetar:
      verbo transitivo1. tirar o primeiro pedaço de (uma coisa que está inteira)
      2. começar a gastar ou a cortar
      3. iniciar
      4. fazer (algo) pela primeira vez; estrear

      (Do latim inceptāre, «começar»)

      De resto os meus parabéns a todos os participantes. Este trabalho é delirante…

      • pedro costa

        tem avande, o mesmo que cheiga, não quero mais.

    • Vitor

      mejei-me todo a rir

  6. Inês

    Dormir a folga: dormir a sexta

  7. Elisabete

    Aqui deixo mais 3 pérolas:
    Lête – leite
    Quêje – Queijo
    Mantêga – Manteiga

    • João

      lool, esses são os 3 exemplos que eu dou sempre aos meus colegas alfacinhas, para ensiná-los a falar =P

    • Elisabete , só falta acrescentar o cafei = café

    • João Quirino

      Com o devido respeito pelo louvável trabalho de recolha por parte do autor bem como por todos os contributos que aqui têm sido dados, como algarvio atento e também interessado nas riquíssimas tradições linguísticas da nossa região, não posso deixar de expressar uma crítica, que pretendo construtiva e que possa contribuir para maior credibilidade do trabalho em causa:
      A riqueza de vocábulos verdadeiramente originais é de tal forma grande que acho uma pena misturar “no mesmo saco” vocábulos vernáculares com outras expressões que são meras formas de dicção que tornam a pronuncia máis fácil/rápida (ou simples erros de linguagem e de ortografia!). Certas expressões de linguagem, apesar de comuns em alguns meios, não devem ascender à categoria de vocábulos propriamente ditos que mereçam constar de um “dicionário”. Todas as línguas, o como tal também o Português, são suscetíveis de serem mal escritas e mal faladas pelo que deverá haver algum o cuidado em distinguir o que são termos expressamente algarvios e vernaculares das muitas formas deficientes de falar ou escrever o Português (acontece no Algarve e noutras regiões do país – os do Norte também dizem “num seiê” e outras alarvidades…), sob pena de se perder a credibilidade que o tema merece.
      Sem pretender ser exaustivo, incluiria aqui alguns casos (e muitos mais do mesmo tipo existirão) que não passam de formas simplificadas ou incorretas de pronúncia:
      - Palavras em que o “o” ou o “i” finais são substituídos por “e” ou pura e simplesmente suprimidos (ex: tenho / tenhe, dito /dit(e) etc);
      - Ditongos “ei”, “ai” e “au”, “ou”, que quase sempre resultam, respetivamente, em “ê” , “a” ou “ô” (ex: peixe / pêxe, caixa /caxa, por causa / por casa), ouvido / ôvido, etc);
      - Pretéritos perfeitos terminados em “ei” que passam a “i” (ex: estudei / estudi etc)
      - Supressões, acrescentos ou trocas de letras / sílabas, também muito comuns no início, no meio ou no fim das palavras (ex: também / tamém, leite /lete, café /caféi, cimento / cemento, andámos / andêmos, prateleira / parteleira, António / Antoino etc);
      (…)
      Aproveito para deixar alguns outros termos, ou novos significados para termos já listados, que me ocorrem de momento e que não constami da lista:
      - almeixaire = lugar onde se secam os figos ao sol depois da colheita
      - amarinhar = trepar, subir (a osga amarinhou pela parede acima)
      - antrólhos = venda para os animais não entontecerem à roda da nora
      - barrasco = porco reprodutor (também conhecido por sementão)
      - condelipa = conquilha (Lagos)
      - pézuda = amante
      - xerém = papas de milho
      Espero que ninguém leve a mal esta crítica, mas pareceu-me relevante abordar esta questão.
      Parabéns pelo trabalho!

      • Norberto Cunha

        Perfeitamente de acordo com a distinção feita. Norberto Cunha

      • Uiiii, vivi no algarve dos 6 aos 18, vou lembrar-me de muitos léxicos que tive de “descobrir” o que queriam dizer!!
        Por exemplo:

        Escaides – escadas

  8. liliana bronze

    Escarado.. Homem bebado. (O hom vai iscarado)

  9. liliana bronze

    Pariga – Rapariga. (ah pariga és tu?)

    • carla j.

      TESTE- tampa da panela que eu saiba não é um termo algarvio…..

      • Pedro c

        Exacto, reparei no mesmo…

      • sofia

        A minha avó refere-se a qualquer panela como testo…mas a tampa é sempre a tampa…

      • LILI

        É um termo medieval(testo) que aparece já na poesia de Camões com o sentido de tampa.

  10. carla j.

    AVONDO – ou seja JÁ CHEGA (tem avondo)

    • Henrique

      Tenhe avonde (ou avondo) – Estou satisfeito, já me chega…
      É mai por aí vzinhã ;)

  11. Ana

    “Ai catano quisté même vedade”
    na me xaringues – não me chateies (moss dieb na me xaringues)
    j’olhos a j’aulas – quando termina uma palavra com s e seguir começa com uma vogal nós juntamos com um j ( vou meter oj’oculos noj’olhos pa ir a’jaulas)

    Está muito giro ;)

    • Henrique

      Nu mé monte, é mai com um “Z”:
      OzÓqueles, NozOlhes, NazOrelhas…
      I por í fora… ;)

    • é tamém fale assim e tamém juntames os ás do fim e do inice das palavres i criames um a com assente (ex. ele vem práqui.)
      gosté munte diste tude ta munte engraçade demodes ser real.um bem haja a todos.

  12. Ana

    embassado – quando se come comidas secas como pão e fica aquela pasta na boca dificil de mastigar , estamos embassados precisamos de água
    almariado ( tonto mal disposto) (tô me sentindo almariado)

  13. Ana

    mê dia e mê (meio dia e meia)
    cá ( vou á cá de banho)
    má (mais)- dô má dô (dois mais dois)

  14. Filipa

    Tenho um bico na cara-o mesmo tenho uma borbulha na cara
    Mó acaba já- Por exemplo: mó acaba já onde vás tu com essa ropa?
    ervilhanas- o mesmo que minduim
    alpregatas- sapatos
    dár de váia- cumprimentar
    sevaques- axilas
    tampoco- exemplo: nam tive tempo de comer tampoco… o mesmo que nem sequer tive tempo de comer

    • ervelhanas é alentejano

      • Alegrete ou jardineira—Azougar ou enervar–corcha–ou cortiça — cação –ou caneja –peixe cavalo de mar– esparrelas—para apanhar os passarinhos—escapuliu o belindro—escarapão–serpente com as costas pretas e a barriga amarela,–esparelas—para trincar os passarinhos–labisomem–bicho muito màu—lagrtixa–lagartinho dos valados—roaz- bandira—cetacé da familia das baleias–tas ai—-ou es de jéço. por hoje é tudo vou memorisar um pouco mais porque jà vão 50 anos que estou aqui em frança, mas em bom algarvio se poder-vos ajudar é uma satisfação para mim un abraço a todos.

  15. Filipa

    zetona- azeitona
    farroba- alfarroba

  16. Filipa

    vo á da nha avó- vou a casa da minha avó
    vou á da rita- vou á casa da rita

  17. Filipa

    jogar fora… Exemplo: se ê te der isso tu jogas? o mesmo se eu te dér isso tu pões no lixo?

    • Ana G.

      Meter no lixo tb pode ser extrapôr….

      • teresa

        estrapor -diziam os antgos em zonas serranas exemp..o ti manel vi vilo alem, mas já estrapos la pra traz
        tamem,é quasi de note.
        estes e muitos termos utilizados deve-se de muitas pessoas não terem tido o previlégio de andar na escola. Por isso na minha openião os nossos termos algarvio são muitos!……mas hoje so os idosos falam assim.Alguns……..

  18. Nela Louro

    Borrera- Estar com diarreia.

  19. Carla Serra

    destrambelhada- tas toda destrambelhada…o mesmo que estar confusa

  20. Filipa

    contapé- pontapé
    plengana- o mesmo que tejéla, ou outro recipiente do mesmo estilo
    tójera- cabelo grande… exemplo: nam cortes essa tojera não
    tár parida- tár grávida
    didepôs- depois
    batenêra- betuneira
    bezane: minhoca, larva… exemplo a maçã tava cheia de bezanes
    vo ma lavar- vou tomar banho
    caminéte- autocarro
    diógude- iogurte

  21. Filipa Sousa

    Vaiar – usado como verbo ir. “vaião ali aquele sitio…”
    Algibeira = bolso das calças
    Capacho = tapete
    Aonde = onde
    Moça/Moço = rapariga/rapaz
    Moss = pode ser equiparado a moço/moça, mas não têm um significado concreto e vêm quase sempre acompanhado da palavra “Moh” – “Moss moh, qié isse?
    Charingar = é bem feito/ já ficas-te mal/ também pode ter o mesmo significado que Barimbar. Ex: ” toma-lá que te charingas” / ” já te charingas-te” (…)

  22. Filipa

    cramalhera- dentadura… Exemplo… tál é essa cramalhera parece a dum cavalo

  23. Avonde – ( tem avonde…= já chega; basta) – Penso que ainda não estava cá esta.

    Oponho – (Quando vais lá? – …não me tenho oposto… = não me dispus a ir.)

  24. Filipa

    aventar- o mesmo que jogar fora
    cagadera- sanita
    barrer-varrer exemplo: vo me a barrer a casa com a bassoira… vou varrer a casa com a vassoura
    bassoira- vassoura
    encalitrado- bebado… exemplo: ele saio dequi já ia me encalitrado

    • Raqueél

      Agente (algarvios) na dizemos ” bassoira ” , dizemos: vasôra.

      • Filipa

        Eu sou alagarvia de gema e desde pequena que oiço bassoira e barrer… Por isso é pk tbm se usa =P

  25. joao

    Gostei do li,especialmente as pessoas mais idosas das zonas serranas falam assim,os mais jovens tb usam algumas palavras mais para”dar estrilhe”´
    Para meu contibuto acrescento uma expressao muito usada:
    - TEJAM COM DÊS ou VAM COM DÊS
    (estejam com Deus ou vao com Deus)

    • Paulo Veiga

      Ainda falta aquela:

      Dá um jinhe vó!…

      • Fernanda

        E “dar banhe”? (Vou dar banhe cand chegar à da nha mãe)

        Eu sempre lhes perguntava: “A quem?”, mas olhavam-me com ar estranhe…

        A isto se segue: “Vai dar banhe ó cão!!!”

  26. Filipa

    desencalitrar- cair
    nam do dádo- o mesmo que não consigo

  27. Filipa

    alembramento ou alembradura- lembrar de algo

  28. Filipa

    lençoles- lençois

  29. Filipa

    cálmerona- mulher grande… Por exemplo: Apanhastias?Ah poi não… Ela era cá uma calmerona

  30. antonio costa

    Marado – (maluco, Passado dos carretos, Doido. Ex: Ma marado kum chalavar de caranguejos mó!…

  31. Filipa

    ceroilas- calças do pijama,

    • Isaura

      Ceroilas, Cirôlas, Ciroilas ou Ceroulas, daquilo que tenho conhecimento, não eram calças de pijama com o mesmo significado que tem hoje em dia: eram calças interiores com “atilhos” (não havia elásticos ainda) nas pernas e na cinta também, alternando com botões para ajustá-las à medida de quem as usava (usadas pelos homens, mas no sentido de “agasalhar” e de proteger, penso eu, porque não havia cuecas, nem boxers como há hoje em dia). As “ceroilas” eram feitas por medida, ou por costureira, ou pela mulher da casa; de inverno, eram feitas de flanela, e, de verão, eram feitas de tecido tipo linho/algodão (o riscado); geralmente esses tecidos eram aquiridos nos mercados, feiras, que eram os “Shopping Centers of Ceroila’s Age” (Centros Comerciais da Época da Ceroila); hoje em dia, podemos dizer ceroilas, reportando a calças do pijama, que não tem mal nenhum, mas é que na época da ceroila, não havia pijamas… então, deitavam-se com as ceroilas vestidas, ou, sem despir as ceroilas… as quais foram o prenúncio das calças do pijama….

      • Sergio Brito

        As cirôlas, também eram chamadas de truces. :)
        Parabéns ao Vitor Madeira pelo blog. Força

  32. Filipa

    cameseta- camisola interior

  33. Filipa

    é mái bom- é mesmo bom

  34. Vivem a TODES! (e tamém neste case, a todas! – Moces e moças marafadas!

    Olhem… É quere agardecer munte do funde do mê curaçam, per mo’das vossas contrebuiçons.

    Na sê o que se terá passade hoje, mas aqui o mê blog, deu-lhe um escangalhaçe com más de 2000 vesitas vindas du Fêcebuk nas ultemas horas! Acardite que vocemecêas tenhem vinde todes (e todas) du Fêcebuk, tou a falar curréte?

    Mas quêre aqui dezer pra vocemeceas todes (e todas) que pra mim é um previlége arrecebê-les na minha humilde cása e agardecer us vosses contrebutes.

    Fica a premessa c’assim que me fôr pessivel, vou adeceonar us vosses contrebutes nu artigue prencepal.

    Óbregads!

    • marcio

      entao e “bacha la o PINGALHETE
      da porta du carre se na na fecha!!!!” e “o filhe du toine ta fete RUFIA”

      • marcio

        e “tamem”=tambem “camone”=estrangeiro de ferias;turista

  35. Filipa

    ir á busca- procurar- exemplo: vo me além á busca da tesoira que nam sê ond a dexi e tenho falta de cozer a pertenhola das calças

  36. Filipa

    ir á busca- procurar- exemplo: vo me além á busca da tesoira que nam sê ond a dexi e tenho falta de cozer a pertenhola das calças

    pertenhola=breguilha= feche

    • david

      tambem da o “ir á pergunta”

      • “ir à progunta!” como já ouvi muitas vezes :P

      • ivoo

        Ir à pergunta ou ir à precura.(procurar)

      • Fernando Nuno

        Perguntar = procurar (ex. Ande à pergunta das chaves e na encontre…)
        Procurar = perguntar (ex. Tênhe que procurar ó Zéi s’ele m’arranja mê quilinhe de charros pó almoço…)

    • Pedr

      Précura – também utilizado para “pergunta”. ex: “Na’ouves, dêixa’m lá fazer-t ma’précura.”

  37. Nuno

    amigos eu ainda nao vi ai uma muito famosa q e :
    papsec = pequeno pao ex- ( ze dalai sinq papsecs)

    • gostei……..

    • teresa

      papesecés-são as carcaças de pão noutras regiões.

      • Fernanda

        Atenção: isto é muito engraçado e pode vir as ser muito útil mas, penso eu, deve ter algum rigor linguístico ou científico. Não confundir palavras que existem noutras regiões, como “papo-seco”, só porque se pronuncia de modo diferente no Algarve! Já sabemos que a maior parte dos substantivos terminados em -o, se alteram para -e. E a transcrição fonética não altera a grafia das palavras… Desculpem lá, mas pareceu-me pertinente fazer esta observação.

  38. Moss que é iss moh?-Então o que é isso?

  39. xcarade – embriagado

  40. Tita

    Adorei,amei…
    Portimonense de raiz, infelizmente já perdi muito do meu sotaque e das típicas expressões algarvias, mas ao ler isto fartei de me rir e até vieram as lágrimas aos olhos…
    Saudades da minha terra :(

  41. joao

    Açotêa – Terraço usado para secar frutos secos e peixe.
    Secar frutos já secos é desperdício de tempo

  42. Falta o; abanique, que servia para abanar o fogarere, onde assames o péxe !!

    • Mizé

      Más que engraçade! À mai’q’anes qué cá na via este compadre, désd’ma vés que me dé b’leia de Port’mão pra Lêgues. Muntóbrigada.

      • Mizé

        Arrespêto do falar algarvio, alembra-me muntas coisas caqui já forem ditas, algumas é cá digue dotra manêra, más prantes, aqui vaem mázalgumas: – bezelhão, e/ou bechôque (na cara, no pescoço, ou no corpo): um inchaço grande com inflamação; – verruma: verruga; – tamanha budêra/escarado: grande bebedeira/embriagado; AH, esta é mais engraçada de todas: nas outras terras há crianças e/ou gaiatos, mas só no Algarve é que há “moces pequenes”…

    • nidia

      capacho é o que a minha avó dizia …servia para abanar a boca do fogareiro para que acendesse mais depressa para o carvão ficar em brasa!!!!!!!

  43. endorinha – andorinha
    aviao a jecto – aviao a jacto
    aviar – atender
    procurar – pergundar ( posso fazer uma procura?)
    pregunta – procurar (ando á pregunta do meu bone)
    banda fora – lado de fora
    banda de dentro – lado de dentro
    jacareu – jacare
    apoquentar – chatear- se com alguma coisa ( ja tou apoquentada)
    almufeira – albufeira (cidade do algarve )
    rê – rei
    rebera – ribeira
    medes – dunas da praia
    fatexa – fateixa , ancora
    baraço – corda
    escuma – espuma
    lanchao – pedra alta no meio do mar (leixao)
    azete – azeite
    venagre – vinagre
    apoupar – poupar

  44. Jefferson

    falta o Calitre=Eucalipto ( Lá òs calitros do mèh vizinhe ardéron todes!)

    • Isaura

      Atão permonde do calitre, alembri-me diste: Assubi aum acalitre, amor do mé cração, dsencalitré-me lá de cima, bati c’os cornos do chão

  45. inês

    Xalent idéa! O mé contribute…:

    Monho/Monhe – Penteado usado pelas mulheres «antigas» que consistia em apanhar o cabelo em circulo a meio da cabeça.
    Carrapiço – pequenas ervas que se agarravam à roupa quando era estendida no campo
    Sopas – Bocados de pão em leite ou café – «sopas de lête», «sopas de Caféi»
    Carre-d’bésta- Carroça puxada por um animal (normalmente o «Burro»)
    Cortiço/cortiçe – Instrumento utilizado para as abelhas fazerem o mel.
    Acéfar – Ceifa, ceifar os cereais (cf. Acéfa)
    Biches-carpintéres – denomina alguém irrequieto: «moss, paréc caté téns biches-carpintéres nu cu!»
    Pisadôre – Objecto utilizado para esmagar os alhos e o sal, normalmente para se fazer o Gaspacho ou a Açorda.
    Porquera/as – Sujidade, porcaria, tralha, coisas velhas «Tênhe o quarte chê d´porquêras»
    Papas – pode significar «papas de milho» ou referir-se a alguém sem energia «mole que ném papas»

  46. inês

    Alacrau – Lagarto, lagartixa

    • Pedr

      A minha avó chamava Lacrau a um bich prêt e pequên que mandava uma gandas ferruadas tip escaravêlh.

    • alacrau – escorpião

    • António Cruz

      Lacrau ou alacrau no Algarve é escorpião ou alclara ou alacraia

      • Mizé

        Na! Lacrau é escorpião. Araclara é araclara ( é negra, tipo uma formiga de rabo azedo, mas enorme).

    • Mizé

      Na! Cá pra mim, des’qmalembra, lacrau na é nada lagarte nem lagartixa (é cá nuncóvi dezer iço com eça referênça. Atão na sabim que vém a sér u mésme que xcorpião?

      • tomas

        mês amiges nada diss alacrau é um biche com uns 7cm amarel, escorpião é uma cosa e alclara é otra e os prets ma pequenes parecides com os alacraus son otra cosa q na malembre agora

      • tomas

        já malembrei son raspelhos

      • maria

        E com grandes atanazes

  47. Joana

    ir à da/o – ir visitar alguém “Ê vô ali à da ‘nha tia e já venhe!”
    ir a dar banho – tomar banho
    câmbra – câmara
    fókse – lanterna
    Algarvi – Algarve
    aldemira-te – admira-te
    Q’cabêle é esse, mó! – insulto mais estranho que ouvi na vida
    estacaçe – pancada, normalmente atras do pescoço “porta-te beim levas um estacace na tarda nada!”

  48. isabel

    alcagoita – amendoim
    iorgutes – iogurtes

  49. Alda Cavaco

    Vagem/ vagens- Feijão verde

  50. Cagarolas

    Máior cu Hôje e cu amanhã – mesmo grande

    • José Viegas

      Nã… nã, masss. Aquile era maior couge e cámanhã. OU seja: não… não moço. Aquilo era maior do que hoje e o amanhã.
      Tal qual como; Mass, aquilo era maior queste mundo e o outro… parece qués parve!
      Outra palavra que ainda não a li é: Escramalhado. Que é o mesmo que está tudo desarrumado, tudo espalhado.

  51. sandra

    côrto_ ( o pão tá corto)- o pão está cortado

  52. sandra

    dar banhe_ ( vou dar banhe) – Vou tomar banho
    frejedera_ frigideira
    friesa_ (que grande frieza) – que frio
    diebe_ diabo

  53. Luisa Ferreira

    Efetivel _ (efectivo)
    Ninha _ (minha)

  54. Já que é tudo do barlavento aqui vai uma à sotavento, nomeadamente Monte Gordo

    -Por casa tua (por tua causa): foi por casa tua que a cadera caiu!
    - A casa aquela (aquela casa): A casa aquela é memo fea!
    - Ta tumbo (tombar, cair): te dô um soco ta tumbo!

  55. Lucia

    Tesnade – estar sujo de tinta, os antigos gostam mt de falar assim das tatuagens “mô, tas todo tesnade!

    • Pedr

      Tisnad ou tesnade- refere-se também a estar sujo de carvão.

    • fernanda

      tesnado mentira – texnado . tisnado da chaminé ou mascarrado (todo preto)

  56. Fernando Faleiro

    Por favor adiciona um termo que está em falta e os meus avós usavam muito Demóine = Demónio ( Mósse, pareçe qué filhe do demóine ).
    Continua o bom trabalho, abraço.

  57. Carla

    E azougo – íman

  58. Luisa

    ou: “Avareja-me o bicho daí, man” (tira-me isso daí) e “Pronta-me o prato arriba da mensa” (põe o prato na mesa)

    ahahah

  59. Michel

    Corto – Cortado (” o fio está corto ao meio”)
    mé ré – mil reis( ” o pão custa dé mé ré”)
    má ó menes – Mais ou menos
    dé – deficiente (ou tecla 3) – ” éh dé, que fazes aí?”
    montes – muito – ” moce, isso é muite care, é denhêro em montes!

  60. Andre Santos

    Espetacular :)

    “Moss, ta’ o mar feto num cao, na se apanha uma alferrecan”

    • Ana

      É mais… Móss, o mar tá fêt num cão, ná chóque nem berbigão. xD

  61. Sérgio Silva

    Foramos – Fomos

    Vieramos – Viemos

  62. Michel

    canito e canita – Cãozinho e cadelinha – “he dé, esse bubuia é canito ou canita?”
    Bubuia- coisinha fofa(no norte utiliza-se “pochinha”)

  63. carlos

    epah nao sei o que andei a fazer na escola loooooooooool pelos vistos andei a perder tenpo ahahahahahahahaha isto so visto mesmo!!!!

  64. Marina

    Marrafa – risco no cabelo ( Marrafa ao lado p. ex.)

  65. MS

    a maioria das expressões e sotaques são idênticos aos do Alentejo… já tinha reparado, embora ache que a música é mais diferente e apesar de no Alentejo também haver uma grande variedade de entoações!

  66. jairo batista

    Te-le iste o raio da vezinha si ei mazinha dieb…
    Dou-te uma punhada do ceu da boca saltate a cremalheira po c…
    te-le iste te-le aquilo….
    Vames a cazar gambuzinos….
    Ganda catramolho de arjamolho q fizestes…
    Arrebusca…

  67. João Lúcio

    vareta – o mesmo que diarreia. (Exº hoj’ acordê com uma vareta dum cabrão)
    Mem’agora vô’mali: vou ali agora mesmo
    Assânte-se, pôrra : sente-se se faz favor
    Mê carr é um Niza: O meu carro é um Nissan
    piquete: pick-up (comprê uma Nisa Piquete)
    Acarregas: carregas (acarregas na tecla)
    Churc = search (acarregas na tecla church)
    punhem = punham ( as minhas galinhas na punhem oves há tré’ dias)
    sabesse = soubesse (sé sabesse que vinhas cá tinha trazid u medronh)

  68. ana paula marques varela luis bergano

    zolhos ( os olhos )
    zortelhos ( os ortelhos )

  69. teresinha pina

    muito semelhante ao alentejano

  70. Rita

    Em oposição ao “Olha!” lisboeta, para chamar a atenção de alguém: Escuta! N’ôves?”

  71. Catita

    Falta um importante
    Atan nã sábes!!! – Tens razão, Claro que sim!

    Para além desse:
    desodorante – desodorizante
    delido – gasto (quando um tecido começa a ficar transparente)

    Esta gente tá má variada que xalavar de cangrejos!!! – Alguem se atreve a traduzir??? LOLOL

    • Filipe

      Atao na Sabes é muito bom!

    • Pedr

      “Tá tud má variad q’u chalavard caranguêij mon!” – O mesmo que: está tudo completamente louco.

      Atã’na sabes?! – Também muito utilizado na coscuvelhice. ex: “Atã’na sabes?! U Mané Jôquim na dê uns pôrrs na prima Rosa!!”

  72. Ana Reis

    Dizemos também(empertenente) quando o bébe está inquieto

  73. Álvaro

    Bem, confesso que não li todos os comentários mas lembrei-me duma que se usa muito aqui para os lados de Sotavento – “ondepois”, que siginifica “ainda há pouco” ex: -ondepois fui ali à da ti faustina mas ela não estava em casa!

    De qualquer forma isto teria mais piada se limitassema palavras/expressões algarvias e não a pronuncia de palavras comuns a todo o território.

    É, também, curioso notar que a mesma palavra terá diferentes significados consoante estejamos no sotavento ou no barlavento.

    Viva o Algarve e os algarvios!

  74. Joana Tempera

    eheheh, tá fixe, toma lá mais umas:

    Condelipa – conquilha lacobrigense
    Maragotango, Maracotango ou Maragotão – Pêssego maracotão
    Méquié – Está tudo bem?
    Charros – Carapaus

  75. Joana Tempera

    E já agora vou deixar ai o link dum hit lacobrigence pa quem não conhece passar a conhecer http://www.youtube.com/watch?v=tTsAnxQwuko

  76. Jaquim Manel

    “Filhe d’um pêxe!” – Expressão utilizada quando se chateia com alguém (Ex. Ah maldeçoade filhe d’um pêxe, na préstas p’ra nada!”

    “Sai d’aqui tu chôque!” (Também dito “vá’témbora tu chôque!”) – Outra expressão que demontra irritaçao para com alguém (Ex. Té diéb, sai d’aqui tu, chôque! Na m’apoquéntes!)

  77. Filipe N

    Móss… iste assim vai ser más difícel de compilar que passar à razinha do valede de pita…

    Fico ágardar os próximes capitles… :-)

  78. Maria Cunha

    Não sou do Algarve mas vivo cá há muitos anos. Quando cá cheguei deparei-me com várias situações caricatas por causa dos termos algarvios.Fui-me adaptando e aprendi alguns…
    Gostei da ideia e aprendi muito. Parabéns!

  79. Jerónimo

    Não sei se já foi dito mas:
    Vou à do Luis – vou à casa do Luis
    Afeliar e empencer – irritar, etc.(tas-m’ Afeliar)
    Tas aí bradando…(gritando)
    Dar de vaia
    Conduto

  80. Fernando Faleiro

    * Escalmorrade/Escalmerrade = Dorido/Aleijado/Esfolado ( Dê uma queda de Beciclete fiquei todo escalmerrade )
    * Beciclete = Bicicleta
    * Azogado = Tonto/Mal Disposto ( apanhê uma camada ontem tou azogado )
    * Endromidado = Dormente/Apatico ( na dormi nada, tou tode endrominado )

  81. luís joyce chalupa

    Pleumonia: o mesmo que pneumonia.

  82. Ana

    Pírula – Pílula
    Néclogista – Ginecologista
    Cástrol – Colesterol
    Prósta – Próstata

    “Tá o mar fête num cão” – agitado?!
    Cagáçe – Susto (“Mó pregástmúm cagáçe!!”; “O gaje acagaçôsse tôde”)
    “Ai canita!!!” – mostrar entusiasmo acerca de algo
    “Ah Punhão!!!” – mostrar indignação (“Ah punhão, prego-lhum murre nu mê dus cornes cu arrebente!!”)
    Cádebanhe – casa de banho (“moçes vô só ali à cádebanhe venhe já)

    Há por aí umas muito boas!!! eheheh

  83. nanda

    marafada= brincalhona.divertida ou má
    moçe marafado- rapaz endiabrado, brincalhão ou mesmo mau e desiquilibrado

  84. Fernando Caniço

    Mais algumas expressões tipicamente algarvias – ”ir mudar a agua ás azeitonas – mijar” e ” arrear o calhau – cagar”

  85. Ana Alves

    E ninguem usa “lampeira” ou “lampeiro”? (lampera e lampere, com sotaque) :)

  86. Manuel

    “ja chega – tem avonde conversa”

  87. daniela bonança

    há uma que regra geral as pessoas não entendem…
    Vou à da minha mãe = vou à casa da minha mãe
    e mais umas quantas..
    Cascarrão= crosta de uma ferida
    sacada= varanda
    vou dar banho (um clássico) = vou tomar banho
    empanadilhas (como sou da vila r.de sto.antónio, não sei s assim é em espanhol ;))/ panadilhas = azevias

    • Pedr

      carépa – também é utilizado para crosta de uma ferida

      • helena bringela

        esta a faltar o cascarrão tambem é a crosta de uma ferida

  88. .

    falta ai “abalar” – partir, abandonar um sitio (ex: escuta, abala-me daqui moce)

  89. miguelANGELO

    Ola a tds , gostava tb de partilhar com vcs algumas calinadas do meu povo ALGARVEU.
    VÁ-TE EMBORA CHOQUE [ CHOCO] QUE FAZES A AGUA TURVA.
    AS FEGUERAS ESTE ãne derem poque figue.
    berregue…. griséus com ovos, milhe,
    facebock tb ja ouvi.
    camenéte autocarro.
    ainbulaça ambulançia.
    charros alimades. carapaus alimados.
    ferragude.
    parchel parchal.
    granizeu, galo da india

  90. Ricardo Henriques

    Aqui fica mais uma perola:

    Bandear – abanar, estar a abanar algo.

  91. david

    armóino – acordeão o tóino toca bem o armoino punhefra!
    fláita – gaita de beiços
    féliado- ha uns dias para ca c’ando féliado com a minha mulher…

  92. Claudio Rebelo

    Tájaver – conjunção do verbo estar e ver,
    Exemplo: Atão déb, nã tájaver aquela cena?

    • Isaura

      E a junção do verbo ouvir com o verbo ver: ouviste – Tenhe ouviste dzer…

  93. david

    espojado
    escangalhado
    alfôres
    bacalhéu
    toicinho
    ventas- lavar as ventas – lavar a cara

  94. flórida conceição

    atão e : assome-se lá aí? o mesmo k espreite por aí..

  95. miguelANGELO

    toiota iace.
    ganfiu gatuno.
    paial- degrau de entrada.
    Fare. capital faro.
    chata- enviada ou barco de apoio.
    oile fula
    etc

  96. Marieta Duarte

    O Dicionário está DIVINAL!!!!!!

  97. Nelson

    Calitros – arvore muito comum nas terras do Algarve a que normalmente chama mos de eucalipto. ( monchiquense)
    Dêbe – diabo ou pá . Ex: qué isso dêbe.
    Tá o má fête num cã – esta confusão ou alguém chateado

  98. Muito Bom!!!

  99. Marieta Duarte

    Como atrás disse ,achei o dicionário excelente…..Todavia,nós ,temos na nossa terra riquezas,saberes,tradições,conhecimentos que os podíamos transmitir a outras regiões….. Que pensam desta ideia ????Se alguém achar por bem , diga alguma coisa, obrigada compinchas.Bom feriado…. Divirtam-se e sejam felizes!!!!!!!

  100. Paulo

    tá mto incompleto:
    Alguns exemplos que os Lisboetas cá em cima não sabem ;-)

    - Carrinhe de molas (Gesto feito com o dedo do meio)
    - Mecheca ou raparguinha (miuda nova, rapariguita)
    - Condlipa (conquilha, na zona de lagos)
    - Punhão ou Punhada (levas um punhão/punhada nas ventas)

    Enfim, só mesmo os algarves ;-)

    • Pedr

      Môç pequén ou môça pequéna – usado para denominar crianças pequenas. ex: Moç pequén dum rái!”

    • nidia

      tbem se dizia -levas um punhado nas ventas nem tas aqui nem tas ali …lolllllll

    • Pedro Mascarenhas

      punhasso (punhada)

  101. falta também o “sach´avor” (se faz favor) :p

  102. Ricardo Henriques

    Beços – beiços

  103. Joy

    E em Loulei,tiram o “i” do lête pa pôr no cafei!
    Está excelente! Parabéns!

  104. silvia

    Estalagaço- uma queda estrondosa, “deste cá um estalagaço”
    encalhar – tropeçar em algo “ainda vais encalhar com a mesa”

  105. nuno

    falta ai os diabretes = diabetes

  106. Ana

    Más um pequene contribute dum’algarvia XD
    Na minêrves! – Não me inerves!
    Mlhêr – Mulher
    Tufone – Telefone
    Tufnar – Telefonar
    Coise – Coisa
    Ôtre – Outro
    Digue – Digo
    Prontes – Pronto
    Mai nada – Mais nada
    Ó dê!! – Opá
    Dêxa-me – Deixa-me
    Dá-me um bêje ôme – Dá-me um beijo homem
    Amaldçuade moçe – Amaldiçoado rapaz
    Manitas – Mãozinhas
    Nem ca vaca tussa! – Nem penses!
    Pêssegue – Pêssego
    Pense – Penso
    O qéq é diçe? – O que foi que eu disse?
    Çnôra – Cenoura
    Alfarrebêra – Alfarrobeira
    Molhe – Molho (Comida)
    Lençe – Lenço
    Empresta-me um xuxu – empresta-me um elástico para o cabelo
    Tiches – Tissus (lenços faciais)
    Nunca mais é sábade! – Nunca mais se despacha/ o tempo passa
    Certe – Certo

    Enfim…poderia continuar que nunca mais acabava XD mas termino com uma das pérolas algarvia
    Malta vamos à fêra comprar um “Sérêngonhe”?
    Beijinhos e boa sorte.

    • Joel

      isto ta divinal! mas nos algarvios temos palavras para dar e vender XD

  107. iveta viegas

    Murdelhona,ou Tronga ,mulher que não arruma a casa.

  108. ricardo

    Testó! sinal de despeito

  109. ricardo

    a linha de pesca no Algarve chama-se a seda

  110. ricardo

    baraço é uma corda

    • Paulo Veiga

      E uma “tamiça” é um cordel.

      • Maria Pereira

        Tamiça também é conhecida por baracinha. Feita à mao, de palma para cozer a empreita.

  111. Daniela

    piquenine = pequeno

  112. jose frangolho

    compadri u mar tá que nê um cão,nã se pesca nên uma alferreca…….ai cumadre vem aí uma bezaranha que leva tudo pelo are…..:)
    ::::::::)

  113. ruy

    Repése – Já tou repése… – Já estou arrependido…

  114. Filipe

    Nao se esqueçam da expressão “Cabele é esse mó”

  115. Carlos

    tem avonde – já chega, tá bom

  116. Paula Diogo

    Alvriada – A moça é uma alvriada ( cabeça no ar)
    cagaçalo -barulho
    xôxa – vagina
    chapagem – acto sexual

    • Pedr

      chapagen – também é utilizado para designar os filmes. ex: “filmes de chapagem” também designados como “filmes de caraté alentejano”

  117. Edu

    E coida do pão
    Embigo

  118. carla

    Termos Médicos:

    Pirla – Pilula
    Prosta – Prostata
    Chispe – Implante

  119. Dario

    Assumar – “Vou-me assumar ali” , significa vou espreitar

  120. Moce

    oi entao e o Pataço? e o Sebano? Esparreladinha? oh pah a gente tén de completar ichto!

  121. adriana santos

    Adonde – A onde (exemplo “Tão, adonde andaste moce marafado?”)

  122. Dimitri

    Bandosa: Bulldozer ou retro-escavadora (ex: Olha ai que vem ai uma bandosa)
    Esquêr: Isqueiro (ex: Tens esquêr?)
    Berreg: Borrego (ex: Xii grande berreg!)
    lecler: E-Leclerc (ex: Fui ás compras ó lecler.)

    • Pedr

      Catrapila – da marca “caterpillar” para designar retro-escavadora, também designada unicamente como “máquina”.

      Dumpar – do inglês dumper; máquina para obras.

  123. elia

    Moss deb!!! Ma que raie de cabelo é esse? – Que corte de cabelo tão descabido ou tão feio. Por vezes, utilizado apenas para dizer que o que o outro está a dizer não faz qualquer sentido.

  124. rosa

    Olá não sei se já foi referido, mas qui vai vai o meu contributo:
    - azogado ( passado da cabeça)
    - ainças ( mal disposto)
    - raista partisse ( raios que o partam)
    - embuxada (mulher grávida)
    -anda cá aqui ( vem aqui duas vezes)
    - mánica ( máquina de costura ou outra)
    -mimóira ( memória)
    - pasiar ( acto de passear)
    -inxada ( enxada para agricultura)
    - cachão( mar bravo)
    -ralhos ( gritos)
    -estória ( história)
    -ganda chibo( acto de regatear e ou moço marafado)
    -xinfrim ( barulho)
    -alvoreada (moça maluca)
    -sabolas (cebolas)
    -azucrinar (chatear a cabeça)
    -tanaz ( tenaz da lareira)
    -tanganhos (pequenos e finos paus para acender o fogo)
    -cruzes ( Comadre doi-me as cruzes “costas”)
    -vietes ( Já vieste?)

    Espero que tenha sido útil
    rosa duarte

    • Paulo Veiga

      Ainda falta a “tração”, que é um ataque cardíaco ou coisa parecida. (Ah maltesuade q’ havera de te dar uma tração!!!…)

  125. stalin

    ouvisto – ouvir (moce tenho ouvisto dzer)

  126. stalin

    lête – leite ( vou buer um cafei com lête)

  127. Ana

    Alevantar
    O acto de levantar mas com convicção, com o ar de ‘a mim ninguém me come por parvo!… alevantei-me e fui-me embora!’.

    Amandar
    O acto de atirar com força:
    ‘O guarda-redes amandou a bola para bem longe’

    Aspergic
    Medicamento português que mistura Aspegic com Aspirina.

    Assentar
    O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.

    Capom
    Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!

    Destrocar
    Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.

    Disvorciada
    Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.

    Entropeçar
    Tropeçar duas vezes seguidas..

    Êros
    Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.

    Falastes, dissestes…
    Articulação na 4ª pessoa do singular.

    Ex.: eu falei,

    tu falaste,

    ele falou,

    TU FALASTES..

    Fracturação
    O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial.
    Casa que não fractura… não predura.

    Há-des
    Verbo ‘haver’ na 2ª pessoa do singular:

    ‘Eu hei-de cá vir um dia;

    tu há-des cá vir um dia….’

    Inclusiver
    Forma de expressar que percebemos de um assunto.

    E digo mais: eu
    inclusiver acho esta palavra muita gira. Também existe a variante ‘Inclusivel’.

    Mô (Moss)
    A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como ‘bué’ ou ‘maning’.

    Ex.: Atão mô, tudo bem? ou ‘Moss, deslarga-me da mão’

    Nha
    Assim como Mô, é a forma mais prática de articular a palavra MINHA.
    Para quê perder tempo, não é?

    Fica sempre bem dizer ‘Nha Mãe’ e é uma poupança extraordinária.

    Númaro
    Também com a vertente ‘númbaro’.

    Já está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!

    Parteleira
    Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.

    Perssunal
    O contrário de amador.

    Muito utilizado por jogadores de futebol.

    Ex.: ‘Sou perssunal de futebol’.

    Dica: deve ser articulada de forma rápida.

    Pitaxio
    Aperitivo da classe do ‘mindoím’.

    Prontus
    Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um ‘prontus’! Fica sempre bem.

    Quaise
    Também é uma palavra muito apreciada pelos nossos pseudo-intelectuais….
    Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.

    Stander
    Local de venda.

    A forma mais famosa é, sem dúvida, o ‘stander’ de automóveis.
    O ‘stander’ é um dos grandes clássicos do ‘português da cromagem’…

    Tipo
    Juntamente com o ‘É assim’, faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa.

    Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo.
    É assim… tipo, tás a ver?

    Treuze
    Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.

    Tiosque
    Sitio onde se pode comprar jornais, revistas, pitaxios, etc.

    Catatumbas

    Sitio pra onde se pode ir depois de morto.
    Ex: ‘Ê cá nã quere ir pra uma catatumba quere ir pró chão’

    Cromade

    Opção que se exerce em vida pra quando se morre.
    Ex: ‘Ê cande morrer quere ser cromade’

    Batoneira

    Máquina que serve pra fazer betão, cimento.

    Ex: ‘Moss, liga a batoneira’

    Bassora

    Também com a vertente ‘vassoira’.
    Utensilio de limpeza de lixo.

    Normalmente tem a ajuda da ‘apá’ para a recolha do dito cujo.

    Arrelampa
    Local com inclinação acentuada.

    Ex: ‘Moss, bora lá empurrar o barque aqui pla arrelampa’

  128. stalin

    Buer . ato de beber (vou buer uma min)

  129. uma mutracao igual a uma admiracao

  130. aurora santos

    Já me fartei de rir e relembrar . Podem acresacentar o” pechoco serrenho”

  131. adriano pereira

    É pá!! Que grande varêje !! – É pá ! Que grande alcance !!

  132. o adrill;;o tratuario

  133. adriano pereira

    Esgarrar o samerróte – Masturbação.

  134. Já me fartei de rir.Podem acrescentar o “pechoco serrenho”= quisto

  135. João

    Cafanfa…Nunca encontrei este termo mas a minha Avó sempre o utilizada como significado de “inveja”!
    -Na te rales filho que eles têm é cafanfa!!!

  136. Sara Chinopa

    No meio de tanta faladura da nossa terrinha (ainda bem que sou algarvia), falta uma que acho que não está aqui: Estou com fri (estou com frio), já a minha avó dizia e eu por vezes também digo.

  137. carlos lobo

    tás mázé maluk- tas mas é maluco
    levas é pazada á montes- levas muita porrada
    dêxa iss- deixa isso

    • Henrique

      Migue, maluk nã me parece mute algarví, mas maluque…
      Iste du alfabête ter passade a 16 letras, foi grand cachamôrra só suprada plu acorde ortgráfeque… ;)

  138. moce déb é na sabia quavia tantas palavras algarvias!!!!!???? Desmanxé-me a rir com iste

  139. Farstar

    Alcofifa – termo usado no concelho de VRSA para designar um pano encharcado ou rodilha.

  140. Salu

    tá lindooo completissimo! ocorrem-me apenas:

    âmt – acto de amar

    alórpade-bêm que me parve

    assulapade-parve por uma tipa qálquér

    adespôs-depois

  141. paulo duarte

    Ventas = Cara ex: “Vai lavar as Ventas”

    Rijo = depressa com velocidade ex: ” não vás de rijo”

    • Pedr

      Ventas – também é utilizado para nomear o nariz. ex: “Vai m’assoar essas ventas.”

      • Paulo Veiga

        Sim porque tens o rânhe à bica!!!…

  142. Farstar

    Fega – o mesmo que frasco (mulher feia e desinteressante)

  143. katia

    falta “escades” escadas á maneira Louletana.

  144. Telma

    Só é pena muitos dos termos estarem escritos com sotaque do só do barlavento.. como todos sabemos são bem diferentes. No sotavento não terminam as palavras com (e) como em quase todas as expressoes que estão no dicionário Está um trabalho interessante e muito trabalhoso só que na minha opinião esta mal intitulado, estaria mais correcto se fosse Dicionário de termos e dizeres do Barlavento Algarvio.

  145. Farstar

    Siumês – gato siamês

  146. Salu

    chinfalhada e calduçe = porradões

  147. Farstar

    Estragaço ou estargaço – Termo usado em VRSA. O mesmo que estalada.

  148. Farstar

    Charingar ou xaringar – o mesmo que lixar ou prejudicar

    • Pedr

      Charingar – também utilizado como chatear. ex: “Na’m charings as idêas” ou seja “não me chateies a cabeça”.

  149. Farstar

    Morraceiro – quem apanha morraça (variedade de alga existente na Ria Formosa), pessoa pouco hábil.

  150. Farstar

    Cande tu vires – Quando tu vieres.
    Tocarem bem mas tocarem pouque – Tocaram bem mas tocaram pouco.
    Irem ó Forem? Foram ao Forum? (centro comercial)

  151. Farstar

    Centimatre – Centimetro
    Calómatre – Quilometro
    Moradias germinadas – Moradias geminadas

  152. Farstar

    Mandado (mandade) – recado, ir à mercearia ou à venda comprar uma determinada coisa.

  153. PN

    Uai moss, atão? bel trabalh tu! Uma das coisas que eu acho mais piada ao algarvês é o juntar de palavras: 350 – trezentjizinquentã; 220 – dezentjivinte.
    A minha tia é de Loulé e às vezes eu peço-lhe só para contar, só para me rir, é fartote garantido! lol
    A serio, parabens, abraço,
    PN

  154. Zurrapa

    Cá vai mais uma achega.
    Que eu saiba só os Algarvios fogem atrás de alguém. “O Manel está fugir atrás da Maria.” :)
    Também não atiram coisas… jogam coisas. “Joga a pedra!”
    E só no Algarve é que há ovos goiros…, cocégas em vez de cócegas.
    E uma das que mais gosto é “o dar de vaia”. :)

  155. António Brito Tavira

    ri- rio ex o manel caio ao ri
    amoke- pancada de sono etc.
    pasmaceira- ex. não se faz nada nesta pasmaceira de aldeia
    bendosuando- abençoado
    camone- estrangeiro
    bife- ingleses
    pirla- pilula das mulheres
    Maior dicionário do Algarve- Cátia da casa dos segredos o maior exemplo

    • António Brito Tavira
      08/12/2011 at 0:09
      ri- rio ex o manel caio ao ri
      amoke- pancada de sono etc.
      pasmaceira- ex. não se faz nada nesta pasmaceira de aldeia
      bendosuando- abençoado
      camone- estrangeiro
      bife- ingleses
      pirla- pilula das mulheres
      graveto- dinheiro
      Maior dicionário do Algarve- Cátia da casa dos segredos o maior exemplo

  156. Zéi

    Moçe, tás escalmurrado – Escalmurrado (cansado; cheio de calor)

  157. Pedr

    Caçoila – utensilio para cozinhar.
    Plengana – utensilio de cozinha.
    Carrêir – carreiro, caminho muito estreito.
    Varejar – acto de varejar amêndoas.
    Rat – rato
    Coêlh – coelho
    Pórc – porco; macho da porca.
    Cêrr – cerro, monte.
    Árve – árvore
    Pént – pente
    Espêlh – espelho
    Baráç – corda
    Xaxo – sacho; também usado “xaxinh”.
    Fôrn – forno
    Lénha – lenha
    Brindêir – pão pequeno um pouco maior que um papo seco, mas caseiro.
    Tiborna – pão quente molhado em azeite com sal e alho. (Uma das melhores eguarias.)
    Grâns com massa – grão com massa e carnes gordas normalmente de porco.
    T’rresmes – torresmos.
    Quêij d fig – queijo de figo; doce regional composto de figo, amêndoa e um toque de medronho.
    Medronh – (fruto/baga) medronho; aguardente de medronho.
    Melosa – medronho com mel e canela.
    Frásc – frasco
    Frésc – fresco
    Lêit – leito, cama.
    Travessêir – travesseiro; almofada para dormir.
    Alumiar – iluminar.
    Bciclet’à’pdal – velocipede sem motor.
    Bciclet’à’mtor – velocipede com motor.
    Barc – barco
    Carr – carro
    Vénda – venda; pequeno estebelecimento comercial, em extinção, onde se misturava a mercearia, a taberna, a recepção/envio do correio e o telefone da aldeia, e onde se recebia o troco em rebuçados (sempre que possível).
    Malhar – cair. ex: “malhou um porradão”
    F’guêira – fogueira
    F’gueira – fiqueira
    Fôg – fogo
    Fig – figo

    E muitas, muitas muitas mais.
    Para quem não é Algarvio (ou do Barlavento) uma das normas é o silenciamento da última vogal excepto o “a”.
    Também muitas vezes desaparece a primeira vogal que precede a 1ª consoante da palavra.
    Muitas palavras são ligadas umas ás outras, e essa é talvez a grande dificuldade para os “forasteiros”.

    Termos como “pranta-te quieta” ou “pranta iç’aí quiét” também não são dificeis de compreender se ouvirmos com atenção o que se diz. Neste caso, “pranta-te” ou “pranta” de prantar (colocar, pôr); ou seja “fica quieto” ou “põe isso aí quieto”.

    Existem muitas semelhas orais em todo o sul do Tejo, com termos que se alteram, mesmo dentro do Algarve, mas constituem uma forma de falar influenciada claramente pelas mesmas raizes.

    Para que se preservem as tradições.
    Bem hajam a todos.
    Seria um trabalho muito interessante de desenvolver.
    Grande abraço ao Vitor Madeira.
    Saúdinha à tods!

  158. Zéi

    Bondosa (Bulldozer)
    Catrapila (Caterpiller)
    Mánica (Máquina)
    Gasoil (Gasóleo)
    Alt’motora (Automotora)
    Caminéta (Camioneta; Autocarro)
    Pitroil/Petroil (Petróleo)
    Alumiár (Iluminar)
    Cang’rejo (Caranguejo)

  159. Zéi

    Venda – “Vai à venda fazer um mandado….” Ir à mercearia fazer compras.
    Demasia – ” …e trás a demasia…” Trazer o troco do dinheiro.
    Rabçados – “…e nã gastes em rabçados” Não gastar em rebuçados ou guloseimas.
    Rajá – Gelado de pauzinho

  160. salu

    pára quiéte,tá ssugado- está sossegado

    deslarga-me da mão- deixa-me em paz

    parvalhêra-pasmaceira

    enbeiçade-apaixonado

  161. Pedr

    Uma das nossas melhores expressões:

    “Tás becm parv!” – a palavra “becm” desperta sempre muita perplexidade nos “forasteiros” e traduzir isto torna-se sempre muito engraçado.
    “becm” quererá dizer algo como “parece-me que” e creio ser um dos melhores exemplos de que no Algarvio falado “no poupar é que está o ganho”.
    Concluindo, a expressão “tás becm parv!” quer dizer: “parece que estás parvo!”

    Desta expressão ainda há a variação abreviada, repito, abreviada: “Tás becm…!!!”

    Já lá dizem os bifes (Americanos): “less is more” ou seja “menos é mais”.

    E para o “forasteiro” quem não tenha percebido bem o que é “dar de vaia”.
    “Dar de vaia” é um cumprimento que pode ser expressado apenas com um ligeiro e quase imperceptível aceno entre pessoas; também pode ser expressado levantando uma das mãos e dizendo “hô”.
    “Dar de vaia” também pode ser a resposta ao chamamento de alguém ao longe.

    Saúdinha.

    • Isaura

      Esta do “tás becm parv!”… eu, nem imaginava como se podia escrever isto; lembro de que, quando frequentei a escola primária, não encontrava nos livros estas palavras e expressões do falar algarvio, e, perguntava ao meu pai, e, meu pai dizia, que essas palavras não constavam nos livros, mas que as pessoas falavam e diziam assim; neste caso do “tás becm parv”, o “becm” dizia-se duma outra forma, assim: Ah olha pra iste… abecm stá chei de farfalhos!

  162. EC

    zambuada ou azambuada – zumbido
    même – mesmo
    Tá o mar fête num cão – o mar está agitado
    caféi – café
    datôr – doutor
    Dar de vaia – cumprimentar
    grómites – vómitos
    Budêra – bebedeira

  163. zulari

    Oi!!

    Falta “Babuja”

    Babuja : beira da água, na praia.

  164. Cristina Marreiros

    Agora, assim amodos que derrepente só malembra de

    paial – o mesmo que pial
    celada – salada
    pitroil – petroleo
    alzebeira – algibeira
    prantar – pôr, colocar

  165. Ao Sol postinho – ao pôr do Sol

  166. PURI

    Pisa – Tareia (levas uma pisa que te mate!!!)

  167. Rui

    Falta só mais algumas ”Pérolas” para compor a prosa…

    Prosar – Acto de conversar
    Bilhardêra – Mulher que fala da vida alheia
    Fegar – Acto do aborrecer o parceiro ( est tipe nã pára de me fegar o juizo)
    Desmandado – Seguir com rapidez ( olha só aquêle magano vai desmandado pela rua abáixe )
    Empedrenido – Problemas de estômago ( Tênhe a tripa empedrenida nã consige quemer nada )
    Mercar – Acto de comprar ( vai á venda mercar um kile de griseus )
    Cagaiço – Susto ( levê cá um cagaiço que me borrê tode )
    Gabiru – Rapaz com más intenções ( aquêle magano é cá um gabiru que só vist )
    Estalaiço – Estalada
    Gaziada ou Esgaziada – Rapariga maluca ( aquêla môça anda mêmo gaziada )

    Um abraço á malta Algarvia..

  168. Rui

    Mais algumas que entretanto me vieram á Lembradura…

    Gadelha – Cabelo grande e despenteado
    Sedéla – Fio de pesca
    Rabolo – Pedra solta
    Agasalhade – Acto de se proteger do frio
    Erramelhada – Ter a roupa amachucada
    Amarfanhada – O mesmo que erramelhada
    Truces – Roupa interior de Homem
    Bandalhe – Homem que não vale nada
    Mejar – Urinar
    Pirolite – Beber uma pequena dose de bebida alcoólica

    Um Abraço á malta Algarvia…

  169. A “descansada” da minha Avó. Falecida. Ou a “ex”: a “descansada da mulher dele”, a ex-mulher

  170. Tony do Coito

    O Victor me desculpe este atrevimento, mas nao resesti, com a melhor das intencoes e espero assim seja interpretado. Nao conheco, nem encontro em qualquer lado a palavra “minduim” nao querera dizer “amendoim”?
    Alcagoita – Aperitivo para descascar e acompanhar uma cerveja bem geladinha na taberna. O mesmo que minduim. (Ex: ‘Ti Tonho, traga umas alcagoitas prá gente quemer de companha c’as sarvejas’)
    Tony

  171. sofia Cadete

    Precurador – o que trata de negócios de outrem tendo para isso procuração.

  172. Soraia Diogo

    VAIA…forma verbal do verbo ir. (Ex. “Queres que eu vaia contigo?”
    =)

  173. Maia

    Lête – leite =)

  174. Maia

    “májó menos” – mais ou menos

  175. José Carlos Sousa

    Moss, tensum Bique na cara = Borbulha

  176. Má – “mais” de superlativo (Moçe má fêio).

    • Pedr

      Cá nu mê entender, ach que deva de ser menduins. O mesm que amendoins ou alcagoitas.
      Abraç.

  177. eliana P.

    ” A tu mãe anda à tu pregunta! ” trad- o acto de procurar.

  178. Pedr

    Acagulad – acagulado; vasilha, medida, recinto muito/demasiado cheia/o, quase a estaburnar.

    Estaburnar – derramar; a deitar para fora de.

    Jêtêra – jeiteira; “iç na ten jêtêra ‘nhuma” ou seja “isso não tem jeito nenhum” ou “que não tem cabimento”.

    Panasc – panasco; erva seca ou pequeno galho; também pode ser usado para se referir a alguém.

    Juil – Júlio
    Jôquin – Joaquim
    Mané’jôquin – Manuel Joaquim (nome muito popular)
    Antóin ou Tóin – António
    Xic – Francisco
    Xic’zéi – Francisco José

    Sequinh ou sequinha – pessoa magra.

    Estêra – esteira; normalmente de cana para secar os figos.
    Êra – eira; local circular na propriedade onde se tratavam os cereais.
    Terrén – terreno; usado para designar a propriedade ou fazenda. ex: “u mê terrén”
    Tãinq – tanque
    Múr – muro
    Estréma – extrema; divisão entre dois terrenos.
    V’reda – vereda; caminho estreito. ex: “já na dás ca v’reda”

    Caguêr – cagueiro; rabo.
    Entrôlhes – entrolhos; partes intimas.
    Abaniques – orelhas

    Fedôr ou fadôr – mau cheiro ex: “pfu déb, que fadôr é est senhors?!”

  179. Carlos

    Entaladinho- pão com fiambre ou bifana

  180. ANa

    Azête – Azeite

    Cad Banho – Casa de banho
    Cambara – Câmara
    Câncaro – Cancro

    Enzenêro- Unhas de fome

    Numbaro – Número

    Pirúla – Pilúla

    Rabçado – Rebuçado

    Slada – Salada

    Zêtona – Azeitona

  181. rui

    - Atão vizinha? roubaram-le as galinhas?
    - Poi’ tão.
    - Tinha muitas?
    - Poi’ tinha.
    - Isso foi à quanto tempo?
    - Vai p’ oito dias.

  182. “Esturme” – aquilo que o meu jardineiro põe nos canteiros, estrume…

  183. Bruna Vila Nova

    Isto não é como se escreve, mas sim como se prenuncia. Nenhum Algarvio escreve deste modo! E essas prenuncias são mais de Lagos, porque mais para as fronteiras espanholas,fala-se a cantar .. e bem diferente de Faro para cima. *

  184. Bruna Vila Nova

    .. e existe muitas ‘formas verbais’ que estão incorrectas, pois muitas delas são alentejanas. (falando não só do que foi postado, mas também do que foi comentado) :)

    • Pedr

      Amiga Bruna,
      Já tinha deixado um comentário onde referia que do Sul do Tejo para baixo existem muitas semelhanças orais (não confundir com as formas escritas nem com os pontapés na gramática).
      Para sermos expecificos teriamos que separar o litoral, o interior e a zona fronteiriça, dado que as expressões, formas de falar e mesmo os nomes de coisas mudam de zona para zona.
      Saúd.

  185. Isaura Barão

    Lá no “carapito” – Lá no alto; lá no cimo

  186. Pedr

    Derriad – derreado; muito cançado; de rastos. ex: “tou derriad”

    Cadéla – bebedeira. ex: “tal na’é éssa cadéla”

  187. Manuel

    gemios-jemes
    pois-pos
    dinheiro-dhero
    antigo-intigo
    depois-dpos
    zangado-marafado ou malino
    guardanapo-gordanapo
    como eu-cmeu
    buscar-pchecar
    dormir-dramir

    azeite-azete
    cortei-crtei
    dizer-dzer
    eu peço- eu ped
    bonito-bnit
    mais-mas
    oliveira-olvera

  188. Olá! Tá munto enteressante mêmo! Parabêins a tôdes! Inda dá pra acrescentai más uns quantos:
    - Tanganho: pequeno pedaço de pau/madeira que pode ser utilizado na lareira
    - Rodilha: Pano de cozinha

  189. Zélia Gomes

    Aventar-Jogar fora

  190. Olá!
    Sou de Palmela e dizem que temos uma pronúncia parecida com o Algarvio.
    Aqui temos algumas expressões que não sei se são aí usadas:
    Á da – ir a um lugar, a casa de…. ( ex: Vou á da Ana )
    Andana – roupa nova,conjunto de saia e casaco,etc. (ex:fui a Setúbal comprar uma andana)
    Nha – minha (ex:a nha avó)
    vites – vistes
    fizetes – fizestes
    disetes – dissestes
    E muitas maiss expressões.
    Neste vosso dicionário encontrei palavras que nós usamos :)
    Lurdes S.

    • farstar

      “Ir à da”… expressão genuinamente algarvia, explica-se como derivando da preposição latina ad, que tinha, entre outros, o sentido “de casa de”.

  191. Silvia Castrp

    Está espetacular, muitos Parabéns! Ora aqui ficam mais estas:

    arrendi – 1ª pessoa do singular do verbo arrendar
    baraçe – corda ou fio utilizado para atar qualquer coisa
    brendêrinho – pão caseiro pequeno
    buia – modo chamativo dos cães, como em “anda cá bu-buia!”
    cabriola – do verbo “cabriolar” aplicado às crianças traquinas
    dar quebrante – lançar mau olhado
    enguiçe – feitiço, mau olhado, quando qualquer coisa não funciona é porque está enguiçade
    enjetadinho – criança rejeitada ou abandonada pelos pais, orfã
    ervilhanas ou alcagoitas – amendoins
    estróia – adjetivo aplicado às crianças “terriveis”, como em “é même estróia, rai do moçe dá cabe de tude!”
    javardiçe – sujar, fazer porcaria, como em “tel é a javardiçe q’fizeste!!”
    parente – qualquer pessoa do sexo masculino que seja da família, mesmo que não se saiba muito bem da parte de quem e de quem por vezes não se sabe o nome, “eh parente atão como tem passado?”
    magane/a – malandro/a
    misgalhar – esmagar
    mirôlhe – pessoa estrábica
    tine – juizo, como em “nã tem tine nenhum este moçe!”
    pero – maçã pequena e vermelha, muito vulgar no algarve e normalmente muito doce
    tuna – sova, “dou-te uma tuna que vás vêr!”
    xoxa de velha – alforreca preta vulgar na Ria Formosa

  192. Cláudia Nascimento

    Eu vou deixar aqui uma palavra que uma vez saiu-me ao pé dos meus sogros “Lisboetas” claro e foi uma carga de trabalhos para lhes fazer perceber o que era.
    Um barranáçe = pode ser um belo copo de bebida, ou um grande pontapé na bola, tudo o que for bater com força. (ex. O Cristiano Ronaldo amandou cá um barranáçe na bola!!!, O gajo bebeu cá um barranáçe de vinho! etc etc etc)

  193. Isabel Mateus Braga

    esgroveada – maluca
    bogango – abóbora

  194. Martina do Nascimento

    Caramba, isso devia sair já antes do natal. Excelente ideia e era uma prenda bombástica para o meu pai que é de Fari.
    Espero receber notícias da data de lançamento.
    Inté

  195. Sandra

    cinque – cinco
    barque – barco
    gostem – gostam

  196. Olá. Achei tudo isto muito interessante e deixo aqui o link para um pequeno livro já antigo, com uma recolha do falar olhanense da autoria do falecido António Cabrita. Este livro foi publicado cpela minha associação de valorização do património da terra (APOS). Se quiser mando-lhe o livro em word porque tenho o original. Veja em http://www.olhao.web.pt/Textos/FalaPescadoresOlhaoAC.pdf

  197. Elio

    tem àvondo — já chega
    arriar o calhéo–obrar
    bufina–egoista
    magano–malandro
    garganeiros–comem tudo nao deixam nada
    gasmarras–sugidade no corpo
    bataqueiras–corpo com sinais de sugidade assentuada

  198. ines

    “fugir atrás dele” – correr muito depressa atrás dele

  199. elisabete

    comprar pano. (comprar tecido para mandar fazer roupa).

  200. Estela Luz

    BDR

    Fregeneco – Fritura; Petisco “Faz-e aí um fregeneco d’oves”
    Riba – em cima “more lá p’ra riba”
    Prantar – Pôr; colocar “Pranta iss’aí, home!”

  201. Sandra

    vogas – bogas
    pargue – pargo
    sargue – sargo

  202. Ana Cardoso

    Muito bom mesmo :D
    Mos o qê me ri :)
    Antão moce nã dás ice de fêto? Então moço, não acabas isso?

  203. corália

    Está fantástico ,demonstrativo da genuinidade algarvia.Também usei e acho curiosa a expressão “embrulhado” ,quando nos referimos ao céu nublado e ao baraço(corda)

  204. corália

    Está fantástico, demonstraticvo d agenuinidade algarvia.
    Gosto também da expressão”embrulhado”, quando nos referimos ao céu nublado e ao baraço(corda)

  205. ana nascimento

    Assomar – Vamos assomar à janela- espreitar, ir ver, olhar
    xôxa – vagina

  206. Lurdes Amaral

    Mende-morgue – Amêndoa amarga. (Ex. aquela arbre dá mende-morgue…)
    Lête-ferre – Leito de ferro, cama de ferro. (Ex.ê cande casê, levava um lête-ferre…)

  207. Nicki

    Então e o verbo “aver”, já alguém disse?

    Eu êde
    Tu ades
    Ele ade
    Nós avemes
    Vós aveis
    Eles adem

  208. Artur Martins

    Isto está um pouco exagerado, isto é mais alentejano que algarvio mas tá muito engraçado… no fim de tanta coisa ninguém se lembrou da palavra típica Démo (variante mais comum em Faro e Olhão) que significa o mesmo que diéb (variante que nunca tinha ouvido e sou algarvio)

  209. Nicki

    Ahhh…e Vítor, está espetacular a página! Parabéns!

  210. Lurdes Amaral

    Mais ainda, não se esqueçam das expressões típicas… (ex. ondé ca gente vames?) e (isté pra mim quemér?)

  211. Sílvia Rosa

    Olá boa noite,
    Acho esta ideia fantástica, eu e um colega de trabalho andamos sempre a ver quem se lembra de mais palavras ou expressões típicas.

    Lembrei-me de:
    Escramalhar – acto de espalhar algo
    Aventar – atirar qualquer coisa

  212. Carlos Estanislau

    Atão e o lete (leite)
    Lengonha (Liquido resultante de uma ejaculação)

  213. Félix

    Hehehe!! Esta compilação ‘tá do melhor!! =D Eu acrescento 3:

    Dar banhe – tomar banho (ex. Vô dá banhe antes de quemér)
    Gadelha – cabelo (ex. Moss ‘tás c’uma gadelha mem grande!)
    Escades – escadas

    Parabéns pelo blog!

  214. Joaninhaa

    Adoreii! Sou algarviaa com orgulhee! Ahah ;)

  215. nyce nyce

    dejando,,uma delas ,verbo desejar “desejando”

  216. Farstar

    Frases atribuídas às gentes de Olhão:

    - Moss, sebente da ilha…

    - Pórc suje, sabuje de merda…

    • Marta

      Boa noite,

      Tb me lembro de perguntar à minha avó como estava e obter a seguinte resposta:
      - Bêqueme práqui tou, meio adoentada filha.
      Penso que bêqueme deveria ser – parece-me ou acho.

      Continuem :))))

  217. Zé Maurício

    Na sabiem esta?
    Apontar= Jogar (deitar) fora. (Ex. moce, apontame já isse)
    Zé Maurício

  218. fid'olhão

    Atão e os gatos em Olhão mó, como mião – MIAUMÓ,miaumó

  219. António Sousa

    Lembrême de más umas pérlas (lembrei-me de mais umas pérolas)
    – moç’ d’um cabreste – moço de um raio
    – rai’s qu’a parta – raio que lhe partam
    – rai’s t’a partam – raios te partam
    Aqui deixo o contributo da algarviada que a minha mãe fala

  220. clara matias

    alvriado / alvriada – çabeça no ar , inresponsavel, estroina.

  221. Baita – acentuar uma acção [dar um baita dum pontapé]
    bübdeira – consequência de ficar bëbdo
    punhão – acentua a acção – “Ah punhão!”
    aqui n’ámigues – aqui não há amigos
    alforres – algo que está pendurado – tanto pode ser testículos como tecido para colocar as enfusas ou cantarus dágua.
    papas – xérem
    estio – tá estio – tá o cé limpe [o céu está limpo]
    Louléi – ataum tu és dondi – Ê sô de Louléi
    fuças – sinómino de cara – “LNa te calas, levas na fuças”

    existe uma grande diferença entre Lagos – Alvor – Silves – Loulé – Olhão – difícil de conciliar

  222. Caganda – que grande

  223. MARTA

    enterrador-coveiro
    vesperas-vespas
    cêsta-6ªfeira

  224. ai moços marafados tambem querem ser algarvios todos

  225. José Monteiro

    Cloques- sapatos artesanais do Algarve
    Condelipas – Conquilhas na Zona de Lagos

  226. raul silva

    tem avondo chega,basta

  227. Margarida E. Santo

    Paxôrra = paciencia
    :D

  228. Ivo dinis

    engáde- em lugar de
    atã ma que rai-então mas que raio
    entinguido-timido
    enrrolhado- pessoa com frio
    songamonga-apática
    Balito-nome masculino na consequencia de Manuel ,Manelito, Balito
    alpargataço-dar porrada com um chinelo
    desmandado- ex. o carro ia desmandado! ( com muta velocidade)
    desgroviado-maluco
    desensofrido-estado de ansiedade
    cacheirada-palmada no pescoço
    enpanados-panados
    amontei-me-ex.amontei-me na motrizada (montei-me na mota)
    atanchado-ex. tinha a faca atanchada na perna (espetado/a)
    almariade-tonto enjoado
    desquesita-esquesito

    • silvia

      tá bom, só dizer que na minha terra entinguido significa tar com frio

    • Mizé

      engáde: o significado que tenho para esta palavra é o de ser costume ou hábito sorrateiro (á socapa). Ex: Tava engáde air àzuvas, fizlhe ma xpreita… papouas!

  229. Há uma expressão que sempre me fez rir. Quando um indivíduo está muito embriagado ou alterado por outras substâncias. “Ói put, tou muit!”. O amigo dele partilharia a informação com os outros presentes do seguinte modo: “Mó, o gá tá tant já!”

  230. Max Bonança

    para completar o que ja está no dicionário:
    Cagáss – susto
    Cagufa – medo

  231. José Monteiro

    Brandura = Orvalho, humidade nocturna.

  232. redilha – pano velho.. para limpeza
    rézinha – á beira de algo
    cacimba – neblina
    mocequeno- menino
    moçaquena -menina
    ventas -nariz
    esgolfar -espirrar algo
    vereda -trilho

    estas palavras são só algumas que me lembro neste momento
    bom dia a todos e viva o Algarve

  233. anabela

    estas são da serra do sotavento Algarvio (concelhos de Alcoutim e Castro Marim), junto à costa (VRSA) já não usam estes termos nem sabem o seu significado

    aventar – atirar para longe, jogar fora
    arrimar – aproximar
    assomar – espreitar, ir ver
    entenguida – cheia de frio

  234. Eugénia

    marafado = valente, desenrascado, zangado (expressão multifacetada)

    Poças ! = – oh meu Deus ! / que chatice !

    Parabéns por esta ideia !

  235. Care Vitor,

    Obrigada por este dequemente preciose.
    Nã cê se já conhece o nosso grupe Uma Lição de Algarvio no facebook mas tenhe tudo o goste em convidá-le a juntar-se.

    Até breve,

    http://www.facebook.com/groups/183717691649979/307687742586306/

    Ana

  236. margarida fernandes

    N`á pai prós Algarvios!!!!

    aí vão mais umas:

    Bondosa – Bulldozer
    Alcofifa- pano de limpar o chão.
    Levantace – Tempo de Levante muito acentuado(Tá cá um levantace!)

  237. Mais uma pra juntar:

    Tanbleirão = Baloiço
    Dimplão = Nu

    • José Cabecinha

      junte;
      Em cação – nú;
      Em pelota – nú;
      Em crepinhe bem fête – nu;
      Arredoiça – balouço.

  238. Alembrê-me doutras:

    Acagulado = Cheio até acima
    Bzuntado = Com nódoas de gordura
    Cadela = Bebedeira
    Messinho/ Mossqueno = Criança
    “Mar fêto num can” = Mar agitado
    Amtorizada = ciclomotor

  239. Ah mon…! … Ondé’quiste já vai…!!? … Atã na veiem?

    Vejem lá vocêas, qu’é cá quemecê iste assim por brincadêra em setembre, e só em tré’dias já vames com más de 300 quementáires!

    Um MUNTE OBRIGAD a todas e a todes! Du fund’o curaçã!

    (e munt’obrigad Ana! Na quenhecia! Vou já u Fêcebuk ajuntar-m’esse grup!)

  240. E aqui fica um pedido de desculpas para os últimos comentadores, pois este tema do WordPress quebra o fundo branco após algumas dezenas de comentários (ver mais acima)

    Todos os que comentarem a seguir, verão os seus comentários com letra preta sobre fundo castanho, o que não ajuda nada na leitura… Com muita pena minha, mas é um facto a que sou alheio… :(

  241. Alsinha

    Nã encontrê algumas coisas tipe:

    Embrulhade – Ceú enublado (ó moce, hoje tá tudo embrulhade, nem se vê o sol)
    Forem – Foram
    nhá – Minha (Fui a casa da nhá´Vó)
    Vierim – Vieram
    Trucérim- Trouxeram (Eles forem e vierim e na trucérim nada da casa da nhá Vó)

    Alsinha – Diminuitivo de Elsa

    • Alsinha

      De rojo – arrastar pelo chão (moce, tens o casaco de rojo)

      As moças estavem em pelota – As miúdas estavam nuas.

      • Mizé

        dárroje – moce, tens o casaque dárroje plu chã

  242. Tiago

    talochas – pés grandes (moss tens ca umas talochas)

  243. Tiago

    mais outra….

    encalmade(a)- com os calores, com pouca roupa

  244. Ok, problema resolvido! Agora, coloquei um novo tema sobre o blog e assim já se conseguem ler TODOS os comentários como deve de ser.

    MUNT’OBRIGAD A TODES!!! (e a todas!)

  245. Andre simoes

    eu uso alguns, tipo:
    - Ades cá vir
    -desenlargame
    -marafado
    -maquejeto

    quando me lembrar de mais comunico….

  246. Rita

    Arrecebides – Casados (Ex: “Eles n’eram arrecebides”; Tradução – “Eles não eram casados”)

    • Teresa

      Cagorrro–recaida ficar doente de repente ,exem…o ti Manel de-lhe um cagorre.

      Azougue–quando está sentado e vira se para um lado para outro e não está quieto. tens azogue no rabe.
      Ou tens biches carpinteros…n!..

  247. boa compilação ;)

    xaringar = lixar, tramar alguém (ex.: ah mon, já xaringaste iste tude!)

    um abraço

  248. silvia

    mais umas,
    plengana – saladeira grande
    texto – recipiente velho normalmente usado para dar agua/comida aos animais

  249. Ana E.

    Falta “Punhadas” – murros, porrada (Ex. vou dart’umas punhadas c’até t’arrevire uzólhos!)

  250. Elsa Carmo

    Kemer;
    Namapetece – Exemplo: “Agora namapetece kemer”, ou seja, “Agora não me apetece comer”

  251. É giro reparar que mesmo não tendo família no Algarve (acho eu) , cresci a ouvir tantas dessas expressões :D
    Btw, o modo de falar é bastante parecido com o do Alentejo… Nunca reparei que no Algarve se falasse assim, mas ri-me tanto!
    Adoro pronúncias :))

  252. Elsa Carmo

    escalmorrado; o mesmo que: cheio de calor

    escaldão; exemplo: apanhar um escaldão do sol

    kemer; exemplo: nã sê o k fazê de kemer

    banhe; exemplo: agora nã posse sair puque vou dá banhe; ou seja, agora não posso sair porque vou tomar banho

    esparramada, ou seja, uma pessoa caiú no chão e ficou estendida

  253. Xotinha

    Descabreado – Tá tudo descabreado é o mesmo que dizer que está tudo lixado

  254. Susana

    Não consegui ler todos os comentários, por “isse” se me repetir, peço desculpa.

    escades = escadas ou degraus
    ervilhanas = amendoins
    escancarada = toda aberta ( a porta está escancarada)
    sedoira = base para colocar os tachos ou panelas quando estão quentes
    chemela = almofada
    chemelinho = fraquinho/fininho (este tecido é tão chemelinho)
    onte-ontem = antes de ontem
    lizencu = luz muito fraquinha, que não ilumina quase nada
    ventura do pão = primeira fatia do pão, a que tem a côdea toda num dos lados
    charepe = rapaz magrinho/fraquinho

  255. Marta

    iste tá de partir o côc a rir mó!

    fica má um par pá coleçao moces dum diabe:
    escaradeira- bebedeira
    escarado- bebedo

  256. Marta

    e já agora:

    munto/munta – muito/muita
    fri – frio

    ´ta munto calor hoje! ‘ / tá munta fri moh! ‘

  257. sofia

    Adorei e lembrê-me destes:

    Pingazete e Libelinha—-libélula

    Lizincu—- pirilampo

    Cavalo—–aranha cujas pernas são mto compridas e finas, Costumam estar nas paredes perto do tecto das casas .

  258. Susana Vieira

    Engade (em lugar de) – ex: engade ir por aqui foi por ali (termo usado em Olhão mó)

  259. Ana Clara Bernardes

    Parabéns pelo pertinente contributo!

    Não tive ainda a possibilidade de ler tudo, nomeadamente os comentários e sugestões, por isso dei por falta de:
    - Umbigue – umbigo
    - Chemela – almofada

  260. Margarida E. Santo

    “Magala ” tambem pode ser ” soldado”

  261. José Cabecinha

    Bexôque – fruncúlo,
    Bezelhão – fruncúlo,
    Endoenças – Páscoa,
    Pangaio – Alpendre,
    Jemela – almofada,
    Lâzudo – cabeludo,
    Escarafunchar – moçe na escarafunches mai o nariz,
    Náguas – saiotes,
    Borrefa – Fruncúlo,
    Púa – falha de madeira que se meteu num dedo,
    Xêquere – pocilgo,
    Marrafa Ò mêo – risca do cabelo ao centro da cabeça.
    Brêzas – Mãos,
    Brenhóis – fritos de natal,
    Mánica de Questura – máquina de costura,
    Cangalhas – òculos ou canga de madeira para animais de carga,
    Desorelhada – mulher sem bricos,
    Cadeiras – ancas,
    Cruzes – Zona dos rins,
    Empalamado – adoentado,
    ser grave – ser rico,
    lambedoiro – charope,
    feguinhe enxade – pessoa armada em boa,
    brêba – figo ou cagadela,
    Arrelampado – boquiaberto,
    Mêdo – Fantasma,
    Mirra – Esqueleto ou pessoa magra,
    Escalmorrado – cheio de calor,
    Esfalfada/o – cansada/o,
    Xôxo – estragado ou triste,
    Baldeado – maluco,
    Má que gêtes mó – Porquê,
    Punhão – “à punhão se tagarro”,
    Carnicão – cascarrão de uma ferida ou parte sólida de um fruncúlo ou a sua raíz,
    Babas – resultado da picada de uma pulga ou de um mosquito ou outro animal e que dá comichão,
    Sapatos de ourelo – sapatos feitos com as orlas dos tecidos e sola de cabedal,
    Cloques – o mesmo mas com sola de madeira,
    Batêras – Sapatos ou barcos da ria de Faro,
    À rézinha da parêde – junto às paredes,

  262. Zéi de Soiza Pichelim

    Farcisca,
    à diaze do mare das burlengas a nove barçadas de fondeza atéi semém embrezarem as brêzas cando o cabrã du te pai m’olhoume i dizeme açim;
    - “móçe déb paréce tu qués montanhere e fazes ganda sucrefiçe em vires ò mar”.
    Moçe Farçisca ê mai cria cu tê pai medeçe um estradaçe da cara aquele me dezeçe uma coisa daquelas.
    Até cu Mané Blé mólhoume i dizeme açim.
    -”Moçe déb nã cazas ca filha dele mai cazas cácaminha”.
    É parquevejas Farcisca que nã me faltem purtendentas.
    Cande vieremos a terra ê cá compre um chapêram d’abaze largaze, umas botas ranzereras, umas tapadoiras pás pernas, paçe ò barlavente da tu porta, tu cá vezemes i nã me falas ê cá vezete i nã te falo i voume pró mar de laraxe.
    Çe calhar penças cu tê pai èi o prençeso D. Carles e a tó mai a Rainha Dona Amelga i us tés érmões us Enfantezinhes?.
    Tás mal amanhada que sã todes mai brutes cós penhêres du mane Jom Luiçe.
    Ê cá beim çê qués munte purfêtinha de mãozes i té tens uma mánica de questura, mai ê cá também érdi da nhávó tré vetens i u xtrafêgue duma canoa.
    Agora vai tu mai a puta da tó mãi dezerem mal de mim per eçes rebêres e valades, quesemapareçe alguma coisa du mé crepinhe, já sei que forem voçeias que me dérem máolhade.
    I mai, até namemporta vanhas dezêr iste ò pórque du tê pai.
    Tê muta dudicade Embróize.
    PS – Móça a tu mai que nã çe esqueça dos tais brenhóizinhes.

    • duarte guedes

      Tomei a liberdade de “postar” no FB a carta do Embróize à Farcisca.
      O remate com o mimo dos brenhóizinhes é verdadeiramente arrebatador……a coisa dá-se !!!

    • Farstar

      Esta é a versão da “carta do marítimo”, tal como se encontra no sítio da APOS, Associação de Valorização do Património Cultural e Ambiental de Olhão:

      CARTA DO MARÍTIMO OLHANENSE À SUA NAMORADA

      Nota: esta carta foi uma brincadeira escrita em segredo, salvo-erro num Carnaval, por uma rapariga (Etelvina dos Reis Nascimento) amiga de uma tal Francisca, de quem um jovem marítimo com pouca instrução se tinha apaixonado. Celebrizou-se em Olhão através dum teatro encenado por Joaquim da Silva Vaz (o “Vázinho”).

      Farcisca

      À díase, do mar dâse Berlêngase, a sete bráçase e mêa d’ água, embararem-se-m’ âze grósêrase, cande vê de lá o mariola do tê pai e me dezeu assim :
      - Ó hôm!!! tu ése um montanhêre, hôm! Tu fázez um grande salcrafice em virese ó mar !!!…
      - Má o que é que você me dize, hôm?!
      - Digue-te iste e nã casase ca ‘nha filha !
      Alha-me-ze Farcizeca ! ê cá ântese cria cu tê pai me dèsse doi ó trê estragaços da cara, q’êl me dessesse aquil que tá ali à vizete de gente!

      Viémese pá terra e a companha do barque nã falava doutra coisa.
      Nísete, vê de lá o mane Zé Xaveca e me dezeu assim:
      -Mó, ó móce! Na te zánguese, ná t’ arráleze, móce! Taze-te arralar?
      - Atão nã m´ êde arralar?
      - Nã te ralese rapá, se nã casáreze c’a filha dele casaze cá c’a minha hôm!

      É p’a que vêisase, Farcizeca, quê cá inda tenhe pretendêntase. Tu pensase cú tê pai é o Prencêse D.Carlos? A tua mãi a Rainha D. Imélia e os tês ermãos os Enlefantesinhos ?
      Alhamese ! ele é mai brute cá mãi dos penhêrese do mane João Luice.

      Dêxa lá cuma viage quê face ó mar de Larache , ganhe o denhêre às braçadase. Compre um chapé de côque, uma vengala, botas de rengedêra com tapadôiraze, passe a barlavante da tu porta e arraste os peses cóm’ um gal. Tu vêse-me e falase-me, mai ê cá veje-te e nã te fale.

      Mai, sê cá sentir alguma coisa do mê côrpe, ai ‘nha mãe!!! Digue logue que forem vocêiaze que me fizerem mal! Qu’ê cá nã quér que vócêiaze andem a falar mal de mim p’êssese tânquese e rebêrese!

      Ê bem sê que tu tenz’ uma linda máineca de quez’tura, mai ê cá na sei s’èze tan prefêta de mãoze come dizeze.

      Na m’arrale! Cá só quer que tu t’allêmbreze dos mês doze brenhoisinhes (ponha lá iste da carta,mano Manel, qu’ela já m’entende).

      Digue tiste e nã memporta com o pôrque do tê pai.
      Perdoi a arção.

      Embróise

  263. joao

    cajado-bengala(traz me o cajado)
    cadera-cadeira(puxa a cadera)
    garfe-garfo(comer com o garfe)
    assumar-espreitar(vou me assumar a janela)

  264. Isabel Silvestre

    Deixo aqui o meu contributo:

    Xmela: almofada ou travesseiro para dormir.

  265. João Coelho

    Garganêro= invejoso

  266. Isabel

    Não sou algarvia mas há duas expressões que eu acho muito engraçadas “Bebéa” – feminino de bebé e “corto” – cabelo corto.

  267. joão sequeira

    engavelo = confusão

  268. carina

    Olá
    Está lindo… a “nossa lingua algarvia” tem com cada uma….por exemplo: “eles avoem” ou seja eles voam….

  269. Hugo Daniel

    PÊSIQUE-fruto pêssego
    BARRANAÇO-pontapear com força.

  270. Paula Guerreiro

    PRANTAR -( Exemplo: pranta iss aqui Zei!)
    CAGUFO- medo( exemplo: apanhi ca um cagufo!)
    CALDERO- balde( exemplo: pranta aqui o caldero Jaquim!)
    CHEO- cheio( exemplo: o rebero vai cheo.)
    ME DES- meu deus( exemplo: ai me des, que desgraça.)
    DES QUERA – deus queira( exemplo: des quera que chova.)
    VADAGAIO – desmaio( exemplo: ai me des que me da um vadagaio!)
    BRADAR- gritar, chamar (exemplo: ja me farti de bradar plo me zei.)
    PITROL – petroleo (exemplo: oh ome vai encheri a garrafa de pitrol!)
    BCICLETI – bicicleta ( exemplo: fui de bcicleti pra vila.)
    AMECEA – você ( exemplo: amecea ta melhori?)
    Este vocabulario ainda e usado em algumas zonas da Serra do Caldeirâo.

    • Alsinha

      Confirme um cagaço… daqueles ca’té derrete a fevela do cinte, a modos da dor de barriga

    • Alsinha

      mecea fez uma fergementa? é que estes carapaus alimades estã … munta bons

  271. Farstar

    Panco ou panca – palavra usada na Fuseta que significa: parvo, atordoado, estupefacto…

  272. Ana

    fundidad e centimatros (ex: a auga na rebera na tem fundidad tá só cum centimatro)
    barranos – estrondos, explosões

  273. Zei

    Encação (ou d’encação): estar nú; despido
    “Tá um calor que só’m aptece ficar d’encação…”

  274. E os famosos ALBRICOQUES? = ALPERCES =DAMASCOS.

  275. Salomé Gonçalves

    Gostei muito e tenho orgulho em ser algarvia.

    Dé le dê sude- Deus lhe dê saude
    Patuscadas- fazer petiscos com amigos
    Ruberada- ribeira com muita água
    Surra- tareia
    Boletras- bolotas

  276. patricia

    Sorriada de pêdes – um conjunto de peidinhos

    • AHAHAH!!! Patrícia, muito bem lembrado! A grande surriada de pêdes! E acerca desta, tenho uma frase que aprendi em pequeno:

      “Grande surriada sr. Andréz…! Dá pêdes de dez em dez…”

      • patricia

        Muito bom!! ahahahah

      • Teresa

        boa sorriada de pêdes,essa eu não ouvia há muitos anos já me fartei de rir parabéns.

  277. Heloisa

    Bom dia, venho deixar o meu contributo de algarvia…
    Quantos logares tem a tua cafeteira??- quantos lugares tem o teu carro.
    e não nos podemos esqecer do famoso camgreje- caranguejo- Olhão

  278. duarte guedes

    Albaricoque – alperce

  279. patricia

    Cêntimos = Cétimos AHAHAH

    Euros = um ére AHAHAH

  280. Xolim

    assomar = ir à janela.

  281. Leonor

    Não posso deixar de acrescentar ‘trambelho’ – juízo (ex. “Ó melher na tens trambelho”); jeito (“Isso na tem trambelho nenhum”)

    • Isaura

      Na nha terra, questuma-se a dezer tamém assim: Ahhh isse assim na tem jête nem trambelhe!

  282. amalia ricorico

    Está muito engraçado

  283. Ana

    “Tenhe uma borrefa no mê pèi … aí marfados sapatos”
    Borrefa — Bolha

  284. Rita Zurrapa

    E a ordem “Salta daí!” ?

    Só há pouco tempo nos apercebemos cá em casa o ridículo da expressão. Quando a minha filha de 3 anos ouvindo tal ordem da avó, em vez de sair do local onde se encontrava conforme a avó queria dava saltinhos :D

  285. margarida fernandes

    gulúmpio-baloiço (vila real sto antº)
    caganas – peneiras – ser vaidoso (vila real sto antº)

    caganeirosa – môça vaidosa
    estronço – parvo

  286. paulo

    Segáde = sossegado ex, Tá segáde moss quene !
    Fergonete = carrinha
    Automotora = comboio
    Altemátique = Automático
    Gómites = Vómitos
    Amerróidas = hemorroides
    Carre de praça = Táxi

  287. patricia

    Tás Fixe tás Good?? Praia da roxa ferragude.. AHAHA

  288. Fabio Pires

    pinhero = pinheiro

  289. Rafael

    ouros = euros
    espinha = coluna
    Ó Manél = Ó Manuel
    Ó Jaquim = Ó Joaquim

  290. LP

    Déb – diabo (referindo-se a alguém, semelhante ao lisboeta pá). ‘Atão déb, tás bom?’
    Dimplão – Nú (eh déb que tás fazende na rua dimplão?

    • Fernanda

      Esse “dimplão” é “em pelão”, quer dizer, “em pêlo”, “nú”.

  291. Maria Sousa

    Almerroidas – hemorroidal (tou cas almerroidas que na me cabem no cú)

    bechouco – furúnculo

    arejado – infetado (O mé Bléi andá rasca cum bechouco arejado)

    Na xpremas más a caganita – Não faças mais força

    Vá cagá pra dar pêdes – Vai à mer–

  292. Cris

    Assoprar – soprar

  293. Danny

    Atão môces do dieb, ainda nenguém salembrou destas:

    - PÊX-PÓRC (peixe-porco) – «Oh mana Maria, fai-me lá aí esse pêx-pórc fritinhe q’ê tou esganade ca fome!»

    - BREGÃOS (berbigões) – «Fui à maré e andê apanhanduns bregãos.»

    - ALMÊJAS (amêijoas) – «Mó, má né q’estas almejas canitas tã mêm boas?»

    - ENTREVADA (adoentada) – «Nan sê o q’e que se passa ca Lúiça, anda mêa entrevada…»

    - MENITA (bonita) – «Tens uma menita mánica de questura.»

  294. mais uma para enriquecer o dicionário

  295. Escarade=Bêbado—-Ei diebe já tás escadarade

  296. Jorge Morais

    Pailão – parvalhão.

  297. Paulo Veiga

    Sai daí!… (Tit di!!!… q’ ainda bates um pôrre daí de cimba idi ficas mal!!!…)

  298. Paulo Veiga

    Fador – Mau cheiro (Ex: ” O mé Julo dêta-me um fador dos pês!!!… Pfuuu nha mãe!… É pior q’ trinta cãs pôdres!…)

  299. Ana

    Vou acrescentar mais umas quantas:
    alcace = acácia (arbusto, arvore)
    empessado = emaranhado “moss, tens esse cabelo todo empressado”
    encalacrado = entalado
    na corras, nem bebas = expressão que se utiliza quando se sabe que algo vai demorar muito tempo

  300. Teresa

    Filha de algarvia de Faro e neta de algarvios de Lagoa, Carvoeiro, Lagos e Vila do Bispo, fiquei deliciada com estes termos!

  301. Ana

    Nevrinhar – chuviscar (Ex: Está a nevrinhar mas daqui a nade já escampa) :D

  302. António Alberto Silva

    Inda ná tive témpe de lér iste tude mas tenhe umámiga que tem um filhe, chamado Pédre, que trabalhe no Medéle.

  303. Nuno Cruz

    Nã vi o Dezóite (18)….

  304. Jorge Morais

    Amanhão – amanhã
    Enxovalhão – pessoa que grita, chateia, ralha ou apoquenta
    Garapau – carapau
    Irós – Enguia

  305. Jorge Morais

    Alarvidade ou alarvice – parvoíce.
    Aldraba – trinco da porta ou do postigo.
    Amargoso – amargo.
    Amóchar – acalmar ou resignar-se.
    Arjamolho – uma espécie de sopa fria semelhante ao gaspacho.
    Belfo – com ar, jeito ou fala de deficiente ou retardado.
    Belisco – pedacinho.
    Bojarda – impropério, inconveniência.
    Queimoso – picante.

  306. Jorge Morais

    Caquenho – chato, repetitivo, embirrante.
    Fazer caso de – dar importância ou atenção a.
    Grado – grande (diz-se sobretudo do peixe e marisco).
    Pexum – cheiro intenso a peixe.

    • Mizé

      e o cheiro intenso a batatas… é batatum! Isto é adjetivo que dá para tudo: vinho: vinhum; leite: leitum; papas: papum; feijão: feijanum; medronho: medronhum… etc. etc.por ai fora, conforme o cheiro intenso que se cheira. Bem, fica de fora o cheiro intenso a peixe, claro que é pexum, mas se o peixe fôr atum…?

      • Pedro Mascarenhas

        … se for atum, é peixum na mesma :).

  307. jose silva

    dardonde é amecêa ? perguntavam – me muito quando não me conheciam …. que é como perguntar , você é de onde ?

  308. Ana Valente

    Boa Noite. Alguém sabe como chamam às ostras em Olhão? se não me engano é carcanhois, mas não tenho a certeza…

  309. Ana Valente

    Não, isso é o q eu chamo. em Olhão carcanhola, já descobri, mas obrigado na mesma.

  310. Paulo Páscoa

    Paulo Páscoa

    Mais um contribute…

    Tás-me atesanar a mioleira- Já me estás a chatear a cabeça.
    Calmeirão- Rapaz grande
    Chófêr- Motorista
    Lárião- Rato ou Ratazana grande
    azogo- irmano
    Rás-ta-parta- Raios te partam
    Ia com uma bisga- Ia com uma velocidade
    Bretueja- Comichão

    Acho que devia actualizar o dicionário pois com tantas sugestões é complicado ler todas as mensagens para saber se a palavra que nos ocorreu já está mencionada.

  311. sofia

    moce marafado
    moce d’um cabrão
    ah diebe!

    béqmbruto (um bocado bruto)

  312. Jose Bernardo

    Passou-se em Lisboa, comigo e um primo pescador de Alvor, nos anos 50.Viemos da praia de Oeiras, e ao chegarmos â estação de Pedrouços, saimos do comboio e para não dar a volta pela passadeira eu saltei para a marginal, e o meu primo tinha receio porque era um bocadito alto. Disse-lhe para saltar, e fê-lo comentando seguidamente MON; SÉ ALTE DU MUNDE MON; MÊME ASSIM PULI . É claro percebi o que ele quiz dizer, mas quando conto ainda hoje a alguem, é “mabarregada de rir”. Ele quiz dizer que era muito alto mas conseguiu saltar.

  313. José Bernardo

    Aí vão umas das muitas alcunhas de pessoas de Alvor: Papa na rata, Caga libras, Caga mel. Taralhete,Xôxa negra,Fode mansinho, Porrinanas,Fódinha, Penguenheca, João peidinho, Macaira, João melengroso, Estalinho, Rai das papas, Porrinanas, Zé rato,Zé alcatruz, Manel sacristão, Zé tabuinha, Maria caloa, João pequeno, Zé ceguinho, Ainda há mais que por agora não me lembro.

  314. ricardo pereira

    Pendura a camisa na “cruzêta mô”

  315. sao

    boa note
    cirrolas
    algidare
    amanhar o pexe
    mare

  316. António Cruz

    Contributo de António Cruz
    Condelipa, o mesmo que conquilha, mas só se usa na zona de Lagos e Alvor e a origem do nome tem a ver com o conde de Lipe, que quando das invasões francesas esteve nesta zona do Algarve e era grande apreciador destes bivalves. Os pescadores da zona apanhavam grandes quantidades e apregoavam que eram pro condelipe, tendo assim originado o nome de condelipes ou condelipas.

    • Fernanda

      Parabéns, António! Este tipo de contributo é dos mais importantes para este género de dicionários. É para se entender a origem das coisas. :)

  317. O Algarve é uma Nação

  318. Major - João Baracho

    Ah! moce…fico mui contente…também já tenho um dicionário editado pela Algarve em Foco – 2º edição-autor Eduardo Brazão Gonçalves.
    Sabem o que é a ervilhana – era como a gente chamava em Portimão à alcagoita, amendoim, minduim
    Parabens e continuiem

  319. Eduardo Brazão Gonçalves

    Desculpe-se-me a intromissão, pode não parecer bem, mas estou admirado porque toda esta gente, tão interessada na matéria, parece desconhecer a existência dum livro de minha autoria chamado “Dicionário do Falar Algarvio” que já vai na 3ª edição de 5000 exemplares cada. Na 3ª edição saída em Novembro de 2011 constam mais de 4000 verbetes, além de toda a explicação do fenómeno dialectal algarvio.
    Cumprimentos,
    Eduardo Brazão Gonçalves

    • HUGO D.

      na se lembraram de meter a palavra CAMONE que designa um estrangeiro, e muitas outras deixo adivinharem (pra quem na é algarvio) : baldruegas, cagaita, ejbrugar,gafanho,gambuzino,carcanhol,variade,fazer algo á paposeco…

  320. André Espiga

    “contrelar a retunda ” Que significa contornar a rotunda

    “Sabias deser iste” expressão usada para perguntar se sabíamos o que nos foi explicado

  321. Gilprocopio

    Bondide – Bandido

  322. Há muito a acrescentar e a coirrigir: Alvriad´- (VB-Vila d´Bispe)- Alvoroçado; Atã-(VB)-então; mação-(VB)- maçã Laugues – (VB) – Lagos; montiur – (VB) – estrumeira, etc. É que dentro do Algarviês há o dialecto “Vila B’spense”… Sejamos rigorosos. É daí que derivou o dialecto “Micaelense” que não é o puro “Açoriês”. No Algarv´ Há vários dialectos: o “Vila B´spense”, o “Alzúriense”, o “Monch’quêro”. o “Lac´brigens´ “, o “P´r´tim´nens´”, o “Alv´rêre”, o “Silvens´”, o “Lôl´tane”, o “Farens´”, etc.

    • Ajudando: Fêjons (VB) – Testículos; Xôxa (VB) – Vagina; Prig` (VB)- Raio; Atafal (VB)- cinta para segurar a albarda; Tarralhêra (VB) – prostituta; Corna (VB) – mulher indesejável; Estar ruim (VB) – fêmea de animal no cio; Mald´çoad` (VB) – amaldiçoado; Albrcoqu´s (VB) – damascos; Fig´ (VB) – figo; Aventar (VB) – atirar; M´checa (VB)- menina; Pr´m´(VB) – primo; Pr´sdent´(VB) – Presidente; Cambra (LG) – Câmara; M´nicipal (LG )- Municipal; M´cinh´ (VB)- menino, mocinho; Ti (VB) – tio.

  323. Ajudando: Zuêra (VB) – Azougado; Gazead´(VB)- maluco; Pirata (VB)- indesejável; Brut’ (Vb) – ignorante; B´rreque (VB)- Burrinho; B´neque (VB) – boneco; Xcarad´(VB) – embriagado; Sarg´(VB) – sargo; Saugr´s (VB)- Sagres; Dêxa-da-mã (VB)- larga; Déd´(VB) – dedo; Artêlhe (VB)- tornozelo; Dar-de-côrp´(VB) – evacuar; pã (VB)- pão.

  324. Ajudando: mõii (VB)- mãe; assantar (VB) – sentar; Branque (VB)- branco; Prét (VB)- preto; Tisnado (VB)- De raça negra; Jogar (VB)- atirar; Mõizinha (VB)- mãezinha, mamã; Azêt´(VB) – azeite; M´rrér (VB) – morrer; Pêt (VB) – peito; Pêt´s (VB) – Mamainhas; Corn´s (VB)- cornos, muito parecido com “horns”; Mcê (VB)- vocemecê; Pá (VB)- pau; Pau (VB)- pá; Atamiça (VB)- cordel;

  325. marilia mendonça serra

    tá purrêre, môsse !
    Enfias— igual a chinelos
    tá escanchado—igual a está sentado
    nã gost’e de choques!—– igual a não gosto de chocos
    árrezinha——igual a junto a
    bêje—– igual a beijo
    alquefinha—— igual a alcofa pequena,recipiente de empreita para pôr figos, amêndoas,…

  326. Ajudando: Trast´(VB)- coisa, figura; arremedar (VB)- imitar: Nota: Não há um falar algarvio padrão; mas sim falares do Algarve. Com algumas características comuns influenciadas pelo modo de falar árabe ou marroquino; como seja a pronúncia do “a” entre o à e é, e, a elininação do e final (dièb´). Mas o falar mais difícil de falar e entender por estranhos é o de Vila do Bispo, difícil de imitar por quem nãotenha vivido lá; e, que depois de lá ter vivido dificilmente o perde. A maior parte dos termos são de português arcaico com os efeitos de contaminação das entoações, inflexões, elisões, e, ecoações do árabe, combinadas com distorções gramaticais nas conjugações verbais. Herman José tenta imitar mas fica muito longe. Um imitador exempla era um actor de Lagos que morreu há não muito tempo.

  327. Ajudando; (VB) ” Vôômcêiaã nõõõ sóóóbe falór à móda d´Vila d´Bisp´ cõm´é qu´quèr fôzèr ium d´ci´nór´ dóólgarvíiiii. Pr´mêêêr´ téém q´vir a Laugu´s apréndér cómél´s fááálõõõ id´pôôs è q´s´rá capóóós d´perc´bèèèr os d´Vila d´Bisp´”.
    A mais ridícula, é figura que fazem estranhos a tentar imitar o “Aaalgarviiii” ou alguns algarviiiis a querer disfarçar-se de lisboèèètãããs. A nossa língua tem disto. Já viram ingleses a falar ólgarviiii? É o português que eles aprendem cóóó… É por isso que os tais inventaram o Allgarve… Foram os Allparv´s…

  328. carlos marciano

    moce já tou invenade-trad.moço já estou a ficar zangado.

  329. Ah bandid´! ; Ôlha qu´ééé dig´à tu mõõõiii! ; Dêêêxa vir o tê póóiii, e tiu vás vééér!; O gój´caiii e déé cóóó um porradão!´; Môôôç qêm é qu´batééét?
    Ajudando: Có (VB)- cá; Porradão (VB)- choque, pancada; gój´(VB)- gajo; Ló(VB)- lá; Filh´- filho

  330. Ajudando: Batôôtas(VB)- batatas; M´lher(VB)- mulher; Entrud´(VB)- Carnaval; Sam V´cent(VB)-S.Vicente;Côm´nét´(VB)- Camião; Prcêt´(VB)- educação; Qu´vinhas (VB)- couvinhas; Barôôç´(VB)- corda. Como vêem nenhum outro falar tem a glória de ser RALOP na M´deura e nos Açur´s como o da V´la d´Bisp´ donde partiram os nossos descobridores marafôôôd´s que falavam o português arcaico do povo que D.Dinis mandou escrever substituindo o latim clerical. Lá por Coimbra é que o refinaram na Universidade, mas neste Paraíso Perdido ficou para ser mais evoluido com os inglééés´s, os frãocééés´s, e, os anlemõõõs´s.

  331. Ajudando: B´rrég´(VB)- borrego,anho; Pórc´(VB)- porco; Gôl´(VB)- Galo; Pint´(VB)- pinto; ôv´(VB)-ôvo; Guênlinhem (VB)-galinha; Bacr´(VB)- leitão, bácoro; Bacrinh´(VB)- leitãozinho; Béécm´(VB)- Assim, como que; vélh´(VB)- velho; Té (VB)- O teu; Avó(VB)- avô;

  332. Ana

    bendessoado – abençoado
    maldessoado- amaldiçoado

  333. Ai os més algarvius… ;oP

  334. Fernão de Quintanilha

    1: Désde moce quene qué cá xquetáva o pssual sabide, com’ó Chique Dentista, de Prtemã, prizemple, dzér ” garapaus ” , quéra o nome cus perteguéses dávem ós charres.
    2: Tamen, pracáze, no mé bairre, qué tude gente de precête, nunca xquetê nhum dzér …” ke mijas na cama”. O nósse psual, tude moces kandárem da xkola diz ” ke mijas da cama…”

  335. Fernão de Quintanilha

    O mé sôgre, o gande Flórival, maritme de mar alte e enducador na tasca do Manel Tóine, cande se xatiava com algum xique xpèrte, pra na lhaferroar cum sepápe das ventas dezia-lhe : pont’ó largue, gafêroze !

  336. Ana

    Epá eu sou algarvia e não conheço metade LOL :(

  337. Fernão de Quintanilha

    Candé era caninite, em Pertimã, brencava cus môces désde a Fábreca dos Pirelites inté à Horta do Jaquim Burre. Alembreme que daquele tempe as quemidas ca gente quemia não era bifes nem xquetelétas, erom xerém às más das vezes e pá tarde um farrajão de pão com banha. O xerém enxava as barrigas e faziames apostas de quem dava maiores surriadas de pêdos; quase sempre ganhava o maldeçoade do Tóine Pórque. O marafade indé vive mas agora o cagar é outre !

  338. móss! mas que mom? é mó Débe! parece que na sabem falar dá!

  339. rosa

    tem avonde: Já chega

  340. Belisa Leite

    Não sei se ajuda, mas eu sempre ouvi dizer, no Algarve, que:

    -Cabanita é a casota do cão, e
    -Porra é uma fartura.

  341. Andreia Maximino

    Avonde – q.b. algarvio

  342. Andreia Maximino

    masé – mas é…

  343. dani

    que coisa deliciosa!
    deixo o meu contributo.

    oh fá dum ladrão! – mesmo que caramba.
    midia – meio dia
    retôiça – brincadeira, marotagem :)
    tal tá a porra! – quando alguém é contrariado, não se chega a acordo, não se consegue fazer
    na tem camp – não há espaço
    tem precêt – porta-te bem
    tou encalmada – tenho muito calor
    té diéb! –
    levou um camace / levou nas ventas – bateram-lhe
    suvão – porco na engorda
    plingana – vazilha, alguidar

  344. Maggie S.

    Lool agora ninguem me entende xD

  345. lamp

    Mais uns contributos:

    Isté tá uma estrumêra (isto está tudo sujo)

    Na jogues isse fora, tu brute! (não deites isso fora…)

    Madessuade filhe dum corne! (amaldiçoado filho de um corno)

    Arriba já daí… (Sai já daí)

    Qué isse, tu, Déb?(o que é que estás a fazer, tu, diabo?)

    E uma famosa praga dos pescadores do Alvor: “Madessuade filhe dum corne, havéras de apanhor uma caganêra tã grande, tã grande que quante más corrésses más te doésses e quande parasses arrebentasses madessuade!!!”

    “Lévas umas punhadas nos cornes que até vôas”

    ” Goste munte de pargue e rebale” (gosto muito de pargo e robalo)

    ” O moçe tá brute!” (O rapaz está parvo)

    “Pai do céu da minh’Alma!”

  346. Paula Viegas

    Faltam algumas:
    penisca – mulher/ criança muito magrinha, ou que come mal
    Caganças- é só conversa……
    slada – salada
    sardinhas escuchadas- sardinhas abertas ao meio e salgadas de um dia para o outro, ou secas ao sol
    Bia- diminuitivo de Maria
    Blé ou Bleu- diminuitivo de Manuel
    “Ah,Chique ! Ah Chique, queres figes?Oh home, toma lá cinque.”
    almocoques – alperces/damascos
    Pêgo- represa construida pelo homem junto das ribeiras

  347. Hana

    Cacete – expressão de irritação (“Cacete já’me cretei!”)
    Fiá borra – fazer uma sesta, adormecer sem intenção. (“A ti Maria vê fiande borra a viagem toda”)
    Gavina – Teimosa, ruim. (“Tém olhes de gavina a moça diéb!”)
    Má’que rái – Mas que raio. (“Má’que rai tás tu fazende mó?”)
    Palhaça – cair espalhafatosamente (“Hoje caí ‘ma palhaça nas’cadas!”)
    Xaringa-t – lixa-te. (“Olha, xaringa-t e nã me chatês!”)

  348. Maggie S.

    lindo

  349. Monica Cravo

    Muito Bom mesmo… Tambem vou deixar aqui algumas palavrinhas que nao vi na lista,
    Xarém – Papas de millho;
    Amanhar – Arranjar;
    Fohó – moh á moda da Ilha da Culatra;
    Bergão – Berbigão;

    E Claro que muitas mais deve haver por esse Algarve fora ;D

  350. Abel Silva

    Cá vão alguns contributos:
    Prantes – o mesmo que prontes;
    Demplão – todo nu;
    Em cação – todo nu
    Filhe dum chã (Alvor) – filho dum cão ou filho dum chão (pessoa rasteira)

  351. João Santana

    Falta o: “ai xoxa doi-me o costado” para designar que lhe doi as costas…
    Falta o : “frofe” fosforo
    Falta o: “To cu’ma dor nos peses” para designar que esta com uma dor nos pes…

    E para toda a gente que tem duvidas se isto é verdade, sim é tudo verdade moro em Portimão e sou de Coimbra por isso apercebo-me de tudo… lol

  352. Maria Ascençao Rebelo

    a palavra paiçota é do vocabulário de Alte. Quer dizer estar no paleio, estar na conversa.

  353. Sandro

    Sóiç’ = sócio
    Antóin’ =António
    Sóina = Sónia

  354. Luís Viegas

    Sou da zona de Olhão e convivo com muitas pessoas da Fuzeta e arredores. E para ajudar, metade da minha família (lado da mãe) é da Serra Algarvia da zona de Tavira.

    Então podem imaginar a mistura que aqui vai.

    Reparei que há algumas expressões aqui em falta (desculpem se repito algumas, mas não li os comentários todos):

    A
    Acecleta – a bicicleta, omq B’Cecleta
    Aldra – abrev. de aldrabice (ex. Aldra!)
    Alembradura – memória
    Ametor – a motor
    Arriada = Derriada
    Avagar – Ir mais devagar; reduzir a velocidade (ex. Avaga lá a b’cecleta! Cainda cais!)

    B
    B’Cecleta = PCecleta (ex. B’Cecleta ametor)
    B’Geca – cerveja

    C
    Cadêras = Cruzes
    Cagaitas – secreções secas retiradas do nariz
    Cainda – que ainda
    Camão – com a mão
    Cruzes – ancas (ex. Tou derriada das cruzes)
    Cupé – com o pé

    D
    Derriada – cansada

    E
    Escangalhades – desmanchados, feitos em pedaços
    Esgorêva/o – pessoa que faz judiarias (diabruras) com muita frequência

    F
    Fazer Farinha – gozar, fazer troça (ex. Tu comigue nã fazes farinha!)
    Fêta, Fête – feita, feito (ex. Tás fête ó bife = estás tramado)

    G
    Goelas – garganta (ex. Dóem as goelas)

    H

    I
    Intéi, Intélogue – adeus, até logo

    J

    L
    Laborda, Labrego – lambão, pessoa comilona

    M
    Merrassa, Murrassa – vinho ou outra bebida de má qualidade (ex. Só bebes é merrassa!)

    N
    Nalgada – açoite nas nalgas
    Nalgas – nádegas
    Nêgregade – desgraçado (ex. Aquele é um nêgregade!)

    O
    Ontena – antena (ex. Vira isso pás ontenas do sêrre ca telvsão nã tá panhar)
    Ovares – barriga, entranhas (ex. Tênhe os ovares tôdes escangalhades)

    P

    Q

    R
    Remessa – tareia (ex. Levas uma remessa!)

    S
    Salsa-Parrilha – pessoa inútil
    Sardnhôques – larvas das moscas, geralmente dos cadáveres
    Sopapo – soco

    T
    Tapé – pontapé (é mais barato comer as paravras :)
    Tár, Tás – estar (ex. Moss! Tás fête num oito)
    Tramelga – prato, geralmente o do cão ou gato
    Tripasseca – pessoa muito magra
    Trombalobos – trapalhão (ex. Anda aí, pareces um trombalobos!)

    U
    Unhaca – unha comprida geralmente a do mindinho, usada para tirar as cagaitas

    V
    Vadião – bandido, pessoa muito malandra (no sentido de não querer trabalhar)
    Vnhasse – vinho de qualidade acima da média

    X
    Xelé – banzé, barulho (ex. Tás a fazer muito xelé!)
    Xoxa – coisa falida ou oca (ex. Estas amêndoas estão xoxas)

    Z
    Zolhes – os olhos
    Zorelhas – as orelhas
    Zouvides – os ouvidos

    Quande me alembrar de mais, logue digue! Intéi!

  355. Fernando

    Atão e a Tónera e o palhacinhe? (Artefactos usados para pescar).

  356. Ana Sabino

    ora bem não sei se já alguem deixou este contributo mas também temos:
    Cagaitas (macacas do nariz)
    Em Pelão (andar todo nú)

  357. jose neto

    o meu contributo.
    andava à de bóia – que boiava

  358. Cátia Luís

    Adorei a iniciativa!
    E como algarvia aqui vai mais umas quantas :P (lamento se tiverem repetidas)

    Telefonia = Rádio

    Dromir = Dormir

    Paposecos = Carcaças

    • Cátia Luís

      ah…

      Marafado (a) : Pessoa que não sossega (termo muito utilizado no folclore)

  359. Maria

    Atão? Desquecerim-se da palavra “tarrinca-chpinhas” pus magrinhes?

  360. Ema

    dinher ou dnher – é o mem q’ dinheiro
    vai-ta ver su mar dá xoq – usado para demonstrar descridibilidade sobre um comentário ou sugestão.- vai à pesca ver se trazes choco do mar
    albaricoque – damasco ou néspera
    entérar – entender
    vou à da – vou a casa da
    vou-me a dar banhe – vou tomar banho

  361. parabens man! tá um espetaculo! =D abrcs bateristas

  362. Luisa Castelhana

    Lindo,
    Filha ,neta, irmâ e sobrinha de Homens do mar, ouvi falar assim toda a minha vida.
    Olhanense, encontro-me no estranjeiro ha 30 anos.
    Obrigada moss.
    Lembro-me de uma frase que os meus primos gozavam comigo quando ouviam, claro criados em Lisboa.
    Da a manita à mana.ou tà tudo escramalhado

    • Pedro Mascarenhas

      Interessante, há termos que, eu próprio, aplico naturalmente.

  363. Natasha Cerejeira

    Tem avante ja de chuva e de vente – Já chega de chuva e vento!!!!!

  364. Natasha Cerejeira

    Já dei repaire dieb, Tem jêteeee – Já reparei!!!!!!

  365. Não concordo com a maior parte por falta de exactidão!

    • Ah, finalmente! Ao fim de mais de 400 comentários a concordar lá aparece o direito ao contraditório a ser exercido!

      Pronto, marcou a sua posição. Parabéns.

  366. Carla

    HAHAHA …. Meçada mas isso tá linde !!! XD

    Como tenho familia no algarve cresci a ouvir muitas destas palavras/expressões que adoro.
    Assim aqui deixo o mê contribute.

    Canseleca – Cadela pequena.

    Canitos – Cães pequenos, cachorros.

    Abroita-te! – expressão que denota espanto.

    Marafado – Chateado, atrevido. (ex. O tê pai ficou marafado) ou (ex.Ai este moço marafado!).

    Vou à da Maria – expressão que oculta a palavra “casa” (ex.vou à casa da Maria).

    nasê! – Não sei.

    Embansado – Comeu de mais, empanturrado.

    Cómig – comigo (ex.Vem comig à da Maria).

    • Kátia Oliveira

      Vou a da ….é a mais marcante expressão de cá, que faz-me rir imenso…..hahahaha
      O resto ainda estou por aprender :)

  367. Ana

    Sou algarvia de gema e encontrei muitos termos que não conhecia, no entanto há outros bem conhecidos que não constam, por isso aqui fica o meu contributo:
    - condelipa (conquilha)
    - babuja (à beira da água do mar)
    - mecheco (miudo, criança,..)
    - tisna/tisnado (sujo de preto/carvão)
    - nevrinha (chuva miudinha)

  368. carlos reis

    bafo de vente – brisa no ar
    mecinho- miudo criança
    é más certo – é o mais certo
    prequê- porquê
    més- meus
    plover- pulover

  369. marisa pedro

    mas n se esqueçam que a pronuncia algarvia é diferente em algumas zonas do algarve. eu por exemplo sou do algarve, nascida e criada e ha algumas palavras aki k eu desconhecia. vivo na ponta do algarve, no fim do mundo. (sagres)

    • Mário Liberato

      Uma cunhada minha que mora em Lagos e que me convidou para almoçar,o que eu recusei,pois estava pensando “vir de rota batida”para Setúbal,respondeu-me :Então vaien ganindo con´fome até Sagres.

  370. viegas

    Para quem se interessa, pela nossa cultura, visite este blog “O Parente de Refoia”, apesar de estar parado à algum tempo, é muito educativo…

    http://refoista.blogspot.fi/

  371. viegas

    http://refoias.net/glossario.html

    Dicionário algarvio

  372. Eu sou natural de Alvor e nos também temos boas para adicionar.
    Alvoraçad – Com grande velocidade. (Ex. Mô donde é que vens tode Alvoraçad ?)
    Bemdsoad – Abendiçoando ( Ex. bemdsoad sejas me menin)
    Diéb – Diabo ( Ex. Maldsoadê tem o diéb no corp)
    Forêm – Foram (Ex. Mô eles forêm e na voltarem)
    Judiar – Gozar (Ex. maldsoád dexa de judiar com o moce)
    Maldsoád – Mal abençoado ou seja Máu (Ex. Grande maldsoád nã me dexa pescar aqui)
    Relonguera – O pior nome que se pode chamara a uma mulher de Alvor (Ex. Grande relonguera robasteme o homem)
    Relaxad – Bebado – (Ex. Mô já tas otra vez relaxad q nem ta’aguentas nas pernas mô)

    E quando me lembrar de mais mando. Um abraco e bom trabalho.

    • Amália

      Atão cecalhar o pior nome que se pode chamar a um homem d’Alvor será … (Ex. Grande relonguero robasteme a melher). Curiosidade minha.

    • Mizé

      contou-me um amigo, mesme “filhe d’Alvor”, que em Alvor é o único sítio, em que um homem quando cai ao mar, fica molhado três vezes… fica tode molháde, escorrende, pengande!

  373. Kátia Oliveira

    Olá Vitor, adorei o dicionário, vim morar há pouco tempo no Algarve, sendo meio lisboeta de coraçao, o teu dicionário, muito contribui para a aprendizagem dos “forasteiros”..hehe
    Votos de Sucesso em 2013..abraços…

  374. tsala

    Boas…

    Na sê sé dit pra mesma coisa mas Cagorre=susto na seria cagaiçe=susto
    já agora na me lembro se tá no dicionario dengatinhas ( acto de andar cok os joeljos emãos no chão) Móce má kjet o gaiát ainda andar dengatinhas)
    Dicionario mto bom!!!

  375. Tiago

    condelipa-conquilha (lagos)

  376. Fernanda

    Olá Vitor, adorei o dicionário, fartei-me de rir! Sou algarvia de gema, nascida e criada numa linda terra que é Alvor. Junto envio o meu contributo de uma praga.
    «Amon, o desgraçade do môce devia de dar uma caganêra que dêssete pa fugir que quando más fugisses má doesses e quando parasses estoirâsses!»
    «Oh maldeçoade devias de engordar tante e tã pôque que um lançol na desse pa fazer um cachecol.»
    Adeus *

    • Mizé

      Tenho na ideia uma das pragas de Alvor, girissima, pitoresca e genuína. Creio que é assim: “Amon, havera de te dar uma doença tã grande e tã pequena, que a água do mar tornada em tinta na desse pra escrever o nome!”

  377. Carla

    Apesar de não ser algarvia, gosto especialmente deste dicionário e de algumas palavras das quais destaco a Borrefa (que conheço como bolha) e a expressão. “vou á da minha mãe” com as variações “á da minha sogra” etc.. que na verdade quer dizer “vou á casa da minha mãe”. Muitos parabéns ao autor pela excelente ideia. Há regionalismos que devenm sempre ser lembrados para que nunca se percam. Ri muito!

  378. António Cardoso

    enfusa – (termo algarvio)
    bilha de binho (á abeirense)
    jarro (flor)

  379. Alexandra Damas

    tiassa – teia de aranha

  380. carla goncalves

    tem avondo – ja chega

  381. Quande encontrarmes petróil ó longue da costa, agentéque vames mandar nú acôrde órtugrafique.
    Ponhêm lá esta:

    lête- leite

  382. Manuel Leitão

    Escalmorrado – Cansade, (tode suade e cheio de calor)

  383. Manuel Leitão

    e ainda…

    Bececleta a fôgue – Motorizada

  384. silvia

    aí vai mais uma

    engivas-gengivas
    taco- tac (exame médico)

  385. Filipa Viegas

    Mais sugestões, de ouvir a minha avó dizer quando eu própria era moça pequena:
    Estoio – variação de Estoi, do tipo: Miga, vamos ao mercado a Estoio?
    Miga – quando nos referimos á amiga: Miga, vamos embora? Miga, tás bem?
    Mirasté – cigano.
    Balaio – parte da parede (tipo parapeito no meio da parede), tipico das casas algarvias da serra, nas mais antigas.
    Albericoque (penso que será assim que se escreve) – fruto do albircoqueiro. em portugues normal, alperce
    xaringado – lixado

    bom levantamento!!!!

  386. Filipa Viegas

    Mais sugestões, de ouvir a minha avó dizer quando eu própria era moça pequena:

    Albericoque (penso que será assim que se escreve) – fruto do albircoqueiro. em portugues normal, alperce
    Balaio – parte da parede (tipo parapeito no meio da parede), tipico das casas algarvias da serra, nas mais antigas: Mête o fox (lanterna) no balaio
    Carepa – crosta de uma ferida
    Estoio – variação de Estoi, do tipo: Miga, vamos ao mercado a Estoio?
    Figuinho – aguardente de figo
    Miga – quando nos referimos á amiga: Miga, vamos embora? Miga, tás bem?
    Mirasté – cigano.
    tesnado – sujo de carvão
    xaringado – lixado

    outra coisa que aprendi quando fui morar para o norte, o sentido das frases. por exemplo, a Frase: És nojento/a, que no sul significa que a pessoa em questão mete nojo, ex: És nojento, porque estás coberto de…. e cheiras mal, no distrito da Guarda a mesma frase tem um significado oposto, significa que a pessoa tem nojo de algo:ex: És nojenta, porque tens nojo das lesmas.

    Mesma coisa com a palavra chocha, que lá significa por exemplo que a fruta está verde, ou algo que não está pronto.

    bom levantamento!!!!

  387. Telma R

    Avonde – “´Tem avonde!” = Já chega!

    • Isaura

      É isse méme: Iste na dá ávonde… atão na vés que na abarca tude?
      Iste tá tudo engadamulháde – que está enrolado, franzido, não passado a ferro (roupa)

  388. Telma R

    Empalamade =Cheio; farto
    Punhada = “Mo…levas uma punhada…” = soco
    Charingade = Lixado
    Pecadequê = Porquê?
    Patass = “levas um patasse c’até avoas” = pontapé
    Pelana = bezana
    Camada = bezana
    Escarade = bebade
    punhefa
    empeçad = enliado “Tenho o cabel tode empeçad”

  389. celia

    levas uma trapada – chapada

  390. Cesaltina

    quemi tantes figuesterrades candi d`caganêra/soltura
    senã tás quêto levas uma perrada cándas de rebelêta

  391. Excelente ideia e forma de preservar o património oral algarvio!
    Aqui vão mais algumas: “Tit’ daí!” = Sai daí! ; “Mód quem?”= Porquê?; “desalverade”= com muita velocidade; figues enchades; polve mejão; a coida do panite; pira pira = piri piri; “na vales um balde de choques “= não vales nada; isse tá ó preçe da uva mejona =estar muito barato; trambolhe = pessoa feia e mal feita; “trojia” = tralhas, coisas; “cair um perradão” =dar uma queda; arrelampa = rampa; “belfe(a)”= pessoa palerma,tola; catramolhe= alto provocado pela roupa mal vestida; andar d’ arrioça = escorregar; “capachas” =orelhas grandes; “desquerssão”= excursão; “desarriscar” = riscar: ” desarrisca lá o mê nome da lista da desquerssão”; “na ter jête nem trambelhe” = diz-se de algo sem jeito, mal feito ou destrambelhado: a moça é meme fêa, na tem jête nem trambelhe; “tôrada” = birra de moce pequene; “xôxa de velha”= alforreca; “sarengonhe” = filhó comprida; “fatia”= rabanada; “rabanada de vente”= rajada de vento…..
    Saudações ferragudenses
    Um bem haja

  392. Francisco barão

    Stanporte (transporte) atão em que stanporte vo meu?

  393. Francisco barão

    Pachorra, ja na há pachorra pa taturari

  394. Francisco barão

    Moss, levas a trainera enfiada no pescosse= pescador que vai a janela
    Na Sapanha nem uma alfereca, ta o mar féto num cão
    Choques e bragão.= chocos e berbigão

  395. Mário Santos

    diogue larga o gate, c’o biche nã quer tomar banhe + maria dêxa o moce ir pai auga quele já sabe abanhar + ven de Legos (vem de Lagos) + vira pá qui a lente (vira a lanterna para aqui)

  396. maria lourenço

    acrescente-se “escaleras” escadas…

    • Nidia Silva

      Essa das escaleras ouvi há 2 semanas, tive que perguntar o que era!!! Lol

  397. Pedro

    ahah tá boa!

    A minha avó diz as seguintes, entre outras:

    Balhana – uma data de coisas que não servem para nada. “Anda práqui esta balhana há o tempo!”
    Turgia – Muitas coisas juntas. “Teve cá o Zé cigane a vender tenda…xiii pá o cabrão trazia cá uma turgia!”

  398. Fernando Patrone

    dar de vaia – dizer qualquer coisa. “Cê precisar ôpois dou de vaia”
    bondoza – Bulldozer (Retro-escavadora)

  399. Emanuel Dimas

    Caro Madeira!
    Em primeiro lugar, quero dar-lhe os parabéns por todo o trabalho(muito bem feito)de pesquisa que, com toda a certeza, teve que fazer .
    Em segundo, reparei que não existe qualquer palavra na secção da letra J, onde poderia acrescentar, e desculpe a pretensão, a definição de Jête (o mesmo que jeito), uma vez que utiliza a palavra em algumas expressões ao longo do dicionário.
    Lembro-me também de uma expressão que costumava ouvir quando era garoto : Dês m’amim livre – “Deus a mim me livre” ou, tradução à letra, “Deus me a mim me livre”.

    Um abraço.

    Emanuel Dimas

  400. maria oliveira

    Ahhhaha muito bom adorê!! Parabéns vizinhe!! Alembrê-me de mais: “Ahhh Canita!!”: “Láugues=Lagos”; “Nôuves?”; “Queeeeeee jête!!”, “Vame lá má um bcade”;…

  401. Rodrigo

    Tá briol = tá frio

    Tira-te do sol !!!!

  402. Mizé

    E aquela expressão: Acertou même naámetade do mêo! (acertou em cheio)

    • Mizé

      Não consegui ler todos os comentários, não sei se alguém já terá mencionado o seguinte:
      - toicinho (toucinho)
      - xôriça (chouriço/linguiça)
      - mercela (morcela)
      Uma expressão que era usada em Légues: “Xpera’aí qué já t’arranjo!” ou “agora, tás bem arranjado!” (significava: “não tarda nada levas/apanhas um estalo/tabefe/galheta”, ou, “vais haver-te comigo, vais!”

      • Mizé

        E, para dizer a alguém que está a incomodar: “Na sejes chatarrona!” ou “Na sejes chatarrão!” Lembro de quando havia burros no Algarve, então, na zona barlavento, os burros eram os maiores: “Arre buuuuuuuuuuuuuuurro!” O burro rebola para se “xpojar”, e o sítio onde ele faz esse exercício é o “xpojeire”.

      • Mizé

        Rodilha: “tenzaí ma rodilha paálimpar os beçes” (rodilha – qualquer pedaço de pano que serve para limpar algo sujo, na ocasião, depois podia deitar fora como toalhitas descartáveis). Também há a versão: trape – “Na tens um trape paálimpar as botas? Estam todas cagadas!”

  403. João Gomes

    Mais uma achega

    Galapiar – roubar – tirar

    Tituete – Cigarra

    Mápqueque – mas porque é que

    É vinh – eu vim

    Escamado – zangado

    Pingalhete – Peça de uma ratoeira – pila pequena

    Acabranado – Mais ou menos cabrão

  404. Joao Tiago

    Engá – Em lugar de ; Em vez de; Ex. Engá dires amanhã vai hoje

  405. Atão porqueque vomicê nâ apanha a caminete do Castel Cassourino.

  406. Mãh, malvade,havera de te dar uma febre tã grande caté os botões da camisa sa derretessem.
    Esta paga direitos de autor a Alvôr.

  407. Mizé

    Tás tode desgadelháde! – estás despenteado!
    de pantanas – de pernas pró ar, do avesso, desarrumado.

  408. Roalina

    É cá li no Disse-o-náiro que tá em cima a tercêra palavra que é acêfa. É cá só quere dzer que na saçêfa o milhe, açêface é u trigue: du milhe apanhace as maçarocas!

  409. cristiano conceição

    “tá ali uma remessa de gente” – concentração de pessoas no mesmo sitio

  410. Será por adrêgo-será por acaso

    • isaura

      adrêgo – conheço este termo que era usado na zona de Monchique (na encosta norte da serra, lá p’ra trás da Fóia, nunca o ouvi noutra zona do Algarve) exatamente com o significado de ‘será por acaso’ e também de ‘se calhar’, ‘talvez’. Exemplo: – Se adrêgasse a ir á fêra franca… mas na sê se vô, se fôr áde ser um adrêgo.

  411. Rui Pedro Constantino Pereira Ramos

    Vim a fugir atrás du autocarre!!!

  412. -Ha!…entãn nãn me lembre!…ficaste cu bráque do cú, tôde picado das abespras, andeste cagande de pé, más dum mês…

  413. Fernão de Quintanilha

    - bexôque
    - avarejar
    - alfaices
    - arratoêras
    - encalacrade
    - engelhade
    - alveriade
    - garrêa
    - ratoiça
    - tágáfe
    - desparecer
    - sarrafada
    - gafêroso
    - côida

  414. Fernão de Quintanilha

    Ah Mã ! Vejem lá o filhe d’áum corne se vem tode dengoze !

  415. Fernão de Quintanilha

    Môces… que xcarcéu vem a ser este ? ( barulho)

  416. Fernão de Quintanilha

    Expressões correntes :

    . Môce, tal tá este soalhêre…
    . Ah cadéle, calquer dia destes inda hás-de t’haver com migue…
    . Fó déb, s’és fêu da vida…
    .Ah mom, donde vás nesses prepares ?… Vou-m’ó bergão, á Ponta d’árêa !…
    .Vé lá na vires o bic ó pregue…
    . – Eh Tóine, ké fête ? Tás tod’alvoraçade… Vou-m’ós Trés Biques, tár c’a Luiça !

  417. Maria Lúcia Cossart Barbosa

    Sou algarvia. Chorei a rir ao ler alguns comentários. Parabéns pelo excelente trabalho de pesquisa. Recordei muitas expressões que ouvia à minha avó e constatei que continuo a usar algumas palavras do nosso Algarve. Gostava de saber para quando a publicação do Dicionário.

  418. Ana Salvé-Rainha

    almaires – armários; tem avonde – já chega; empenser – implicar; mansidude – mansidão, ser manso;
    sôrvo – golo (por ex: sorvo de àgua); avóe – avô

  419. Sónia Freitas

    IR ÁS MERCAS-FAZER COMPRAR
    IR AO CENIMBRA,CENÓR-IR AO CINEMA
    RABOLO-PEDRADA
    BALBURDIAS E SARRABULHES-BARULHO

  420. Joao

    Valado , Muro, geralmente feito com blocos toscos de granito para segurar a terra dos canteiros; velado.
    Ex: Com est’ enverni, só se vê é derrombadas aí pr’ esses v’lados. – Mái munto tem chovid’…

  421. carlos

    sou do algarve e nao conheço metade dessas bacuradas que estao ai os alfaçinhas devem se achar muito espertos

  422. Mário Liberato

    Há uns anos atrás ouvi na televisão um jornalista perguntar a uma senhora como tinha sido o acidente de comboio,já não me lembro a localidade,e então a srª respondeu:
    -Eles na ´virem cas cancelas tarem fechadas,desbrucinarem-se e forem “marrar com o comboio”.Eu que até sou casado com uma algarvia e falo muitas vezes com pronúncia algarvia,toda a minha familia é originária do Algarve, ainda não consegui ler todo este dicionário,pois só de olhar para a foto desato a rir

    • Mário Liberato

      Dum “filheD´Alvor que andou embarcado comigo lembro esta praga “Havias de andar tanto tanto que te gastasses até ao meio.

  423. hugo

    camone : turista

  424. Valério Ferramacho

    CAGAROLA – Ser medroso

  425. Nuno Flipe Duarte Franco

    Excelente pesquisa dos nossos termos,algarvios-fugem,fugem moçes eles v~eum aîn e trazan pedras…. Caiveira-caveira…ecalitre-eucalipto…xaropero-bebido…brotuega-comichão vaginal…apoginha-pronta para sexo,um abraço.

  426. Maria Lúcia Cossart Barbosa

    Nevrinha = chuva miudinha
    lenta = “a rôpa tá lenta” a roupa está húmida

  427. Diana

    Lembrei de mais algumas:
    Carre de Mula
    magala – soldado
    amarinhar- subir
    êra- eira
    escarranchado – montado num burro
    comer à machinha- comer com as mãos
    encanitar – zangar
    belfo- dependendo da zona tem 2 significados, – alguém que olha fixamente uma pessoa, ou alguem que tem o maxilar inferior maior que o inferior.
    carrapicho – carrapito

  428. Antonio Sabino Pestana

    bravo a todos, agora que tenho tempo vou ver se me lembro de algumas para enriqueçer o nosso diçionario
    tar de caçao=estar nu?

  429. Antonio Sabino Pestana

    se nao me engano en olhao havia uma expresao assim
    ser desafiado=dar pouca confiança
    desalvorado=ir com pressa
    ruim,malvado(ex mo es mesmo ruim)
    babado=viçoso

  430. Rui Colaço

    Rezistar ou reziste: registar ou registo.

  431. Vera Amaro

    Bichoco=frúnculo
    quejar- “qué candas aqui a quejar? (que andas aqui a fazer?)
    bispar – coscuvilhar
    marau – maroto

  432. Miguel Laranjeira

    Rôinhe – Ranho

  433. muito bom! Conheço algumas (sou algarvia), mas agora sinto-me bastante mais informada… looll

  434. Mendes

    Com os nomes próprios,tb há algumas mt giras, por ex:
    Moce se te chomas Arneste perqué candas com um E grande da camesola ???

  435. Francisco Paulino

    Está espectacular o Dicionário Algarvio e os comentários.
    Obrigado e parabéns ao autor..

    MOCE VAS PO MARE?

  436. tomas

    amarinhar – subir algo rapidamente, como uma arvore ou muro com desembaraço animalesco expl. amarinho aquil tip gate

  437. Mário Francisco Pires

    termo: alclaira ou alclara quer dizer escorpião ou lacrau e também à vibora se chama bicha, usados na serra Algarvia

  438. Mário Francisco Pires

    …mas amecêa vai aonde e essas porquêras, ( você vai onde e essas porcarias)

  439. Mário Francisco Pires

    Nagargado- coitado (hein nagargado !!!)
    Estraçoado – cansado, partido (huuum estraçoado)
    “hum filho dum raio, parece a vaca da Alcaria Alta a buer aguardente”

  440. Mónica

    Xaringade – maluco, doido desa cabeça (tás mazé todo xaringade)
    Xaringa-te (vai mas é dar uma volta moçe dum raie)
    Manca-te – “toca-te”, abre os olhos

  441. Dinis

    Estou a bradar por ti-estou a chamar por ti

  442. Antonio Sabino Pestana

    Xaringado=Barinbado

  443. Fernando

    Eu não vou enriquecer este dicionário , até o poderia fazer mas sim , vou criticá-lo ! A maior parte destas palavras existem no dialecto Algarvio mas há que distinguir os concelhos a que aos quais elas pertencem . Há pessoas que manifestam aqui os seus comentários com o âmbito de desvalorização dos habitantes desta região e até mesmo da própria ! Estas gentes são aquelas que no Verão gostam de cá vir molhar o cuzinho . Para a maior parte esse tempo está-se a acabar , pois a troika cortou-lhes as voltas , porque até há pouco tempo quando entravam de férias , na mesma hora carregavam a maior quantidade de coisas que podiam e tomavam caminho ! O canário , o periquito , o cão , o gato e nem sequer deixavam a louça lavada ! Conclusão : Façam esses comentários com o respeito que é devido e saibam distinguir as diversas localidades ! …

  444. Maria Dias

    Pois… está bom , mas parece-me mais direccionado aos dizeres do Barlavento, pela troca de e por o no fim da palavra, ou o ã por em Eu sou do Sotavento e há algumas coisas diferentes, como por ex: Aventar (jogar fora), apanhar (no sentido pode tirar) ex: pode tirar as maçãs ou pode ir buscar o pacote à prateleira.Na minha terra diz-se :pode apanhar!.O alacrau é mesmo referido a lacrau, almariado, pode referir-se a sentir tonturas ou estar semi-embriagado, alegrete (referindo-se a canteiro de flores), enfim, muitas e muitas diferenças . Fico por aqui!

    • Olá Maria. Tem toda a razão. Como a experiência de vida tem sido a 98% obtida aqui por estas bandas, confesso que sim.

      Mas a verdade é que quero também incluir as variantes do Sotavento, pois também é Algarve! Por isso, aqui deixo o convite: se pretender participar no projeto, diga!

  445. Joana Silva

    Antes de vir morar para o Algarve, houve alguém que me disse para não me esquecer de levar um dicionário. Era miuda e na altura não percebi a piada, mas não demorei muito até perceber. Logo na primeira semana,na brincadeira com uns “moces” na praia, houve uma miuda que me disse “Olha, a gente vames ali, já viémes!”. Fiquei com uma grande careta a olhar para ela! Só depois consegui perceber o que ela queria dizer: Nós vamos ali, mas já voltamos OU já vimos!
    A partir daí foi a desbunda… De tal forma que hoje em dia, por vezes, tenho de me concentrar para não falar algarvio.
    Parti-me a rir com este dicionário e tenho pena de não ter tido acesso a ele à mais tempo.
    Estão aqui a maioria das grandes expressões algarvias, mas entretanto lembrei-me de mais umas palavras (em algumas delas fui motivo de gozo por desconhecer o significado):

    Porcas-saras – bicho de contas
    Cagoitas – macacos do nariz
    Lévinhe – levezinho

    • Joana Silva

      *Cagaitas! (Peço desculpa, baralhei-me com as alcagoitas!!) :P

      • Joana Silva

        Cómigue – comigo
        Chórice – chouriço
        :D

  446. Maria Dias

    Bom Dia! hoje quero acrescentar mais 2 ou 3 termos e expressões usadas no meu Algarve, que como fica já mais próximo do Alentejo e junto a Espanha, partilha de termos de ambos.É o caso de : talego, referente a saco de pano, pão que se deita à terra como referência a trigo, não merece referente a não tem de quê, de nada. Esta expressão parece-me que quer dizer de nada, não mereço tanto! E ainda almancém como referência a almancene do espanhol, móçú? termo correntíssimo dos Vila Realenses e Monte Gordinos. Acrescento ainda que catatumba (gavetão de cemitério) se diz catacumba no sentido de monumento simples e escuro, como ainda na idade média se guardavam os mortos. A igreja de S Francisco no *Porto tem visitas às catacumbas situadas na enorme cave , muitas delas, muito bem decoradas!.

  447. Joao Alves

    E mais alguns animas d’mar:

    SARGUE – Sargo
    REBALE – Robalo
    REBALIÇA – Liça ou Tainha
    CHOQUE – Choco
    POLVE – Polvo
    ABRÓITA – Abrótea
    BDIÃO – Bodião
    SAFIEE – Safio
    SAMIRRE ou LINGACHE – Safio pequeno
    AVAIRA – Robalo Baila
    BSUGUE – Besugo
    PARGUE – Pargo
    QUERVINA – Corvina
    MEREIA – Moreia

    e más Marisques variades..

  448. Ivo

    Cagaita- vulgo macaco do nariz

  449. João

    cádebanhe- casa de banho

  450. Heldera Viegas

    Mais uns termos algarviaos para o dicionário
    Amecêia – você
    Alcacoitas – amendois
    Almariado – pessoa com tonturas
    Bradar – chamar por nome de alguém
    Dor nas cadeiras – dor na região lombo sagrada
    Prantar – colocar algo
    Púcaro – recipiente pequeno de esmalte ou alumínio onde se coloca água ou leite para levar ao lume
    Tejala – tijela
    Tem avondo – já chega

    • Ftima Dias

      V l mais alguns: xarengado. Estou xarengado contigo. O mesmo que estou farto de ti, J nem sei que te faa! (mas no zangado, saturado!) Ai que calma est! Calma=calor! encalmado= com muito calor apergatas= alpercatas – gnero de sapato de lona com sola de corda. Vai-te matar! Deixa-te disso, desiste! Escarapo- arisco, pouco socivel.

      No dia 8 de Junho de 2013 s 14:58, Vitor Madeira escreveu:

      > ** > Heldera Viegas commented: “Mais uns termos algarviaos para o dicionrio > Amecia – voc Alcacoitas – amendois Almariado – pessoa com tonturas Bradar > – chamar por nome de algum Dor nas cadeiras – dor na regio lombo sagrada > Prantar – colocar algo Pcaro – recipiente peq” >

  451. H.Maria Viegas

    Mais uns termos algarviaos para o dicionário
    Amecêia – você
    Alcacoitas – amendoins
    Almariado – pessoa com tonturas
    Baja – vajem
    Babado – orgulhoso, contente
    Bradar – chamar por nome de alguém
    Dor nas cadeiras – dor na região lombo sagrada
    Griseus – ervilhas
    Marafado – Zangado
    Prantar – colocar algo
    Púcaro – recipiente pequeno de esmalte ou alumínio onde se coloca água ou leite para levar ao lume
    Tejala – tijela
    Tem avondo – já chega

  452. Xpto

    Amarenhar = subir, trepar. O môce nunca tá quiete, anda sempre a amarenhar…

  453. Que todá classe profissional dos palhaces me perdô, más
    Expulse o palhace-mor de Boliqeim (do poce, né da fonte, cabron)
    E tamos prontes pr’entrar prá “Organização das Nações e Povos NÃO Representados”

  454. Maria Perez

    E desta não se lembraram ” os ortelhes” tornozelos, ainda ontem ouvi doem-lhe os ortelhes.

  455. mariana

    Máomenos (mais ou menos)
    Ouvisto “ouvido”
    vaiam “vão”
    Vai ir lá

  456. rui daniel

    Muito bom, adorei, parabéns pela ideia!
    figes-figos
    bregam-berbigão
    lageram-lingeirão
    rebera-ribeira
    limoêro-limoeiro
    meterizada-motorizada
    azete-azeite

  457. isaura

    aventar- jogar fora
    prantar- colocar
    ir às sortes- ir à tropa
    tô tolheto com dores- estou cheio de dores
    Almufera_ Albufeira

  458. José Monteiro

    optimo
    Xalavar (saco em rede de pesca com um aro na boca que os pescadores utilizavam para guardar 0 peixe ou marisco)Oh moce tás aqui tás a apanhar um xalavar de purrada .

  459. Zéi

    Solve: Gole de água, ou outro liquido

  460. irenecarolas

    Adorei!Mas aqui vai mais uma…Na praça…A como são os pésigos? o meu Heraclides gosta tanto de pésigos!…

  461. Miguel santos

    Adorei, Não sou algarvio mas quase … Aqui vai o meu contributo do tempo de universidade do meu amigo Carlos …. Cá de ban = casa de banho

  462. Inês Rosa

    Então e o “Dar de vaia”? (Vou ali à da minha tia dar de vaia) Ah e “dar banho”! Debato-me muitas vezes com isso porque a não-Algarvio “dar banho” é dar banho ao cão!

  463. Pedro Camilo

    Bom dia , eu sou algarvio de gema e gostaria de de deixar aqui algumas expressões:
    Escarad – individuo embriagado (fica descarado , desinibido , mas só é utilizado com o alcool)
    Dinjoelhj – individuo apoiado com os joelhos no chão.
    Quejêt – negação , “não”
    Menza – mesa
    Celada – salada
    Descaple – tubo de escape
    Desgôt – esgotos
    Apanhouo mem pas portas do mê – acertou-lhe mesmo em cheio
    Mingua – falta ; necessidade
    Dia – bom dia
    Qual é a sua graça? – como se chama?
    Condelipas – Conquilhas
    Zécalipt – eucalipto
    Ah mom – ai mãe
    Óuom – oh homem
    Cámone – turista estrangeiro

  464. João Anacleto

    1. Considerar o falar mal a Língua Portuguesa como sendo uma especificidade liguística algarvia, é promover a ignorância.
    2. Confundir particularidades fonéticas com novos e mui algarvios vocábulos, é distração.(vide comentário de João Quirino!), para não dizer outra coisa.
    3. Se a visão redutora dos falares regionais aqui adoptada fosse alargada, cada aldeia tinha o seu Vitor Madeira a tentar organizar um Dicionário.
    3.Há um Dicionário do Falar Algarvio publicado há cerca de vinte e cinco anos, cuja existência talvez seja por aqui desconhecida. O autor é Eduardo Gonçalves e a edição é da Comissão Regional de Turismo do Algarve. É uma obra séria, com sustentação científica no âmbito da Linguística. Não se trata de folclore linguístico mas de obra importante para quem preza o Algarve, as suas gentes e os seus falares.

    • Aníbal Guerreiro de Sousa

      Subscrevo inteiramente as palavras de João Anacleto.
      No entanto, eu, no lugar do Eduardo Brasão Gonçalves, não desdenharia de receber contributos sérios para a melhoria do dicionário já publicado (que eu saiba, em duas edições). Esses contributos, porém, deverão indicar as regiões e tempos de recolha.

      Aníbal de Sousa

      • Maria Dias

        Como algarvia sotaventina, quero manifestar-lhe a minha total concordância! Barlavento e Sotavento são diferentes na pronuncia e em muitíssimos termos, embora a maioria signifiquem o mesmo.

  465. Maria Antonieta Barata

    Faltam muitas. Eu sou algarvia de Olhão e conheço algumas que não estão aí. E não vivo lá.
    Por exemplo: esgrime- só, sem acompanhamento; lores – aos ziguezagues; calombos – altos e baixos; já sem falar nos grizéus (ervilhas), pázinho (pauzinho), barreca, calhéu, bacalheu, etc, etc.

  466. Um verdadeiro espectáculo. Chorei a rir.
    Não reparei se mencionaram ” Tá gafo” : sinónimo de quantidade. O cão/gato “tá gafo de pulgas”
    Também se chamavam os moços por “Uó tágafo” “andáqui”.
    Quando não se gosta de alguém: “aqel gajo dáme nonjo”
    “Alvoraçado”: cheio de pressa, cabeça no ar
    “na prosa”: “O Chico na prosa andar de barco, almareia logo.” O Chico não se dá bem a passear de barco, vomita.
    “Óman tou chê de pieira”: quando alguém tem dificuldade em respirar
    “cagaita”, “macacos”: excreções nasais. “O Zé tá sempre atirar cagaitas”
    “borrefas”: bolhas. Tenho os pés cheios de borrefas
    Exame da 4ª classe; diz-me lá umas palavras começadas por Z: oszolhos, aszorelhas, oszouvidos, osartelhos”
    A zona Portimão/Alvor/Lagos é muito rica nestes “dites”
    João Mariano/Portimão

    • Ftima Dias

      Do meu lado, Sotavento: O Chico t despachando um fregus ( est aviando um fregus), as borrefas nos ps , alm desse termo tambm se chamam borregas. Agachi-me ali (baixei-me, posio de ccoras. Agora , rogar uma praga moda de Monte Gordo : Que Ds ( Deus) te d tantes filhos, tantes filhos, tantes filhos, como bagos de ara h no mar !!!.

      No dia 16 de Junho de 2013 s 09:24, Vitor Madeira escreveu:

      > ** > Joo Mariano commented: “Um verdadeiro espectculo. Chorei a rir. No > reparei se mencionaram ” T gafo” : sinnimo de quantidade. O co/gato “t > gafo de pulgas” Tambm se chamavam os moos por “U tgafo” “andqui”. > Quando no se gosta de algum: “aqel gajo dme ” >

  467. joao

    Aventar – ou seja, ou mesmo que deitar fora

  468. Maria ferradora

    Sou algarvia,com muito gosto.Vou adicionar mais alguns :
    - Caparão (alcofa baixa com um grande diâmetro onde se colocavam as mós para moerem o milho,com o qual faziam as papas).
    -Balaio (alcofinha muito pequena,onde se punha o milho que se ia moer).
    -Mézinha ( algo para curar).
    -Gromitar (vomitar).
    - Enchalme ( pano com que pegavam nas panelas quentes).
    -Escarrapachado ( estar de pernas abertas).
    -Gaiato (miúdo).
    -Cadelo (miúdo maroto).
    -Proclames ( pregões quando se está noivo).
    -cascarrão (casca dos citrinos).
    -Blicão (apertão com os dedos, numa pessoa).
    -Descamizar (tirar a palha da maçaroca).
    -Babujado (ex.pão que alguém já tivesse tirado um bocado).
    -Andar de sultura (andar de diarreia).
    -Capacha (tapete).
    Nota: estes termos são usados na freguesia de Alte.

  469. João Anacleto

    Alguns destes termos são usados em Alte e em mais de 3000 freguesias do País.
    E não é “sultura” mas “soltura”.

  470. João José Afonso Fernandes

    Apesar de não ter consultado na integra todo o “Novo Dicionário Algarvio”, apercebi-me de que – pelo menos na minha zona “TAVIRA” não se usa o termo “Arroiça” mas sim ” ARDOIÇA”. Quero deixar bem claro que esta minha intervenção apenas tem como finalidade (caso seja de considerar) o enriquecimento desta “Obra” que considero bastante valiosa e desde já as minhas felicitações pela iniciativa.

  471. bruno mendes

    Pezes – pes, exemplo :amostra esses la pezes; pozes- pos, exemplo: queriem me dar uns pozes la no hospital. Else exemplo : ve la a else do barco se ta presa

  472. bruno mendes

    Burrefe-burrifar ,exemplo : quem e que amandou o burrefe para cima do home?

  473. Estela

    Um amigo enviou-me mais estas expressões, na sequência do seu texto inicial,

    Parabéns pelo trabalho;

    Amorade= tristonho, sem energia, macambúzio
    Raleira = diarreia
    Bexôco = Ferida
    andar de Rabeleta… andar a rebolar
    Gonguiões = andar com passo incerto, andar de bêbada
    Andar aos Lóres = o mesmo que o anterior
    Sacolejar = movimento de coisas soltas ou frouxas
    Bandear = o mesmo do anterior
    Chapada = bofetada
    Baraço = corda, fio
    Gazeado = pessoa sem juízo
    Peneirento = pessoa vaidosa
    Aventesma = pessoa deselegante na forma (má encambada)
    Cagaço = medo
    Poita = porção de fezes

  474. Madalena Reis

    Avonde – Chega (Tá avonde – Já chega)

  475. Derregar- dissolver ou derreter ( “Vou derregar a cal para caiar!” / “Para fazer o bolo primeiro derrega-se a margarina!”

  476. Claudio

    Ê rialmente nã perceb’o o qué que vocemessês andem dzende. Atã, ê tive lende est dicinaire assim despaventade e vi qá muntas palavras q’nem partencem ós algarvies e há otras bem engraçadas. Agora ajuntar o móç dÓlhão à malta de Lagos é que ia arrebentande com com a barrequinha toda.

    Agora, falando serio, como conhecedor e viajado no nosso Portugal (e não só), digo-vos que ainda não encontrei um país com tanta riqueza linguística. Pena que os políticos venham com acordos ortográficos em cima de acordos e que essas diferenças linguísticas se percam nas gerações. O mirandês , por exemplo, sendo eu um algarvio de gema, como falamos cá, é uma das riquezas que se está a perder.

    Quanto a algo que li por cá, não há qualquer semelhança com os dialectos de regiões como o Alentejo e os Açores e ao mesmo tempo tem todas as semelhanças por ser português.

    Para todos vós, deixo uma palavra muito usada em Sagres ( sou de Olhão) que já pouca gente ouve:

    muchaco – moço (ex.: raio do muchaco) diziam os idosos quando em miúdos fazíamos asneiras.

    • jose santos

      Desinsofrido – Ansioso, aflito. O cão está desinsofrido para ir à rua

      • jose santos

        Atabão – Mosca grande, moscardo.
        O rai do atabão anda só a besoirar à minha volta.

    • Manuela

      Manuela
      Moro perto de Sagres e nunca tinha ouvido a palavra muchaco, mas sim muchêco que é uma criança pequena.
      Quando eu chamava pela minha mãe ela respondia-me nhora? quer dizer o que é? o que queres?
      Brotoeija – comichão
      alcagoitas- amendoins
      vazaneira- diarreia

  477. João Gonçalves

    Os pintes tão a esgravatar o esturme! (Os pintos estão a esgaravatar o estrume)

  478. Filipe Salvador

    Desparatizar- Desparasitar
    Avacinado- Vacinado
    Ténico- Técnico
    Parte- Vagina
    Cões- Cães
    Caroleira/Vreda- Caminho de Terra
    Deslivrar- Libertar a Placenta Pós-Parto
    Guenócio- Negócio
    Jáka- Borrega
    Chipre- Microchip
    Xternet- Internet
    Enjéção- Injeção
    Soltura- Diarreia
    Castrol- Colesterol
    Diabretes- Diabetes
    Bofos- Pulmões

    Tantas Tantas… Muito Fixe!ahah

  479. João Anacleto

    Confundir ignorância com falar algarvio é um disparate! Mas cada um é algarvio à sua maneira! Que
    lhes faça bom proveito.
    Um algarvio

  480. Jorge Silvestre

    acho que falta o termo “mecheque”

  481. Jota Jota

    Pédre – Pedro (Exº – O Pédre é o mé néte.)

  482. Nidia

    Enrramolhade (amarrotado)
    Bacalhéu (bacalhau)

  483. amparo

    sou algarvia, adorei e fartême d`rir, parabéns pelo ótimo trabalho.

  484. Cláudio Paiva

    X – xaringade aquele(a) que comeu muito xerém.

    • Antonio Sabino Pestana

      xaringado=barimbado=lixado não véem da palavra xarém

  485. Carlos Lopes

    Bencoade (com c de cedilha, que o meu telefone não faz) – abencoado. Ex: bencoade moce ta tao prefeto

  486. bruno

    Maque jête moçe? Tá-te a dar! com mil diebs voçes tão todos maluques os algarvios falam sem pernuncia xD

  487. tiago

    D´ESGUELHA- de lado ou torcido!

  488. Módebe, maquejeite!

  489. miguel vieira

    Calitre = eucalipto

  490. jose santos

    José Santos
    ARRENEGAS! – significa causar inveja a… exemplo: arrenegas!!! eu tenho um iphone e tu não tens!!!
    ANDAR DE REBOLETA – andar a rebolar pelo chão, arrastar-se.
    TENÇAS – andar às tenças de alguém, depender desse alguém .

  491. luis santos

    pelingana – recipiente para por comida na mesa

  492. Vitorino Carvalho

    Está uma calma azzurrada vou fazer a blendina – Está muito calor vou fazer a sesta.

  493. Vitorino Carvalho

    Estás mesmo escarado – Estás bêbado.

  494. Vitorino Carvalho

    xerém – papas de milho.

  495. de fate tá muite bom tamém, mas pode acrescentar mais umas — DESTINTOR – para apagar o fogo

    descáida -igual a escada

    plainar = planar (Ex- o mé barque plaina qué ma maravilha)

    FARÓLE – o mesmo que projector – (EX- Ó chie acende ai os FARÓLES que já tá escure)

  496. Rô Costa

    Marafado—zangado
    gazeado—drogado

  497. Duarte Andrés

    Codia (de pão) = coida
    Estou a ser ouvido = tô a ser ouvisto

  498. vera

    Bogueiro = mentiroso

  499. Sónia Guerreiro

    Bajas: feijão verde
    Anespra: nespera

  500. Fernando Barreiros

    Punhada; murro, soco

  501. Bruno Alexandre

    Jála – Cadeia, prisão. (Moss, Zéia, má o tê marid’ fô pá jála?)

  502. António

    Falta aí uma palavra importante AVONDE Suficiente, já chega. Ex -Maria vai pôr sal na comida! – Tou ponde, cande tiver avonde brada.

  503. João Rodrigues

    Em Faro tb há algo com a palavra “Caman”, p.e. “Fai caman!” ou “Oh caman…” para manifestar espanto/surpresa, quer seja de agrado ou de desilusão! basicamente a mesma utilização do caraças

  504. Rô Costa

    O mar ta feito num cão….

  505. Rô Costa

    Ti Zé = tio zé
    Vou a da vizinha = vou a casa da vizinha
    Jantar de Grão = cozido de grão
    Caiar =pintar

  506. Rô Costa

    Alguidar = bacia
    Bacio = penico
    fechar o fustigo = fechar a janela

  507. debora

    Serrasana- está uma serrasana na rua! Chuva miudinha

    Tá sugado – está quieto
    O mar está feto num cão – o mar está bravo

  508. daniel

    atao e levar no pacote?! ninguem sa lenbra?
    pacote=cagere!

  509. Jose Bom

    Tão memo gazeados! Atão ninguém se lembrou do xarém? Na me xeringem o juíze

  510. Isabel Pereira

    Aprosta – termo que designa prostata ” O mê marido toma dicamentos pra aprosta!!!!!!!!

  511. jose santos

    Arrenegas –Fazer arrenegas, causar inveja.
    Arrenegas! Eu tenhi um iPod e tu não tens!

  512. augusto

    augusto drago
    os termos seguinte sao usados na zona de vila nova de cacela
    selada-salada
    greganta-garganta
    chavina-chavena
    lançois-lençois
    bradar-chamar
    tjala-tijela
    tanganhada-aperto de mao
    talhada-fatia
    numaros- numeros
    enrrebarbado-libido alto

  513. Maria Dias

    Boa Noite! Há diferenças entre palavras mal pronunciadas por iletracia e termos típicos de uma região.
    selada, tjala, prósta (próstata) , são exemplos de iletracia, são pronunciadas conforme soam.
    Tanganhada, talhada, xarengado, marafado e tantos, tantos outros termos, são típicamente algarvios.Tal como acontecerá , uma coisa e outra por este país fora. Penso ser isto, os falares típicos algarvios o que se pretende para este dicionário.

  514. Guida Simoes

    E esta. …….. Vou á da minha mãe , minha avó ……… Ir a casa de alguém

  515. António Rodrigues

    Vai dá banhe ao cão…(sai daquí )
    Demasia… (troco)
    nã me afegues…(não me aborreças)
    salamaleque….filho de pessoa sem estatuto social (filho de mouros)

  516. Rita Pacheco

    Vitor faltam aí dois importantissimos! :D
    Poijé – pois é
    Tájaver – tas a ver

    ehehe :p

    • Maria Dias

      Um outro exemplo de falar mal e não própriamente por ser um termo algarvio: alimal (animal).
      Já um termo usado na minha serra algarvia (e provavelmente em outras zonas do Algarve) negregado ou nengregado,referente a pobre animal, animal mal tratado.

  517. Manuela Cardoso

    Achei este dicionário fabuloso, diverti-me imenso. Não sou algarvia mas a meus avós maternos eram e esta leitura fez-me recordar muitos termos utilizados por eles.
    Aqui vai a minha contribuição:
    sapatos de pele – sapatos de plica
    sapatos de camurça – sapatos de lanzuca
    sapatos de verniz – sapatos de pelimenta

  518. Grande imaginação…

  519. Cláudia

    =) Muito engraçado. Tenho aqui umas que a minha avó diz:
    ” aquela lambisca” – Pessoa que come pouco
    ” aquela vai ser fresca” – Atrevida.
    “Gadelhudo” – muito cabelo/ cabelo grande.
    “Garganeiro” – Pessoa que come tudo mesmo sem ter fome e não dá a ninguém.
    “Galgueiro” – Pessoa que corre muito
    “Galdéria/o) – Pessoa que só quer passear ou andar na má vida.
    “Gatuno” – Ladrão
    “Escalmurrado” – Cheio de calor
    “Abelhudo” – Pessoa que quer saber da vida alheia
    “Apardalado” – abismado, confuso, admirado.
    “Chanfrado” – Maluco
    “Lambareta” – Scooter
    “Lambregona” ou “Lambrega” – pessoa que cai na lama e fica suja
    “Tarimba” – Cama de Madeira
    “Taimancos” – Sapatos Socas
    “Esgalfinhado” (exemplo: o cão esgalfinhou-se com o porco) – Atiçado, Pegou-se.

    Enfim …se ficasse aqui a pensar mais tempo, arranjaria uma grande lista.
    Fica para a próxima vez.

    (moçe dum rai só acarretas lixo pa casa)

  520. Escarado – bêbedo. ;)

  521. José Emílio Campos Coroa

    Moce, má que jete ensenarem ozoutros ?

    tá um espectáculo dé !

  522. Mário Baptista

    Mais umas tantas expressões:

    Mãe dizendo ao filho que é parecido com o pai :

    ” Sais memo ao lançol de cima ”

    Pai explicando porque o filho nasceu poucos meses depois do casamento:

    ” É cá e a conversada – a nha Bia – nã falávamos à janela, falavamos à porta do quintal e por isse o mê môss dé andiantade à lota…

  523. José Viegas

    Lembrei-me agora desta:

    Moss, já tou farte dessa serrazina.. Cala-te lá, am becade!

    Serrazina, significa tudo o que seja irritante; Qualquer som ou barulho continuado e provocado por outrem; conversa chata; repetição incessante de qualquer coisa (falas, barulhos, sons, etc.)

    Moss, aquel gaje é ma serrazina (aquele gajo é uma serrazina

    Serrazina, também é o mesmo que chinfrineira.

    Moss, tou farte dessa chinfrineira.

    Um abraço para todos os que vão contribuindo para o ENRIQUECIMENTO deste trabalho.

    • Luciano

      tem munta cousa pa pôr aqui que né só do entigamente mas cas pessoas ainda falem hoje. ê Sê que tem munta gente que nã gosta destas cousas ma ê cá tou-me barendando pa elas. vamos lá moss todes do Algarve e memo os montanhères dar um ajedinha pó nosso livre das nossas linguagens e falres ficar pronte!

  524. José Viegas

    Já de seguida, mais uma:

    Moss, acaba lá com essa “algarviada” qué assim na percebe nada.

    “Algarviada” ou “Algraviada… Coisa dita ou contada de tal maneira rápida, com atropelo de palavras, que se torna difícil a sua compreensão.

    Fica aqui mais esta e mais um abraço.

  525. Barranha

    Oi malta. Junto aqui duas que não vi por cá.
    Mas poça, isto tamém tem tanta côsa escrita ca gente na consegue ler tudo com atenção
    Azogue ….. Iman (Ex: o meu a azogue na agarra este prego, na tem força nenhuma)
    Baraço …. corda (Ex: Esqueci-me do cinto. “Olha, ata as calças com um baraço)

    • Marco domingos

      Uma épica que me dá muita vontade de rir sempre que a ouço:

      Insufrir – Ex: ê tenho as coisas ma nah insufre nada delas, isso é pus mês moces…

  526. Trocatintas

    Aqui vão mais umas raridades que me ocorreram:

    alberróidas: hemorródias
    atão: então
    azamboado: mal disposto, doente
    bortoeja: comichão intensa
    caga-tacos: homem baixo
    cagaita: sujidade do nariz
    caganêra: diarreia ou presunção, orgulho
    chalado: não regula bem da cabeça
    dencú: de cócoras
    enxumbrado: tempo nublado
    esgalhado: apressado
    estapor: estupor
    estarolado: sem juízo
    fluja: fuligem
    gadanêro: pastor
    gaseado: sem juízo
    pataludo: tem os pés grandes
    pázada: agressão com um pau
    sepapo: soco
    trombolho: mal encarado

    cagar postas de pescada: armar-se em importante
    encanar a perna duma arrã: demorar muito
    fazer oites da borracha: ser entendido na matéria
    levar uma caldêrada: apanhar porrada
    ter um cú que nem uma albarda: ter um traseiro largo
    ter o pé desmentido: ter dor no pé

  527. Trocatintas

    dimpé: de pé

  528. Trocatintas

    Três posições:

    dimpé: em pé
    dencú: de cócoras
    assantado: sentado

  529. Trocatintas

    escagaçado: medroso
    inzeneiro: egoísta
    regateira: mulher que fala da vida alheia

  530. Paula Cabrita

    Ainda não vi referência a estas palavras:
    tijala – tijela
    beraque – buraco
    percasa – por causa

  531. Pedro Neto

    Vou à da minha mãe – vou à casa da minha mãe

  532. Catarina Algarvia

    Vocemesseia – (ex. Como vai vocemesseia?) – é tipe come se fossi assim –> como esta voce?

    na me masses – (nao me chateis)

    tantas… e depende dos lugares, acho muito interessante ser algarvia e por vezes notar a pronuncia de algarvios ahahaha :)

    Catarina Algarvia

  533. Falta ai o Lerde (Tu na ligues que o homem é lerde das ideas mon)…Lerdo

  534. Vou-me ali à do Manel e já venhe (Vou à casa do Manel e já venho)

  535. F Soares

    Já agora, em que este vocabulário ou maneira de dizer me parece muito Barlavento,
    aqui vai uma do Sotavento : cascabulhos ( ostras). Claro que no sotavento há imensas com influencia espanhola exemplo : fedeus ( massas, pequeninas , para cozinhar, que se faziam à mão, a partir da massa de trigo, ainda na década de 1950)..

  536. isaura

    Ocorréme más ôtra: chanavóga – Ex.: Andava tude numa ganda chanavóga! (Estavam em grande rebuliço, alvoroço, agitação, envolve movimentação de pessoas.) Percebem a ideia?

  537. samuel

    gostei do blog e vou deixar aqui uma palavra
    “almareado”- enjoado bebado ex: moss tou tode almariado

  538. Palinhe

    Ca alembrê-me das Zêtonas, e das Endrinhas

    • Maria Dias

      Olá! Endrinhas nã conhece! mas lembri-me agora de uma que se diz lá pós més lades: raboleta! foi criado de qualquer maneira,de um lado para o outro (referente a uma criança/jovem).
      Eu sou do lado onde se diz pêxe, lête, caféi, xarengado, vou à da minha tia (ir a casa da tia) abreviado, Vou dar banho (tomar banho) ou ainda abanhar-me.Enfim, expressões lindas da nossa linda terra ..

  539. Palinhe

    É Ca alembrê-me das Zêtonas, e das Endrinhas

  540. Palinhe

    Vindo de Alvôr o ” Quá cem” (99) e o Quai nada (1)

  541. antonio encarnaçao

    NÃO ESQUEÇAM DA PALAVRA ” griséus = ervilhas

  542. Daniel Fins Santana

    Avonde … ten avonde … denhun – nada, nenhum … vasilha – cabeça (nã fassem case é da vasilha) … alcagoitas – ervilhanas … tâmaras – datas … alperces – damascos – albicoques — quando me alembrar dezer más

  543. Alvaro Bota

    Esgaziar: Maluqeira, Divertimento, etc

  544. Miguel Rodrigues

    Caro Vitor Madeira
    Sendo eu minhoto, sou um apaixonado do Algarve, das suas paisagens, gentes e cultura. Trabalho aqui há mais de 10 anos e no Norte já me dizem que falo algarvio. Bem, faço mesmo questão de apanhar o que posso dos sotaques de todas as regiões do país onde vivi.
    Achei esta ideia excepcional! E a possibilidade de as pessoas poderem contribuir, é excelente. Parabéns!
    Mas, no entanto, houve algo no meio de tudo isto que estraga completamente a iniciativa. Essa ideia de escrever a fala das gentes de há séculos… em pseudo-”acordo” ortográfico. Que pena!
    Para efeitos de esclarecimento de todos, aqui ficam alguns dados:
    1. este documento é tudo menos um acordo (somos praticamente os únicos a aplicá-lo, até já os brasileiros estão a ponderar, desde o ano passado, cancelar a sua aplicação);
    2. Mais grave O AO90 É ILEGAL em Portugal. Não foi aprovado qualquer Dec.-Lei que o institua e que revogue a Lei que instituiu o acordo de 1945. Saíram umas resoluções da AR e do Conselho de Ministros, mas estes documentos não tem nível legal para revogar um Dec.-Lei anterior. assim, a sua aplicação é ilegal;
    3. Um número cada vez maior de técnicos da língua aponta uma infinidade de erros graves, incompatibilidades e incoerências e o texto do dito acordo está constantemente sob revisões e alterações;
    4. Um número cada vez maior de escritores, tradutores, jornalistas e mesmo algumas editoras, estão a recusar-se a aplicar este insulto à nossa língua.
    Assim, fomos todos ludibriados pelas instituições do Governo e pela sua gigantesca operação de marketing que deu uma aparência de obrigatoriedade a este pretenso acordo.
    A minha sugestão: publiquem esta compilação de termos e expressões algarvias mas, por favor, repudiem liminarmente o AO90.
    Obrigado
    Miguel Rodrigues

    • Fernanda

      Completamente de acordo!!! :)

    • Caro Miguel, nem me vou dar ao trabalho de dar a minha opinião sobre o Acordo Ortográfico, pois tal para aqui não é chamado.
      Mas se me escreveu o que escreveu, então é porque ou não leu nada do artigo ou não compreendeu o título do mesmo. Peço desculpa, mas não há outra forma de colocar as coisas.

      Agradeço no entanto a visita, mas tem que ponderar melhor antes de tentar fazer esse tipo de ‘batalha’ por aqui.

      Obrigado.

  545. isaura

    Ah ouvi uma palavra que já não ouvia há séculos (dos tempos de criança): saganheta. Termo dirigido a outrém, cujo significado ou contesto não me lembro bem. Ajudem-me.

    • José Viegas

      Essa eu nunca ouvi! Conheço sim SACANHETA, que é o mesmo que SACANA, com um sentido mais benévolo ou menos grave ou ainda como sendo um diminuitivo.

  546. João

    Estou-me a lembrar de AZÔGO, que o mesmo que íman. AZÔGADO, que significa desnorteado,desorientado.

  547. jose santos

    RETOIÇA -Brincadeira
    Vá lá meninos, venham para casa que já chega de retoiça!

    • Maria Dias

      A retoiça como brincadeira, correria de crianças, também se usa na minha zona. Lembro-me ainda de um termo curioso : raboleta ou reboleta que se refere a criado de qualquer maneira, por uns e outros.

  548. Abel M. J. Silva

    balaio – cesto pouco fundo (ouvi em Cabo Verde uma expressão que pensei que poderia perfeitamente ouvir no Algarve – ” o balaio de nha mãe”)

    pelingana, pelengana ou pelangana – tijela grande, frigideira ou tacho pouco fundo

    buida fina – licor

  549. “Parece impressível” (impossível)… LOL Oiço tantas vezes!

  550. José Santos

    Alto cagulo – Diz-se quando uma vasilha está cheia ate mais não.
    Olha a enfusa está cheia até alto cagulo.

  551. claudia

    Fê – feio;
    Fêa – feia;
    benite – bonito;
    quejête – que jeito;
    máquejête- mas que jeito, de forma alguma;
    tssugade – sossegado ex- tá mas é tssugade;
    marafade – chateado, aborrecido;
    mosse – moço;
    cabrã – cabrão ex- mosse d’um cabrã.
    corna – pessoa rebelde, inrrequieta ex: – és même corna;

    • Maria Dias

      Todas essas se falam no Barlavento e no Sotavento, mas uma que me lembrei há dias não sei se será! criança arreboladiça ou arraboladiça: diz-se de criança que nasce de mãe solteira (feita à pressa, às escondidas). Quando é arraboladiça ainda é mais bonita!

  552. Luciano

    pinghar ou pengnhar chover pouco. ” moss ainda tá chvendo? nã moss agora tá só pingnhande

    • Maria Dias

      No meu Algarve diz-se está só pingando! sem h a meio da palavra. Nessa zona do Algarve é mais inglesado!

  553. João

    bicos – borbulhas (noutras zonas do pais são conhecidos como outra coisa)

  554. Leonel

    Arredopiar : andar á roda…
    Desalmade:perdido ou louco de raiva…
    Desalvorade: andando sem controlo…
    Alvoraçade: irritado…
    Engavelade: pronto pra brigar com outro…
    SARIMBELHOS: peixe bem miudo pescado pelos pescadores de falésia. Uma amiga minha falava assim: uma veeeez fui picada por uma abéspra! hehehe vespa…
    Té diéb!: ó diabo…
    AtãoetátudeBem?
    Escarade: Bebado
    Genetos: gatos bravos do mato
    Zorra: raposa

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 776 outros seguidores

%d bloggers like this: